Recursos de colección

Repositorio da Universidade dos Açores (8.559 recursos)

O Repositório Institucional da Universidade dos Açores desenvolvido no âmbito do projecto RCAAP.

ARQ - Hist2s - Vol 02 (1997)

Mostrando recursos 1 - 18 de 18

  1. Os direitos humanos e a actual conjuntura internacional

    Andrade, Luís Manuel Vieira de
    Pode-se afirmar que a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, de 26 de Agosto de 1789, constituiu, de facto, um marco fundamental no que concerne à defesa dos direitos inalienáveis e imprescritíveis de todos os homens, independentemente da sua condição económica, social, da sua religião, etc. [...]

  2. Os embrechados na arte portuguesa dos jardins

    Albergaria, Isabel Soares de
    Do francês "brèche" que significa fissura, fenda, ruína ou sulco, a palavra embrechado não tem equivalência noutras línguas, definindo igualmente um tipo decorativo muito usual e, de certa forma, único nos jardins portugueses a partir do século XVII. [...]

  3. Uma confraria da inquisição : a irmandade de S. Pedro Mártir (breves notas)

    Braga, Paulo César Drumond
    [...]. No século XVI, com as misericórdias, a fronteira entre a nova instituição, única na Europa e as antigas confrarias, é pouco clara, resultando mesmo muitas misericórdias da absorção de confrarias medievais. O século XVI foi, contudo, uma época áurea na história das confrarias, pois em meados da centúria existiam em Lisboa 181 destas instituições, [...]. A irmandade de S. Pedro Mártir constituía um caso à parte. Observemos com um pouco mais de pormenor a sua génese. [...]

  4. Nascer nos cárceres do Santo Ofício

    Braga, Isabel M. R. Mendes Drumond
    No pensamento cristão medieval, o casamento tinha por principal objectivo a procriação. Deste modo, o acto sexual só podia tornar-se meritório devido à intenção dos cônjugues gerarem crianças. Apesar do peso destas ideias, havia quem se recusasse a seguir tais normas, como se pode verificar pelo recurso à contracepção, prática detectada logo na Idade Média, e à qual as pessoas foram fazendo recurso cada vez com maior frequência durante o Antigo Regime, o que explica, de entre outros motivos, a diminuição da fecundidade a partir da Revolução Francesa, no caso daquele território. [...]

  5. Considerações sobre o abastecimento de vinho a Lisboa provocadas pelo choro de uma dama antiga (1522)

    Viana, Mário
    O "Pranto de Maria Parda" é sem dúvida um dos textos vicentinos mais populares. Tem por tema a escassez e carestia de vinho motivadas pela seca de 1521, o «anno da sterilidade», conforme ficou registado num documento coevo, e também o ano da morte do monarca português D. Manuel I. O cenário é a cidade de Lisboa, onde, pela boca seca e queixosa de Maria Parda, em jeito burlesco, Gil Vicente traça um pequeno roteiro das tabernas lisboetas,[...].

  6. Informação, espaço e poder : um relatório enviado ao regente D. Pedro (circa 1441)

    Riley, Carlos Guilherme
    Há cerca de seis anos, num colóquio realizado em Lisboa, o hispanista inglês Harold Livermore apresentou uma comunicação em que pela primeira vez tornava público parte do documento cujo estudo hoje aqui retomo. Trata-se da "Copia antiga de uma carta que ao Infante D. Pedro, Duque de Coimbra, mandou o Conde de Abranches estando em Castela". [...]

  7. Ocupação humana e polarização de um espaço rural do Garb-al-Andalus : o Médio Tejo à luz da toponímia arábica

    Conde, Manuel Sílvio Alves
    Na periferia dos grandes centros civilizacionais islâmicos, o Garb-al-Andalus permaneceu, durante muito tempo, à margem dos estudos consagrados à Hispânia muçulmana. A situação melhorou aprecialvelmente na última década, mas, apesar do que até aqui se produziu, o conhecimento da área ocidental do Andalus permanece muito lacunar. Nesses estudos, os espaços rurais do Garb foram, em regra, secundarizados, e o Médio Tejo muçulmano tem sido sistematicamente silenciado, tido por "terra de ninguém". Tal atitude é, até certo ponto, compreensível, em face dos limites das fontes, decorrentes da sua natureza. [...]

  8. A escultura romana imperial no actual território português : as imagens imperiais e os seus espaços de actuação

    Carvalho, Helena Paula Abreu de
    Dentre os abusos de poder de que parece ter sido acusado Júlio César, nos últimos anos da República, incluem-se ter estátuas junto às dos deuses e fazer circular, nas pompas do circo, um carro onde era transportado o seu retrato. Disso nos dá conta Suetónio. [...]. Tentar compreender a função dos retratos imperiais no quadro mais vasto do culto e propaganda do Imperador e do Império pode resumir o problema fundamental posto pelos exemplares que servem de base a este trabalho. [...]

  9. Uma abordagem à estratégia comercial da F.T.M. durante a gerência de José Bensaúde (1866-1922)

    Dias, Fátima Sequeira
    Desde inícios de oitocentos, as experiências efectuadas pelo desembargador Vicente José Ferreira Cardoso da Costa tinham aconselhado a introdução da cultura do tabaco na ilha de S. Miguel, mercê da riqueza do seu solo e do seu clima. A partir de então, numerosos autores salientaram as vantagens da introdução da planta do tabaco nas ilhas, com vista a aumentar o rendimento das famílias açorianas e a diversificar a produção agrícola, no tempo ainda orientada para as culturas da laranja e do milho para exportação. [...]

