Wednesday, October 1, 2014

 

 



Soy un nuevo usuario

Olvidé mi contraseña

Entrada usuarios

Lógica Matemáticas Astronomía y Astrofísica Física Química Ciencias de la Vida
Ciencias de la Tierra y Espacio Ciencias Agrarias Ciencias Médicas Ciencias Tecnológicas Antropología Demografía
Ciencias Económicas Geografía Historia Ciencias Jurídicas y Derecho Lingüística Pedagogía
Ciencia Política Psicología Artes y Letras Sociología Ética Filosofía


Doença de Lyme – queratite resistente na infância

1) La descarga del recurso depende de la página de origen
2) Para poder descargar el recurso, es necesario ser usuario
    registrado en Universia


  Descargar recurso

Detalles del recurso

Pertenece a: Repositório do Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca  

Descripción: Introdução: A Doença de Lyme (D. Lyme) resulta da infecção pela espiroqueta Borrelia Burgdorferi, cujo vector é o artópode Ixodes que pode parasitar o ser humano. Esta doença multissistémica evolui em 3 estadios sendo que diferentes manifestações oculares podem ser encontradas em cada um deles. Material e Métodos: Descrição de um caso clínico. Criança do sexo feminino, 9 anos, com queixas de diminuição da acuidade visual (A.V. 6/10) e fotofobia com 2 meses de evolução. Ao exame oftalmológico apresentava queratite filamentosa bilateral, sem outros achados. Concomitantemente referia queixas álgicas nos joelhos e anca esquerda com 6 meses de evolução. Analiticamente apresentava Ac Anti Borrelia Burgdorferi (Ig G / M – ELISA) positivo, TPHA negativo e posteriormente PCR para DNA de Borrelia negativo. Resultados: Perante o diagnóstico de D. Lyme sistémica crónica e devido à má adesão terapêutica decidiu-se internar a criança para realizar antibioterapia sistémica (ceftriaxone e.v.) e terapêutica tópica ocular. Após uma semana, observou-se melhoria significativa das queixas oftálmicas e articulares. Completou 4 semanas de tratamento observando-se remissão do quadro clínico. Discussão: Apesar do quadro atípico de queratite isolada, esta é a manisfestação ocular mais frequente no estadio 3. A não existência de uveíte é um factor de bom prognóstico. A opção terapêutica de monoterapia com ceftriaxone é reservada para casos graves da doença, justificando- -se neste caso pela cronicidade do caso e má adesão terapêutica. A utilização de corticoterapia sistémica é controversa pelo que não foi preconizada.

Autor(es): Alves, S -  Pina, S -  Azevedo, R -  Chang, N -  Bernardo, M -  Melo, A - 

Id.: 55204684

Idioma: por  - 

Versión: 1.0

Estado: Final

Palabras claveDoenças dos olhos - 

Tipo de recurso: article  - 

Tipo de Interactividad: Expositivo

Nivel de Interactividad: muy bajo

Audiencia: Estudiante  -  Profesor  -  Autor  - 

Estructura: Atomic

Coste: no

Copyright: sí

: open access

Requerimientos técnicos:  Browser: Any - 

Fecha de contribución: 19-abr-2012

Contacto:

Localización:
* Oftalmologia. 2011 Out-Dez; 35(4): 375-378
* 1646-6950


Otros recursos del mismo autor(es)

  1. As relações líder-membro : caso UJES/Huambo Mestrado em Gestão de Recursos Humanos
  2. Percepción del cuidado de enfermería en un servicio de atención prenatal: Montería 2013
  3. Análise e controle de soluções rotativas em um sistema pendular Dissertação (mestrado)—Universidade de Brasília, Faculdade de Tecnologia, Programa de Pós-Graduação ...
  4. Proteção em redes GMPLS considerando informação acerca dos SRLG Garantir a resiliência das redes de telecomunicações é uma preocupação permanente dos operadores de ...
  5. Performance analysis of algorithms for calculation of SRLG disjoint paths of min-sum cost in GMPLS networks Ensuring the resilience of telecommunications networks is an ongoing concern of telecommunications o...

Valoración de los usuarios

No hay ninguna valoración para este recurso.Sea el primero en valorar este recurso.
 

Busque un recurso