Recursos de colección

Biblioteca Digital do IPB (53.442 recursos)

A Biblioteca Digital do IPB, tem por objectivo divulgar e permitir o livre acesso à produção científica produzida pela comunidade académica, promovendo a integração, partilha e a visibilidade da informação científica e garantindo a preservação da memória intelectual do Instituto Politécnico de Bragança.

DEG - Artigos em Revistas sem Arbitragem Científica

Mostrando recursos 1 - 17 de 17

  1. Entrepreneurship performance indicators for employer enterprises in Portugal

    Sarmento, Elsa; Nunes, Alcina
    This work describes the dynamics of active and new employer enterprises in Portugal, using an entrepreneurship dataset conceived from Quadros de Pessoal, for a period of around 20 years.

  2. Analysis of the active employer enterprise population in Portugal

    Sarmento, Elsa; Nunes, Alcina
    This study provides a description of the population of active employer enterprises dynamics in Portugal, using an entrepreneurship dataset conceived from Quadros de Pessoal based on the Eurostat/OECD methodology “Manual on Business Demography Statistics”, for the period 1987 to 2007. The main contribution of this analysis is to provide detailed disaggregated evidence of the employer enterprise population by firm dimension, region and main economic sectors, over a period of more than 20 years.

  3. Employer enterprise creation in Portugal

    Sarmento, Elsa; Nunes, Alcina
    This study provides a description of enterprise birth dynamics in Portugal, using an entrepreneurship dataset conceived from Quadros de Pessoal based on the Eurostat/OECD methodology ―Manual on Business Demography Statistics‖, for the period 1987 to 2007. The main contribution of this analysis is to provide detailed empirical evidence of the performance of enterprise births by firm dimension, region and main economic sectors. Using this unique matched employer-employee micro dataset, we discuss the prevalence of some of the main stylized facts on firm creation. When relevant, we resort to international data for comparison.

  4. A sobrevivência de empresas na Região Norte

    Nunes, Alcina; Sarmento, Elsa
    Este estudo analisa a capacidade de sobrevivência das empresas criadas durante o período compreendido entre 1985 e 2007, na região Norte de Portugal (NUT II), relativamente à sua idade e ao seu período de actividade, através da utilização de funções de risco e sobrevivência, utilizando métodos não paramétricos (Kaplan-Meier e Nelson-Aalen) e semi-paramétricos (modelo complementar log-log e o modelo de risco proporcional de Cox). A análise é também desagregada por sector económico e por classe de dimensão, em número de trabalhadores. O trabalho empírico assenta na criação de uma base de dados específica, baseada nos Quadros de Pessoal do Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério do Trabalho...

  5. Comportamento das empresas cotadas portuguesas na escolha das fontes de financiamento

    Rogão, Márcia
    Em torno das decisões de estrutura de capitais surgem duas questões relevantes: será que a política de financiamento seguida pela empresa influencia a sua estrutura de capitais? Na vasta literatura sobre as decisões de estrutura de capitais identificam-se duas predominantes e competitivas correntes teóricas de capitais, sendo elas a teoria do Trade-off estático e a teoria da Pecking Order. Os percursores da teoria do Trade-off estático, defendem a existência duma estrutura de capitais óptima, que maximiza o valor da empresa (Myers e Robicheck, 1965). A teoria da Pecking Order surge com o estudo de Myers e Majluf (1984), no qual...

  6. O orçamento como limitação do controlo de gestão

    Alves, Jorge
    Tal como um automóvel, também as organizações necessitam de ser conduzidas/controladas para que se tenha a certeza que caminham na direcção pretendida pelos seus gestores. Assim, é necessário desenvolver e por em prática um conjunto de instrumentos e mecanismos que permitam, em princípio, assegurar que esses objectivos definidos venham a ser atingidos. Daqui, surge a necessidade de as empresas/organizações implementarem sistemas de controlo de gestão, os quais foram evoluindo ao longo dos anos e que podem e devem variar em função do tipo de organização e da sua envolvente.

