Recursos de colección

Repositório do ISPA Instituto Superior de Psicologia Aplicada (10.591 recursos)

No Repositório do ISPA pode encontrar diversos tipos de documentos, em formato digital, resultantes da produção científica do ISPA designadamente: teses de doutoramento, teses de mestrado, artigos em publicações periódicas nacionais e internacionais, relatórios técnicos, artigos em actas de conferências nacionais e internacionais e capítulos de livros.

Artigos em revistas nacionais

Mostrando recursos 1 - 20 de 85

  1. Percepção de representações gráficas: Variabilidade cultural e desenvolvimento

    Santos, Jorge Almeida; Mesquita, Artur
    Neste artigo é proposta uma revisão dos estudos interculturais e de desenvolvimento, como forma de esclarecer as estruturas e funções envolvidas no processamento visual de representações gráficas. São consideradas quatro hipóteses explicativas: (1) perceptivamente os objectos tridimensionais e os ícones são equivalentes e envolvem os mesmos mecanismos gerais; (2) é necessária a intervenção de estruturas cognitivas aprendidas e especializadas; (3) após um período de aprendizagem as representações gráficas são processadas de forma exclusivamente perceptiva; (4) Existe uma gradação da segunda para a terceira hipótese, dependente de especificidade de cada sistema de produção gráfica. A revisão dos estudos experimentais aponta para a exclusão da primeira hipótese. Porém, o tipo de aprendizagem envolvida e as modalidades exactas de...

  2. The evolutions of joint attention to objects between infants and their mothers: Diversity and convergence

    Reimers, Mark; Fogel, Alan
    The authors share a perception of human development as an opportunistic process, not arising from universal necessary causes, but drawing idiosyncratically on a variety of resources. In this paper they trace the evolution of idiosyncratic patterns of joint activity with objects, how the infant’s activity is mantained and directed, in two mother-child dyads until two years old. The authors also show that, althought the processes used by the two dyads are different, the same functions are achieved, like attracting attention, introducing a new topic, or assisting with difficulties.

  3. Temperament and maternal employment

    Lerner, Jacqueline V.; Galambos, Nancy L.
    This paper explores the relation between child temperament and maternal employment. We view this relation as a sample case of a more general model of person-context relations and we review the literature which has addressed this relation. Children possess different behavioral or temperamental characteristics which affect their interactions with their caregivers. In this regard, children possessing certain temperamental characteristics influence the behavior and attitudes of their employed mothers. In fact, research has shown that a child’s temperament may even influence the mother’s decision to be employed or not. Research has also appraised the behavioral outcomes that result for the child. For example, children whose temperaments are ccdifficultn show less optimal functioning than children whose temperaments are...

  4. Maternal depression effects on infants

    Lowenstein, Marcy K.; Field, Tiffany
    Infants are extremely vulnerable to learning maladaptive behaviors from their depressed mothers. Since a mother’s influence on her infant’s social development and interactional style begins at birth, it is important to investigate the developmental effects of both transient postpartum depression and chronic depression on the infant. This comprehensive review of the limited research available supports the theory that infants develop different interactional styles depending on their mother’s affect. The literature also suggests that a depressed maternal style is much more distressing to infants than physical unavailability. Pervasiveness of the infant’s depressed interactional style to other individuals regardless of their affect may be indicative of long-lasting social competencies. More research is needed to identify the salient...

  5. Difficult temperament and child abuse. Notes on the validity of the child-effect model

    Anette, Engfer
    The author first defines two concepts: ((child abuse)) and ctdifficult child)). After, the authors examines the empirical evidence for the notion that child temperamental characteristics may elicit abusive maltreatment. In a second stept she try to analyse under which conditions child difficulties in terms of intense negative emotionality may affect parenting or may be modified by it. A note on the consequences for clinical practice is included.

  6. As relações pais/criança: Uma perspectiva clínica

    Gonçalves, Maria José
    O estudo das relações parentais no desencadear da patologia mental infantil é apresentado dum ponto de vista histórico e evolutivo. A autora descreve a capacidade parenta1 numa perspectiva interactiva e de acordo com as diferentes fases evolutivas desde a sua génese na infância, até a idade adulta. Aborda em seguida a clínica da relação pais/criança com uma referência mais específica às atitudes parentais e às contra-atitudes mais frequentes, bem como às dificuldades técnicas encontradas no tratamento dos diferentes casos, sendo apresentado a título de exemplo um caso clínico.

