Recursos de colección

Estudo Geral - Universidade de Coimbra (19.630 recursos)

ESTUDO GERAL é a designação do repositório digital da produção científica da Universidade de Coimbra, com o objectivo de divulgar conteúdos digitais de natureza científica de autores ligados à Universidade de Coimbra. A sua criação insere-se no movimento de Acesso Livre à Literatura científica (Open Access), ao qual o Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas aderiu em 2006 e que a Universidade de Coimbra subscreveu. À semelhança de outras grandes universidades nacionais e internacionais, a UC tem o maior interesse em aumentar a sua presença na rede informática mundial, sendo cada vez mais - e também por essa via - um emissor de conhecimento e cultura.

FLUC Secção de Estudos Germanísticos - Artigos em Revistas Nacionais

Mostrando recursos 1 - 6 de 6

  1. Telenovela: um desfile de modelos

    Moreira, João Paulo

  2. Modernismo e Pós-Modernismo - O Ponto da Situação

    Ribeiro, António Sousa

  3. O Povo e o Público. Reflexões sobre a Cultura em Portugal no pós-25 de Abril

    Ribeiro, António Sousa

  4. O Estado de Direito e a Repressão: o "Berufsverbot" na Alemanha Federal

    Ribeiro, António Sousa

  5. As Humanidades como utopia

    Ribeiro, António Sousa
    Equacionam-se alguns aspectos da (auto)definição das Humanidades em tempo de reconstrução, defendendo-se o potencial utópico da perspectiva por elas representada num contexto de redefinição global dos saberes

  6. Karl Kraus e o Modernismo: esboço de reinterpretação

    Ribeiro, António Sousa
    Revisita-se o fim do século vienense através de uma das suas figuras capitais, Karl Kraus. Contra a perspectiva ainda corrente que vê em Kraus um autor essencialmente conservador, preso a uma concepção clássica da linguagem e da literatura e hostil a todas as formas de modernidade, defende-se que a obra krausiana está firmemente enraizada no paradigma modernista. O discurso satírico krausiano não se limita a exprimir uma aguda consciência crítica da cena da modernidade, manifesta também uma extraordinária capacidade de apropriação dialógica da heterogeneidade dos discursos que povoam e dominam essa cena. Assim, a crítica de Kraus à modernidade serve-se de formas inovadoras de disrupção das convenções de representação, através de meios estéticos que são caracteristicamente modernistas.

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.