  7. A non parametric survival analysis of business demography dynamics in Portugal

    Nunes, Alcina; Sarmento, Elsa
    This article addresses the post-entry performance of Portuguese firms, using survival and hazard functions, along a period of eighteen years, from 1985 to 2007. The method follows the “Manual on Business Demography Statistics” (OECD/Eurostat, 2007), so as to assure international comparability with other datasets, such those from the Entrepreneurship Indicators Programme (OECD/Eurostat 2008 and 2009). In the exercise, we use a sub-set of the Quadros de Pessoal dataset (Employment Administrative Records by the Portuguese Ministry of Labour and Social Security), where only active employer enterprises are considered. The survival analysis is then disaggregated in different dimensions, namely sectors, regions and size...

  8. A semi-parametric survival analysis of business demography dynamics in Portugal

    Nunes, Alcina; Sarmento, Elsa
    We address the post-entry performance of new Portuguese firms by investigating the structural characteristics of the hazard and survival functions, using semi-parametric survival analysis. It is based on the application of the entrepreneurship definitions and methodology of the “Manual on Business Demography Statistics” (OECD/Eurostat, 2007) to the Quadros de Pessoal dataset. The main contribution of this work is the application of a recent internationally comparable methodology for entrepreneurship to provide a multidimensional overview of firm and survival dynamics over a period of eighteen years, while guaranteeing international comparability. By correcting heterogeneity with a different specification model, we obtain stronger magnitudes of the...

  9. A mensuração de activos que se qualificam: a formação do custo à luz do novo referencial normativo

    Pires, Amélia M.M.
    Não obstante as diferentes vicissitudes e resistências de que foi alvo, o movimento de normalização contabilística internacional parece querer consolidar-se e a adaptação dos diferentes normativos contabilísticos aos sistemas contabilísticos da designada “corrente anglo-saxónica” é hoje uma realidade à escala planetária. Relembramos, contudo, que os factores que influenciam o desenvolvimento dos sistemas contabilísticos de cariz anglo-saxónico são diferentes daqueles que enformam os sistemas contabilístico da dita corrente continental. Em Portugal vigora, desde uma perspectiva histórica, um sistema contabilístico caracterizado por uma regulamentação exaustiva e sem ambiguidades, que se impõe sob a forma de lei nacional (Decreto-Lei), com critérios de apresentação...

  10. Abordagem aos diferentes procedimentos de aceitação generalizada para a (pré)determinação do fundo de maneio: uma perspectiva

    Pires, Amélia M.M.
    A determinação do Fundo de Maneio (FM) tem subjacente a utilização de um conjunto de procedimentos ou métodos, de aceitação generalizada, mais ou menos alargados, que vão desde os modelos baseados em estudos estatísticos, passando por aqueles que se fundamentam no estudo das relações existentes entre os factores produtivos, no tempo de recuperação do investimento em capital circulante, nos prazos de recebimento e pagamento, até aqueles que se apoiam na rotação dos factores produtivos ou, até mesmo, em estudos ou previsões orçamentais. Contudo, a maior ou menor utilidade que se poderá retirar da utilização de cada um deles resulta variável pelo...

  11. Fundo de maneio: importância enquanto variável a considerar para a determinação do valor da empresa

    Pires, Amélia M.M.
    No decurso da actividade empresarial são vários os factores que determinam, para o bem e para o mal, o valor. É nosso entendimento que este se apresentará sempre condicionado por um leque de circunstâncias intrínsecas e extrínsecas ao próprio elemento objecto de valorização. Nesta concordância, decidimos centrar o nosso estudo em torno da variável Fundo de Maneio (FM) porquanto estamos convictos da importância que julgamos dever ser atribuída à correcta definição desta grandeza. A variável FM surge com particular relevância, designadamente quando se procura analisar o resultado de uma entidade, quer no que respeita à sua qualidade quer mesmo relativamente...