  7. O papel do pai em mudança

    Lamb, Michael E.
    Embora de forma sucinta foram abordados neste texto uma série de questões relativas ao envolvimento paterno nos cuidados da criança. Como já referimos, o intenso interesse actual da parte de académicos e investigadores pelos papéis e funções paternas, reflecte as últimas de uma série de mudanças na forma como a sociedade Norte-Americana conceptualiza e idealiza a paternidade. O nível médio de envolvimento paterno aumentou nos últimos anos, de forma compatível com a noção de «nova paternidade», embora o aumento tenha sido modesto. As mães continuam a dedicar mais tempo do que os pais a interacção ou disponibilidade para os filhos e, isto mantem-se mesmo quando ambos os progenitores estão empregados. Para além disso,...

  8. Intervenção construtivista e dialéctica para o desenvolvimento das significações parentais

    Barros, Luísa
    Neste trabalho, a autora estabelece dois objectivos. Por um lado, apresentar um breve historial dos principais procedimentos de treino ou aconselhamento parental, assim como conclusões mais significativas do estudo desenvolvimentista das crenças de pais. Por outro lado, definir um modelo alternativo, de cariz construtivista e dialéctico, visando o desenvolvimento das crenças ou significações parentais, subjacentes a acções educacionais adaptativas e eficazes.

  9. Teste de definir valores morais de James Rest: Pode ser usado na investigação moral portuguesa?

    Lourenço, Orlando; César, Margarida
    O desenvolvimento moral tem sido um tema dominante de pesquisa no domínio psicológico e educacional. A entrevista moral de Kohlberg é reconhecida como involvendo grande complexidade, já que faz apelo a distinções muito subtis entre estrutura e conteúdo. O Teste de Definir Valores Morais de Rest (DIT - «Defining Issues Test») é aceite como um instrumento fiável e válido de avaliação do desenvolvimento do raciocínio moral, embora mais. simples que a metodologia de Kohlberg. Actualmente, o DIT é o teste mais utilizado na avaliação do juízo moral dos sujeitos. O objectivo central deste estudo foi experimentar uma tradução Portuguesa do DIT numa amostra transversal constituída por 109 crianças do 8P ano de escolaridade, 69...

  10. Images et reflets: A la découverte de la symétrie horizontale hodlérienne

    Doise, Marie-Danielle Fresard
    Inexistente

  11. O debate contemporâneo sobre a percepção visual

    Santos, Jorge Almeida; Mesquita, Artur
    Este artigo visa uma análise crítica das principais teorias da percepção visual. As incoerências internas do Construtivismo e da Teoria da Gestalt são demonstradas. O paradigma construtivista encontra os seus limites numa regressão interpretativa infinita e no postulado de um teste das interpretações perceptivas que é incompatível com a própria teoria. A abordagem gestaltista utilizou constatações empíricas como leis de organização perceptiva, caindo assim numa circularidade explicativa. Por outro lado, estes dois modelos clássicos são empiricamente suportados por sistemas experimentais que não cumprem critérios científicos de teste de hipóteses e carecem de validade preditiva, relativamente às situações correntes de processamento perceptivo. Actualmente a abordagem proposta por James Gibson constitui o único modelo teórico com coerência interna e...

  12. Porque são tão pouco altruístas as crianças pré-escolares? Considerações teóricas, dados empíricos, implicações educacionais

    Lourenço, Orlando
    Este estudo fornece dados empíricos que fortalecem a perspectiva teórica que procura explicar o desenvolvimento do altruísmo com a idade e, portanto, o diminuto altruísmo das jovens crianças, pela integração de dois modelos utilizados sucessivamente por Piaget na descrição da passagem do pensamento prk-operatório ao pensamento operatório. Trinta crianças de 5-6 anos foram confrontadas com quatro dilemas pró-sociais envolvendo modalidades fundamentais da conduta altruísta (repartir, dar, ajudar, confortar), avaliadas na sua competência para interpretar esses dilemas em termos de percepção de custoskonstrução de ganhos, e colocadas finalmente numa situação de dádiva anónima. Consistentes com a conceptualização proposta, os resultados mostram a) que nessa idade a percepção de custos é dominante em relação a construção de ganhos,...

