Recursos de colección

Biblioteca Digital do IPB (53.442 recursos)

A Biblioteca Digital do IPB, tem por objectivo divulgar e permitir o livre acesso à produção científica produzida pela comunidade académica, promovendo a integração, partilha e a visibilidade da informação científica e garantindo a preservação da memória intelectual do Instituto Politécnico de Bragança.

DM - Capítulos de Livros

Mostrando recursos 1 - 9 de 9

  1. Estudo sobre a utilização das ferramentas do ambiente Sakai numa instituição de ensino superior

    Alves, Paulo; Miranda, Luísa; Morais, Carlos; Alves, Evandro
    Resumo— Este estudo teve como principais objectivos apreciar a valorização que os alunos e os professores do ensino superior atribuem às ferramentas Agenda, Avisos, Recursos, Trabalhos, Testes, Cacifo, Mensagens, Fóruns e Pesquisa do ambiente colaborativo Sakai e verificar se os conhecimentos informáticos dos utilizadores têm influência na valorização das referidas ferramentas. Os dados foram obtidos a partir das respostas dadas a um inquérito por uma amostra de alunos e uma amostra de professores. As ferramentas mais valorizadas pelos alunos e pelos professores, no apoio às unidades curriculares, foram os Recursos e os Avisos. A maioria dos alunos e dos professores classifica os seus conhecimentos como conhecimentos intermédios. De um modo geral, os...

  2. Estilos de Coaprendizagem para uma coletividade aberta de pesquisa

    Barros, Daniela; Miranda, Luísa; Goulão, Maria; Henriques, Susana; Morais, Carlos
    O presente artigo aborda a teoria dos estilos de aprendizagem e suas possibilidades para uma coletividade aberta de pesquisa numa dinâmica de coaprendizagem entre os sujeitos. Toda esta discussão é contextualizada no âmbito da sociedade em rede, em que as tecnologias da informação e da comunicação assumem particular centralidade em diversas dimensões do quotidiano. OBJETIVOS DE COAPRENDIZAGEM Os principais objetivos desta reflexão são identificar os elementos e características da teoria dos Estilos de Aprendizagem; identificar questões importantes relacionadas com Estilos de Aprendizagem e Coletividade; compreender a relação entre Estilos de Aprendizagem e Coletividade Aberta de Pesquisa; e conceituar os Estilos...

  3. Estilos de aprendizagem de futuros professores e estratégias de ensino da matemática no 1.º ciclo do ensino básico

    Morais, Carlos; Miranda, Luísa; Barros, Daniela
    Considerando que as estratégias de ensino utilizadas pelos professores para ensinarem Matemática influenciam a aprendizagem dos alunos e que os estilos de aprendizagem podem interferir na definição das estratégias de cada professor, nesta reflexão enfatizamos os aspectos defendidos pelos alunos, futuros professores de Matemática da Educação Básica, bem como a relação das estratégias defendidas com os seus estilos de aprendizagem. O principal objectivo desta investigação consiste em identificar os estilos de aprendizagem de uma amostra de futuros professores e averiguar as características que enfatizam para as estratégias de ensino e aprendizagem da Matemática ao nível do 1.º Ciclo do Ensino...

  4. A matemática na vida quotidiana

    Morais, Carlos
    A Matemática pode ser ensinada, aprendida e utilizada em qualquer lugar onde o ser humano se encontre. Aceitando-se alguma flexibilidade, o ensino, a aprendizagem, o desenvolvimento e a utilização da Matemática podem contextualizar-se próximos das perspectivas: científica, escolar e quotidiana. Embora as três perspectivas sejam fundamentais neste capítulo apresentam-se algumas reflexões que poderão ser consideradas mais próximas da perspectiva que enfatiza a utilização da Matemática na vida quotidiana, nomeadamente em aspectos associados à vida social e económica. Os principais objectivos deste capítulo consistem em mostrar a importância da Matemática na vida quotidiana e motivar os alunos a utilizar a Matemática na interpretação do mundo que os rodeia. Após o...

  5. Interacção e aprendizagem de conceitos numéricos complexos

    Morais, Carlos; Almeida, Conceição; Dias, Paulo
    No contexto educativo actual o termo interacção é um dos mais utilizados. Referem-se como principais formas de interacção a interacção um para um, um para muitos ou, ainda, interacção de muitos para muitos. Qualquer dessas formas pressupõe a reciprocidade das relações humanas, bem como o acto de comunicar. Atendendo a que o conceito de interacção é demasiado abrangente e pode admitir diversas interpretações põe-se a questão de saber que tipo de interacção e que grau de interacção deve ser fomentada numa aula de matemática. A resposta a esta questão não parece ser fácil. No entanto, somos de opinião que tanto o...

  6. Competências matemáticas: interpretação por professores do Ensino Básico

    Morais, Carlos
    O Departamento da Educação Básica/Ministério da Educação (DEB/ME) define, em 2001, num documento intitulado ”Currículo Nacional do Ensino Básico - Competências Essenciais: Competências Gerais/Competências Específicas da Matemática”, as competências específicas da Matemática que devem ser desenvolvidas pelos alunos ao longo dos três ciclos do Ensino Básico. Uma das questões que se coloca, ou se deve colocar, é a de saber a interpretação dada ao conceito de competência matemática pelos alunos, futuros professores do Ensino Básico. Admitindo que o termo competência matemática está associado à promoção do desenvolvimento integrado de um conjunto de atitudes, de capacidades, de conhecimentos relativos à matemática (DEB/ME,...

  7. Recursos de apoio ao processo de ensino e aprendizagem da matemática

    Alves, Carla; Morais, Carlos
    A didáctica da matemática é uma área científica com enorme interesse para o ensino e a aprendizagem da Matemática, que envolve conceitos e ferramentas de diagnóstico e de análise e tratamento de problemas que se apresentam na aprendizagem da matemática no contexto escolar. Para conceber o processo de ensino e aprendizagem, Chamorro (2003), são necessários os seguintes intervenientes: o aluno, o saber e o professor. O aluno deve aprender o que foi previamente estabelecido socialmente, segundo a sua idade, o seu nível etário e o tipo de estudos que a instituição escolar considera como projecto a desenvolver. O saber, neste caso a...

  8. Pedagogical approaches for online environments

    Miranda, Luísa; Morais, Carlos; Dias, Paulo
    At a time of profound changes in both learning conceptions and the construction of knowledge representations and in their application in real-life and professional situations, there is a huge need to deepen the processes that help us understand collaborative learning in online environments. These environments, due to their advantages, are powerful means for the development of the flexibility of representations and their suitability to practice contexts. The success of online collaborative activities depends on several aspects, among which can be mentioned their planning and monitoring of learning, bearing in mind the necessity to create a feeling of community and connection among...

  9. Contributos da internet na resolução de problemas

    Alves, Carla; Palhares, Pedro; Morais, Carlos
    A Matemática é essencial para o desenvolvimento da sociedade, pode ter um forte carácter formativo e contribuir para a actualização e formação ao longo da vida. A utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação no dia-a-dia e no contexto escolar, nas suas variadas formas e potencialidades, poderá ser um forte contributo para a diminuição do insucesso escolar e, de um modo particular, para a aprendizagem da Matemática. A importância da Internet no estudo da Matemática, nomeadamente na resolução de problemas, pode constituir uma estratégia para o aprofundamento da Matemática e um incentivo à sua aprendizagem e utilização. A apresentação de situações que...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.