Recursos de colección

Repositorio da Universidade dos Açores (8.657 recursos)

O Repositório Institucional da Universidade dos Açores desenvolvido no âmbito do projecto RCAAP.

DHFCS - Parte ou Capítulo de um Livro / Part of Book or Chapter of Book

Mostrando recursos 1 - 20 de 59

  1. Antero de Quental e Henri Bergson: notas para uma aproximação

    Costa Carvalho, Magda
    Não é inusitada a ideia de aproximar Antero de Quental e Henri Bergson, sobretudo para quem se encontre familiarizado com o pensamento de ambos. Ainda que seja sobejamente conhecida a predileção do primeiro pela filosofia alemã, a presença de autores como Boutroux entre o espólio bibliográfico do poeta-filósofo açoriano anunciam uma sintonia com algumas das preocupações especulativas a que o pensamento francês do século XIX dera voz. Assim, apesar de não ser estruturante no modo de pensar anteriano, a aproximação à filosofia francesa não deixa de se evidenciar ao longo de diversos momentos dos seus textos, "enriquecendo perspetivas, acentuando contornos,...

  2. No rasto do "verdadeiro evolucionismo": o impacto de Darwin no pensamento de Henri Bergson

    Costa Carvalho, Magda; Neves, Maria do Céu Patrão
    Charles Darwin e Henri Bergson cruzaram-se simbolicamente em 1859, ano da publicação de On the Origin of Species e do nascimento de Bergson. Esta coincidência cronológica assume pleno significado se tivermos em conta que a obra bergsoniana representou o primeiro diálogo da metafísica contemporânea com o evolucionismo biológico.

  3. A normativa local da actividade económica. O caso de Vila Franca do Campo (séculos XVI-XVIII)

    Viana, Mário
    Nas correições, nas vereações e nas posturas encontramos, para uma época como os séculos XVI a XVIII, a maior parte da normativa local da actividade económica. As primeiras destas fontes primárias diferem das restantes, entre outros aspectos, por a sua produção depender de um agente externo, o corregedor, e por serem na sua maior parte especificamente dirigidas aos executivos camarários. Correspondem ao que chamaríamos hoje uma avaliação externa do desempenho, ou seja, uma imagem alternativa do poder concelhio. Mas uma imagem muito modelada pela cultura jurídica, política e económica do avaliador, que não difere muito da dos avaliados.

  4. A Arte na Educação

    Castro, Maria Gabriela
    Seguindo o mote que nos foi dado a partir do Corsário das Ilhas, de Vitorino Nemésio: "A atitude radical do ilhéu é chegar à porta de casa e interrogar o mar", discorremos algumas considerações que nos levaram à importância da arte na educação. Os Açores são conhecidos e reconhecidos pelas obras de arte que aqui se fazem, se compõem, se criam e onde o mar permanece sempre um referente presente. Contudo, uma obra de arte é sempre um momento de expressão ou de comunicação de algo que se quer transmitir. E este é um dos grandes desafios que os Açores...

  5. Uma perspectiva atlântica das relações entre a Europa e os Estados Unidos da América

    Andrade, Luís Manuel Vieira de
    "Desde há séculos que a política externa portuguesa tem sido caracterizada por ser euro-atlântica. Isto é, Portugal, de uma forma geral, tentou sempre evitar envolver-se nas querelas continentais europeias o que explica, por exemplo, a aliança luso-britânica, que foi, desde o século XIV, um dos vectores mais importantes dessa política externa. A aliança com a potência marítima dominante constituiu sempre uma preocupação essencial dos governantes portugueses ao longo dos séculos. No final do segundo conflito mundial, os Estados Unidos da América surgem como a grande potência marítima, e é em Setembro de 195 I, que se efectiva, de facto, o...

  6. Abordagem Simbólica da República

    Castro, Maria Gabriela
    No âmbito da temática da República falar de simbologia é uma realidade necessária. A República possui os seus símbolos, como qualquer outro regime político que se afirma pela simbologia capaz de unir os cidadãos e agregar as vontades em torno de um sentimento nacional. Apesar de o nosso título conter a possibilidade de enveredarmos por uma análise dos símbolos da república e por eles tentarmos entender a intencionalidade segunda que os mesmos escondem, entendemos arriscar o desafio de olhar a própria república como um símbolo capaz de abrir o nosso horizonte ideológico à dimensão que lhe é própria, a da...

  7. A fenomenologia e a nova orientação no estudo da vida

    Luz, José Luís Brandão da
    Husserl atribui ao mecanicismo de Descartes a responsabilidade de ter comprometido os desígnios mais universais da filosofia moderna, impregnando-os de um racionalismo objectivista. Pretendemos salientar que esta orientação, apesar de ter sido predominante, não impediu o aparecimento de várias tentativas (Stahl, Espinosa, Leibniz, Bichat, Diderot, etc.) que procuraram reconduzir a compreensão do mundo e do homem a uma maior proximidade dos dinamismos do mundo da vida.