  13. Relações parentais - nota de abertura

    Pires, António Augusto Pazo
    Inexistente

  14. É o último sistema de avaliacão moral de Kohlberg realmente estrutural?

    Lourenço, Orlando
    A tese Kohlbergiana de que os estádios morais formam um todo estruturado levou Kohlberg a sucessivas reformulações da definição dos estádios de juízo moral e da metodologia para os avaliar. Com efeito, Kohlberg sustentou que os sistemas de avaliação iniciais não distinguiam claramente ((estrutura)) e «conteúdo», mas que tal distinção estava presente no seu último sistema de avaliação. A finalidade principal deste estudo é examinar em que grau a estrutura de estádio moral é realmente independente do seu conteúdo na Última e definitiva versão da metodologia Kohlbergiana (i.e., no «Standard Issue Scoring Manual», Colby & Kohlberg, 1987, 1987a). Partimos da hipótese de que se a estrutura do estádio moral pode ser realmente dissociada do seu...

  15. A observação psicológica na criança de dade escolar - Indicações do exame psicológico em saúde mental infantil

    Barahona, Maria da Graça
    A autora apresenta uma sistematização e uma elaboração teórico-metodológica da prática exercida durante anos de observações psicológicas em crianças de idade escolar. São especialmente referidos critérios de pedido de exame psicológico.

  16. Observações da interacção mãe/bébé na situação alimentar e características individuais do desenvolvimento psicológico

    Pego, Fernando; Duarte, Leonor; Rodrigues, Eduardo
    Inexistente

  17. O auto-conceito

    Serra, Adriano Supardo Vaz
    O auto-conceito pode ser definido como a percepção que o indivíduo tem de si próprio e o conceito que, devido a isso, forma de si. É um constructo que ajuda a compreender aspectos importantes do comportamento humano, como a uniformidade, a consciência e a coerência da conduta observável, a noção de identidade e a manutenção de certos estereótipos de acção na continuidade do tempo. O auto-conceito pode ser classificado em diversos tipos, como os auto-conceitos académico, emocional, social ou físico. Cada qual liga-se a aspectos diferentes do comportamento humano. Entre os constituintes intrínsecos do autoconceito realça-se a auto-estima. Esta deriva dos processos de avaliação que o indivíduo faz das suas qualidades, desempenhos ou virtudes. Ocupa, por isso, um lugar...

  18. Desenvolvimento motor, afecto e pensamento

    Salgueiro, Emílio Eduardo Guerra
    O autor procura mostrar a íntima relação que vê entre o desenvolvimento motor da criança em experiências emocionais com que ela se defronta, desde a nascimento. Cada acto motor tem uma finalidade, que deriva do entendimento emocional que a criança consegue tirar de cada situação, e da caparcidade de resposta que vai adquirindo. Há uma linha de amadurecimento emocional, em paralelo interarctivo com uma linha de amadurecimento motor, e desta interacção vai nascer uma capacidade de pensar. Tal só é possível a partir do encontro com uma figura maternal «contentora, em primeiro lugar, depois com uma figura paternal, organizadora da «função de triangulação ». Ao lado da estruturação de um espaço exterior à criança, esta vai organizando...

  19. Modalidades de funcionamento psicológico do rapaz na fase pubertária

    Moita, Victor Manuel Henriques
    Inexistente

  20. A expressão plástica da criança: Que é a pintura infantil? Qual deverá ser a atitude do adulto face à expressão livre da criança

    Gonçalves, Eurico
    O autor dá-nos uma informação sucinta sobre a evolução gráfica da criança, apontando algumas característicos do desenho infantil como o ideografismo, a transparência, o rebatimento e a perspectiva afectiva. E a partir deste conhecimento que, segundo o autor, nós, os adultos, podemos e devemos encontrar a atitude pedagógica mais adequada, face à expressão livre da criança. Atitude pedagógica que implica uma reflexão sobre: - O sentido da expressão livre que revela o grau de autenticidade da criança, desbloqueando-a e tornando-a mais comunicativa, auto-confiante, responsável, cooperante e interventiva. - O tema que a criança espontaneamente e predominantemente representa e exprime- se através dele. -A série de perguntas que, em lugar de estimularem, paralisam e retardam a evolução plástica infantil. -A criatividade na...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.