Recursos de colección

Repositorio da Universidade dos Açores (8.657 recursos)

O Repositório Institucional da Universidade dos Açores desenvolvido no âmbito do projecto RCAAP.

ARQ - Hist2s - Vol 04 - N 1 (2000)

Mostrando recursos 1 - 6 de 6

  1. Os "Canto" nos jardins paisagísticos da Ilha de S. Miguel

    Sousa, Nestor de
    Num dos primeiros dias do mês de Julho de 1861, às cinco horas da tarde, fundeava no ancoradouro de Ponta Delgada um navio de guerra da Armada francesa. De bordo desembarcaram dois membros da família imperial, o príncipe Napoleão e sua mulher, a princesa Clotilde. Na comitiva, um ajudante de ordens de Napoleão III, imperador dos franceses. Era presença inesperada, em viagem para os Estados Unidos da América, que teria ainda aportagem intermédia na Horta, para abastecimento de carvão. Entrados no cais da cidade, a Matriz de traça manuelina, construída no reinado de D. João III (c. de 1530 a 1545), foi visita primeira,...

  2. Ernesto do Canto entre os naturalistas açorianos do século XIX

    Arruda, Luís M.; Albergaria, Isabel Soares de
    Desde meados do século XVIII, os Açores foram procurados por naturalistas estrangeiros que se dedicavam, principalmente, ao estudo da fauna, da flora e da geologia. Mais, esse interesse pelo arquipélago aumentou desde que, em 1859, Charles Darwin publicou a obra On the Origin of Species by Means of Natural Selection, tendo mesmo originado um número considerável de obras publicadas. Esse interesse relacionava-se com o facto destas ilhas, nascidas do mar, poderem suportar formas faunísticas e florísticas de transição entre as regiões Paleártica e Neártica. Não obstante o interesse da comunidade científica internacional pelas ilhas açorianas, apenas alguns poucos açorianos se manifestaram pelo...

  3. Afinidades genealógicas : cartas de Ernesto do Canto para Agostinho de Ornelas de Vasconcelos

    Veríssimo, Nelson
    No Arquivo da Família Ornelas Vasconcelos, depositado no Arquivo Regional da Madeira, encontram-se algumas cartas de Ernesto do Canto (Ponta Delgada, 12 de Dezembro de 1831 – Ponta Delgada, 21 de Agosto de 1900) dirigidas a Agostinho de Ornelas de Vasconcelos Esmeraldo Rolim de Moura (Caniço, Madeira, 14 de Março de 1836 – Niederwald, Alemanha, 6 de Setembro de 1901). Amigos, pelo menos desde os tempos de Coimbra, os dois ilhéus interessavam-se, de forma particular, pela História e a Genealogia, de modo que, frequentemente, trocavam informações, inclusive bibliográficas, esclareciam dúvidas e, reciprocamente, solicitavam favores, em especial, consultas na Torre do Tombo. As cartas, que...

  4. Ernesto do Canto, Brito Rebelo e a construção do Arquivo dos Açores

    Rodrigues, José Damião; Silveira, Francisco
    O projecto do Arquivo dos Açores, monumento incontornável na historiografia açoriana devido à iniciativa de Ernesto do Canto (1831-1900), foi possivelmente inspirado na edição dos Portugaliae Monumenta Historica. Ernesto do Canto, para levar a bom termo a edição desta importante colectânea de fontes e estudos, contou com a colaboração de nomes ilustres da cultura açoriana, como Jacinto Inácio de Brito Rebelo (1830-1920), micaelense e oficial de infantaria, cuja associação com o mentor do Arquivo dos Açores aqui pretendemos analisar. A existência no espólio de Ernesto do Canto, depositado na Biblioteca Pública e Arquivo de Ponta Delgada, de um número assaz significativo de cartas...

  5. Ernesto do Canto : um homem rico

    Dias, Fátima Sequeira
    Este pequeno apontamento acerca da fortuna do Dr. Ernesto do Canto foi sugerido pelo cruzamento de várias fontes encontradas um pouco pelo acaso da própria investigação histórica. O inventário dos seus bens e o registo do seu testamento sempre tinham constituído material privilegiado para o estudo da personagem e para o estudo das famílias afortunadas, da ilha de S. Miguel, em oitocentos. Contudo, foi a descoberta acidental de uma volumosa pasta com papéis coligidos por José Bensaúde, “gestor” ocasional da casa agrícola do Dr. Ernesto do Canto, que veio revelar-se uma preciosidade inesperada, porquanto o gestor - obcecado com as anotações e com...

  6. Ernesto do Canto na panorâmica da historiografia açoriana da sua época

    Leite, José Guilherme Reis
    Numa comunicação à Academia de História, que vicissitudes várias não permitiram ainda a publicação, tentei traçar uma panorâmica sobre a historiografia açoriana de meados do século XIX a meados do século XX, rodeada de reflexões sobre as linhas de força dessa temática. Pareceu-me, então, que, passado o ardor da política activa que consumiu uma geração pelo menos e em que a história só encontrava lugar como arma de arremesso e como fundamento para as opiniões revolucionárias, se abria um período mais calmo de reflexão e gosto pelo estudo da sociedade. É verdade que Francisco Ferreira Drumond (1796-1858), exemplo típico do cidadão envolvido no ardor...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.