  12. Da evolução contabilística na U.E. ao Decreto-Lei n.º 35/2005

    Pires, Amélia M.M.; Rodrigues, Fernando J. P. A.
    Tendo como pano de fundo a redefinição da estratégia da União Europeia, em termos de normalização contabilística para o futuro, procurar-se-á, ao longo do presente artigo, avaliar as alterações que, nessa decorrencia foram introduzidas na IV Directiva e a consequente extensão aos diferentes Estados-Membros. Nessa conformidade, procuraremos avaliar os efeitos produzidos em Portugal com a publicação do Decreto-Lei n.º 35/2005.

  13. Deverão os investimentos em imóveis ser considerados investimentos financeiros

    Pires, Amélia M.M.; Rodrigues, Fernando J. P. A.
    A problemática em torno da classificação dos activos de longa duração cuja utilização não esteja directamente ligada à exploração da empresa tem gerado algumas iniquidades que, a nosso ver, encontram todo o sentido na formulação que o Plano Oficial de Contabilidade (POC), nas suas notas `conta 414 “Investimentos Financeiros – Investimentos em Imóveis”, estabelece para a classificação contabilística dos investimentos em imóveis.

  14. A necessidade de um balanço complementar informativo ou de um balanço paralelo actualizado

    Pires, Amélia M.M.; Ramos, Rafael C.
    As exigências decorrentes da chamada “nova economia”, designadamente no que se refere à informação produzida pelas organizações empresariais, levam-nos a questionar a necessidade de ajustar, de modo útil, aquele que é tido como o documento fundamental da informação financeira das entidades – o balanço –, e a sustentar a veracidade das decisões tomadas com base na relevância dos elementos que o compõem. Desde o início da segunda metade do século XX que têm sido cada vez mais importantes factores que influenciam o valor da empresa e não aparecem relevados na informação financeira relatada. A par disso não tem sido menos evidente...

  15. Sobre os descontos/prémios dos fundos de investimento fechados, no contexto da teoria do sentimento do investidor.

    Monte, Ana Paula; Armada, Manuel José da Rocha
    A existência dos descontos/prémios nos fundos de investimento fechados, embora um tema amplamente estudado, continua a intrigar quer académicos quer práticos. Eles resultam da diferença entre o valor das acções do fundo, determinado pelo mercado, e o seu valor patrimonial líquido (valor de mercado, líquido das obrigações financeiras, dos activos que compõe a carteira do fundo). Como as acções do fundo, tal como os activos que compõem a sua carteira, são transaccionados em Bolsa, seria de esperar, pelo menos numa situação de equilíbrio de mercado, que este se encarregasse de ajustar e corrigir os seus preços, nivelando-os, tanto mais que...

  16. Comércio electrónico on-line e direcção efectiva

    Aguiar, Nina; Lopes, José
    No âmbito da tributação do rendimento das pessoas colectivas, os ordenamentos jurídicos e as directrizes da OCDE em matéria fiscal servem-se do conceito de direcção efectiva para determinar a existência de conexão entre os rendimentos obtidos por uma entidade e a jurisdição tributária de um Estado. Com este conceito procurou-se suprir a insuficiência que o elemento sede estatutária mostrava nas situações em que os locais da sede e da direcção efectiva não coincidiam. Não sendo um conceito formal, como o de “sede”, mas antes substancial, o conceito de direcção efectiva revela-se de difícil objectivação, sobretudo no actual contexto tecnológico e...

  17. Regimes Simplificados (II Parte)

    Aguiar, Nina; Lopes, José
    In this paper, the authors analyze simplified schemes of income taxation in Italy, Germany, France and the USA. For each case, the analysis focuses on whether the tax base, by means of the simplified taxation scheme, is still formed by real income or by some other economic fact, which can work as an income proxy for taxation purposes but is not income. As simplified schemes of income taxation often consist in simplified forms of accounting for small and medium businesses, these are also analyzed and briefly compared. The authors’ main purpose is to stress the differences between simplified systems in...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.