1) La descarga del recurso depende de la página de origen
2) Para poder descargar el recurso, es necesario ser usuario registrado en Universia


Opción 1: Descargar recurso

Detalles del recurso

Descripción

A Bacia do Espírito Santo possui importantes campos de petróleo e gás em exploração, entretanto poucos trabalhos micropaleontológicos estão disponíveis para esta região uma vez que a maior parte deste conhecimento é relativo a relatórios internos de empresas de petróleo e gás. Este trabalho apresenta uma análise bioestratigráfica e paleoambiental de sucessões sedimentares do intervalo Aptiano-Albiano das formações Mariricu (Membro Itaúnas), São Mateus e Regência. A amostragem é derivada de dois poços (BES-01 e BES-02) perfurados na porção emersa da bacia. Dentre as 24 amostras, 18 revelaram assembleias palinológicas diversificadas, incluindo 51 táxons de plantas terrestres (23 de esporos e 28 de grãos de pólen), 4 táxons de algas (3 dinocistos e 1 alga clorofícea), bem como táxons não determinados de palinoforaminíferos, fungos, escolecodontes e acritarcos. Os grãos de pólen de gimnospermas são dominantes em ambos os poços, principalmente representados pela abundância e diversidade de Classopollis; outros gêneros de grãos de pólen e esporos ocorrem subordinados. A análise bioestratigráfica se baseou nos intervalos cronoestratigráficos de espécies-guias comparadas com biozoneamentos estabelecidos principalmente para a própria Bacia do Espírito Santo, como também para as demais bacias marginais brasileiras As amostras do BES-01 apresentaram idade Albiano inferior, enquanto para as amostras do poço BES-02 foi atribuída idades entre o Aptiano superior e o Albiano inferior (sem distinção). Os dinocistos e os palinoforaminíferos são restritos a alguns níveis do poço BES-01; a assembleia monoespecífica distinta do gênero Subtilisphaera representa o primeiro registro da Ecozona Subtilisphaera na Bacia do Espírito Santo, indicando a ocorrência mais ao sul desta ecozona nas bacias marginais brasileiras. Comparando a frequência da matéria orgânica particulada nas amostras (palinomorfos, fitoclastos e matéria orgânica amorfa), se interpretou o ambiente deposicional como uma região costeira ocasionalmente influenciada por transgressões marinhas. A palinoflora representa a fase final da Província Dicheiropollis etruscus/Afropollis documentada em várias bacias marginais no Brasil e na África, principalmente definida por elementos gimnospérmicos fortemente adaptados a condições climáticas quentes e secas.

Pertenece a

Lume, repositório digital da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)  

Autor(es)

Michels, Fernando Heck - 

Id.: 70933765

Idioma: por  - 

Versión: 1.0

Estado: Final

Tipo:  application/pdf - 

Palabras claveBioestratigrafia - 

Tipo de recurso: Dissertação  - 

Tipo de Interactividad: Expositivo

Nivel de Interactividad: muy bajo

Audiencia: Estudiante  -  Profesor  -  Autor  - 

Estructura: Atomic

Coste: no

Copyright: sí

: Open Access

Formatos:  application/pdf - 

Requerimientos técnicos:  Browser: Any - 

Fecha de contribución: 29-ene-2018

Contacto:

Localización:
* 001058713

Otros recursos del mismo autor(es)

  1. Análise paleoambiental e posicionamento bioestratigráfico de depósitos do cretáceo da Bacia do Espírito Santo, Brasil Depósitos de bacias sedimentares da margem continental brasileira referentes ao processo de separaçã...
  2. Operator and replicability bias in comparative taphonomic studies The operator effect is a well-known analytical bias already quantified in some taphonomic studies. H...

Otros recursos de la mismacolección

  1. Litofácies, fábrica magnética e geoquímica de condutos alimentadores e lavas ácidas do grupo Serra Geral no nordeste do Rio Grande do Sul A Grande Jazida Candiota, localizada no Município homônimo do Estado do Rio Grande do Sul, possui o ...
  2. Interpretação geoquímica e modelagem térmica na geração atípica de hidrocarbonetos: um exemplo na Formação Irati, Bacia do Paraná. A avaliação da exploração de hidrocarbonetos nas bacias sedimentares brasileiras, especialmente nas ...
  3. Geoquímica e ambiente geotectônico dos metabasitos da região de Caçapava do Sul, RS. Este trabalho propõe a geração e fechamento de um proto-oceano e consequente formação de um arco de ...
  4. A barreira costeira holocênica e suas relações com a morfodinâmica praial no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil A análise dos parâmetros morfométricos publicados buscou relacionar o comportamento morfodinâmico pr...
  5. Mineralogia e geoquímica do depósito de nióbio de Morro dos Seis Lagos: rocha primária, lateritas e mineralização associada de elementos terras raras O depósito laterítico de Nb (ETR, Ti) Morro dos Seis Lagos (MSL) é derivado de siderita carbonatito ...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.