  8. A Imaginação como Ilusão. Apontamentos para o cotejo Ricoeur/Freud

    Castro, Maria Gabriela
    Paul Ricoeur é o filósofo contemporâneo que de um modo muito especial conseguiu dialogar com quase todas as correntes filosóficas e interligá-las em questões fulcrais para o pensamento filosófico actual. Uma delas, e aquela que desde 1991 elegemos como nosso quesito principal, é a questão da imaginação. Paradoxalmente é uma temática que o filósofo não desenvolveu. Mas é também aquela que, em nosso entender, subjaz a todo o entrelaçado do seu riquíssimo pensamento nomeadamente no impressionante trabalho sistematizador que faz da obra de Freud, no livro intitulado De l'interprétation, essai sur Freud, publicado em 1965. De l'interprétation, essai sur Freud...

  9. Antero de Quental: a última palavra da natureza é 'ética'

    Costa Carvalho, Magda
    Antero de Quental (1842-1891) is best known for his poetic work. Nevertheless, alongside this literary work, and in close correlation with it, he produced a corpus of philosophical texts of great depth and relevance. Nature composes a unifying thematic core for his work, and is implicit throughout the author’s entire work. In this paper, we seek to establish the main tendencies of his Evolutionism, both from the positive and metaphysical points of view. On his last work (Tendências gerais da filosofia na segunda metade do século XIX), the author talks about "good" as the fundamental principle of all human actions...

  10. Matthew Lipman: a infância como um deserto de oportunidades perdidas

    Costa Carvalho, Magda
    Quando perguntavam a Matthew Lipman se o propósito da Filosofia para Crianças seria tornar os alunos mais sábios ou mais filosóficos, o autor rejeitava em absoluto a ideia. O objetivo do programa de ensino da Filosofia concebido por Lipman e projetado em conjunto com Ann Margaret Sharp era mais ambicioso: proporcionar às crianças o desenvolvimento de competências cognitivas, sociais e afetivas que as habilitem a lidar filosoficamente com qualquer problema que as interpele enquanto seres humanos. Este artigo divide-se em três partes: a tradução de um excerto de "Philosophy goes to School", uma breve apresentação biográfica do autor e uma...

  11. O encontro de Antero com S. Francisco de Assis: breves notas subsidiárias

    Costa Carvalho, Magda
    Cristão por inspiração íntima e católico por filiação institucional, a relevância da personalidade de S. Francisco de Assis estende-se para lá do domínio estritamente religioso. Profundamente pertencentes ao espírito do seu tempo, o pensamento e a obra do Santo de Assis assumem uma importância extrema na viragem social e espiritual a que a Idade Média assistiu por volta dos séculos XII e XIII. Tido por alguns dos mais importantes intérpretes medievalistas como o inventor do sentimento medieval da natureza, S. Francisco motivou fervorosas adesões à sua espiritualidade e, simultaneamente, assumiu grande relevância enquanto modelo e inspiração nas reflexões de escritores...

  12. Ativos altamente desqualificados e insucesso do sistema de ensino

    Diogo, Fernando
    É inegável a grande transformação por que Portugal passou neste último meio século e, de entre todos os fatores concretos em que se traduz essa transformação, um dos que melhor a corporiza respeita às qualificações escolares dos portugueses. Qualquer que seja o indicador considerado, o volume e a extensão do aumento da escolaridade é bem evidente. Trata-se, aliás, de um processo que replica o que se passou nos outros países desenvolvidos, embora com algum atraso. Contudo, como se sabe, Portugal destaca-se, no contexto da União Europeia, como um país com taxas de escolaridade muito baixas. Se se comparar os Açores...

  13. Ensinar Filosofia a Crianças

    Castro, Maria Gabriela
    Tendo por princípio que o progresso de uma sociedade resulta do desenvolvimento da capacidade de reflexão dos seus membros, importa assegurar o futuro educando para o Pensar. Porém, este Pensar não é abstracto, não se perde nas teias contemplativas do pensamento puro, implicando pensar bem para bem-fazer, bem dizer e bem agir. Ora, pensar exige esforço e uma metodologia adequada. Pensar exige uma dimensão racional, imagética, volitiva e emocional. Pensar exige ainda uma capacidade analítica, crítica, questionante e criativa que se educa desde a mais tenra idade. Assim, a Filosofia para Crianças (FpC) nasce da constatação de que, na maioria...