  10. Revisitando Raposo d'Almeida

    Piazza, Walter F.
    Já se vão quarenta anos que dediquei um primeiro estudo ao autor açoriano Francisco Manoel d'Almeida, com expressiva contribuição à cultura brasileira, quer como jornalista, quer como professor ou, ainda, como investigador de História. Entretanto com a obtenção de novos elementos elucidativos achamos oportuno revisitá-lo. [...]

  11. 1830-1835 : seis anos de criminalidade e violência em Ponta Delgada : subsídios para um estudo multiface

    Silva, Susana Serpa
    [...]. O presente artigo pretende ser uma achega para o estudo da história da criminalidade. Insere-se na investigação, ainda em curso e a que nos propusemos com vista à prestação de P.A.P.C.C., circunscrita à Comarca de Ponta Delgada e ao segundo quartel da primeira metade do séc. XIX. Para a sua concretização, baseamo-nos na análise de processos crime do Tribunal respectivo, bem como em algumas obras oitocentístas, de carácter jurídico, como as da autoria do advogado Joaquim José Caetano Pereira e Sousa (respectivamente edições de 1806 e 1830). [...]

  12. Cultura luso-brasileira, 1772-1808

    Silva, Maria Beatriz Nizza da
    A independência do Brasil em 1822 fez esquecer aos historiadores brasileiros e portugueses uma comunidade cultural que prevaleceu sobretudo desde a reforma da Universidade de Coimbra, a criação da Academia Real das Ciências de Lisboa, e a política desenvolvimentista de D. Rodrigo de Sousa Coutinho. Essa comunidade cultural resultou não só de uma formação universitária idêntica, mas também da política de rotativismo aplicada à administração colonial pela Coroa portuguesa. Homens nascidos no Brasil e formados em Coimbra serviam o Estado primeiro no Reino, ou mesmo em Angola, antes de serem colocados em algum cargo no Brasil, do mesmo modo que...

  13. Passive resistance : portuguese diplomacy of contraband trade during king John V's reign, 1706-1750

    Pijning, Ernst
    During the reign of king John V foreign diplomats negotiated their nation's ability to engage in illegal practices in Portugal and her colonies. In return for their military support and protection, English, French and Dutch representatives pressed the Portuguese government to condone their nation's involvement in contraband trade. The ability of the Portuguese government to hold off such foreign pretensions, depended primarily on their room to manoeuver within European political theathers. [...]

  14. O pão no Arquipélago dos Açores : mudança e articulação das técnicas de cozedura

    Martins, Rui de Sousa
    É sobejamente conhecida a relevância da produção cerealífera na economia e na sociedade açorianas. Da segunda metade do séc. XV até meados do século XVIII, o trigo foi o cereal dominante, se bem que, nas ilhas do Pico e São Jorge, as condições do solo restringissem significativamente a sua cultura. [...]

  15. De Santiago para a Costa da Guiné : a transferência do centro geográfico dos negócios e a manutenção da élite comerciante : as transacções da companhia de António Fernandes Landim e de Francisco Dias Mendes de Brito (1629-1630)

    Torrão, Maria Manuel Ferraz
    Os dois primeiros séculos da história económica-comercial das ilhas de Cabo Verde foram marcados por dois períodos distintos. O primeiro caracterizou-se pela supremacia da Ribeira Grande sobre todo o espaço mercantil da região, sendo os portos dos Rios da Guiné anexos comerciais de Santiago; no segundo, que se iniciou por volta da década de 60 do século XVI, em que era a Guiné, e particularmente o rio de São Domingos, o palco central das actividades mercantis, houve uma transferência dos negócios dos principais comerciantes da ilha para a terra firme fronteira ao arquipélago. [...]

  16. Os municípios da Madeira e o contrato de arrendamento de 1581-1586

    Miranda, Susana Münch
    Em Novembro de 1581 as câmaras municipais da ilha da Madeira, em representação dos seus moradores, arrematavam à coroa a cobrança da totalidade dos direitos reais produzidos no arquipélago por um período de seis anos. Este arrendamento, conhecido como o Contrato dos Povos, consubstanciou uma situação inédita na prática da contratação das rendas reais medeirenses, habitualmente estabelecida, ao longo do século XVI, com mercadores de grossos cabedais. [...]

  17. A dinâmica da propriedade nos primórdios da ocupação dos Açores : estudo de caso : a terra do Porto da Cruz (Ilha Terceira)

    Gregório, Rute Dias
    A dinâmica da propriedade fundiária, em geral, continua a ser um campo -ainda- significativamente desprivilegiado, quer a nível de estudos como de teses. E este constitui um dado do panorama historiográfico, não apenas nacional, como também estrangeiro. [...]

  18. Os Açores na História do Atlântico : sustentáculo da aproximação dos mundos e acervo de património cultural submarino

    Meneses, Avelino de Freitas de
    Oração de Sapiência proferida em Ponta Delgada a 9 de Janeiro de 1996, na cerimónia solene de Abertura das Aulas e de Comemoração do 20º Aniversário da Universidade dos Açores.

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.