  14. A fundamentação biológica e psicológica do dinamismo vitalista bergsoniano: uma aliança positivo-metafísica

    Costa Carvalho, Magda
    O pensamento filosófico de Henri Bergson (1859-1941) caracteriza-se pela constante manutenção de uma cooperação operativa entre ciência e metafísica. No que respeita concretamente aos contributos que o filósofo recebeu dos diversos saberes científicos, é necessário realçar uma estreita proximidade mantida com duas áreas: a psicologia e a biologia. Ainda com poucas décadas de existência quando Bergson publicou a sua obra, estas duas ciências desempenharam um papel decisivo no modo como o filósofo concebeu o dinamismo evolutivo que, no seu entender, atravessa todo o mundo natural. Nesse sentido, consideramos que a influência da psicologia e da biologia no projecto filosófico bergsoniano...

  15. A problemática moral na filosofia da natureza de Henri Bergson

    Costa Carvalho, Magda
    A questão moral ocupou um lugar importante no percurso filosófico de Henri Bergson. Após o sucesso de L’évolution créatrice, obra publicada em 1907, o filósofo revelou em diversa correspondência a preparação de uma obra dedicada à acção humana. Problemas estruturais como a onda anti-semítica europeia do início do século XX preocupavam o autor, para quem a filosofia se deveria assumir como guia de uma actuação conscienciosa. Les deux sources de la morale et de la religion, obra publicada em 1932, tornou-se alvo das mais díspares interpretações, trazendo ao bergsonismo, como novos horizontes de problematização explícita, não apenas a questão religiosa,...

  16. A lei de almotaçaria e a política económica de Afonso III

    Viana, Mário
    A chamada «lei de almotaçaria» é um dos documentos portugueses do século XIII mais abundantemente citado pelos historiadores. Essa abundância de referências, contrasta, porém, com a falta de estudos aprofundados. O estudo que se segue pretende contribuir para preencher essa falta, abordando sucessivamente, os seguintes temas: âmbito de aplicação e estrutura do diploma, política económica de Afonso III, salários rurais e preços.

  17. La biologie et la psychologie: les "clefs de contact" du dynamisme vitaliste bergsonien

    Costa Carvalho, Magda
    Notre réflexion aura pour point de départ l’alliance scientifique et métaphysique subjacente au projet bergsonien, en particulier en ce qui concerne les deux sciences que Bergson a choisi comme «démarrage» pour sa philosophie : la psychologie et la biologie. Nous essaierons de mettre en évidence jusqu’à quel point ces deux perspectives ont joué un rôle décisif dans la façon comme le philosophe a conçu le dynamisme évolutif qui traverse tout le monde naturel : soit selon une perspective extérieure à l’œuvre de l’auteur, en ce qui concerne les configurations spécifiques du savoir au cours de la deuxième moitié du XIXème...

  18. Sentir, pensar e agir: singularidades dos adolescentes beneficiários do RSI

    Machado, Natacha; Diogo, Fernando; Rego, Isabel Estrela
    A presente investigação, subordinada à temática "Conceções de adolescentes beneficiários de Rendimento Social de Inserção (RSI) sobre a medida, o caso do concelho da Ribeira Grande", decorreu da constatação de um aumento acentuado do número de processos de RSI e da predominância de uma intervenção remediativa. De acordo com os dados retirados do Sistema Informático da Segurança Social, no dia 29 de novembro de 2009, e atendendo aos dados provenientes do recenseamento geral da população, realizado em 2001, verificou-se que, de 2004 a outubro de 2009, se registou um aumento significativo do número de beneficiários de Rendimento Social de Inserção....

  19. Antero de Quental: a sedução do divino

    Costa Carvalho, Magda
    No âmbito dos vários enigmas que o leitor ainda hoje pode descobrir por detrás das vivências e da obra de Antero de Quental, ocupa lugar de destaque a relação que, enquanto homem, poeta e filósofo, manteve com o divino. Sobre esta questão se têm pronunciado os especialistas, incidindo sobre determinados aspectos da vida do autor ou simplesmente procurando descortinar a razão íntima que atravessa os vários momentos da sua obra. E de uma e outra vez encontramo-nos perante factos e ideias que nos obrigam a repensar e, por vezes, a redimensionar a personalidade e os objectivos de Antero de Quental.

  20. Crítica de Delfim Santos ao neopositivismo

    Luz, José Luís Brandão da
    A crítica que Delfim Santos faz à pretensão do neopositivismo em justificar uma concepção científica do mundo a partir da análise lógica do discurso, assenta na incomensurabilidade entre a ordem discursiva e a ordem da realidade a que o discurso se refere. Os princípios do conhecimento não são coincidentes com os princípios do ser, ou seja, a ordem lógica não abrange integralmente a ordem real da existência. O esforço do pensamento de objectivar a realidade confronta-se permanentemente com o domínio do transobjectivo, pelo que toda a objectivação da realidade permanece sempre aquém do domínio que o conhecimento se propõe objectivar.

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.