Recursos de colección

Repositorio da Universidade dos Açores (8.391 recursos)

O Repositório Institucional da Universidade dos Açores desenvolvido no âmbito do projecto RCAAP.

ARQ - Hist1s - Vol 11 (1989)

Mostrando recursos 1 - 8 de 8

  1. Moisés Sabat, um caso de insucesso na comunidade hebraica de Ponta Delgada no século XIX (...-1864)

    Dias, Fátima Sequeira
    "Este pequeno estudo que agora publicamos insere-se no âmbito de um trabalho de maior envergadura que estamos a realizar sobre a importância da comunidade hebraica na economia açoriana durante o século XIX e alvores do século XX. Baseia-se este estudo em numerosas fontes históricas dispersas pelos nossos arquivos regionais e, sobretudo no riquíssimo acervo documental da casa «Bensaúde e C.ª Ldt.» e da extinta firma de «José Bensaúde e Herdeiros». Neste sentido, está longe de nós a pretensão de aprofundar neste pequeno apontamento um tema tão rico e ao mesmo tempo tão controverso. Assim, vamos tão só estudar o percurso...

  2. Um património tomarense nos finais da Idade Média : os bens de Beatriz Fernandes Calça Perra.

    Conde, Manuel Sílvio Alves
    "Como se sabe, não é fácil, hoje, proceder ao estudo de patrimónios laicos medievais, já que as fontes para tal necessárias quase sempre desapareceram. Ora os instrumentos sucessórios da tomarense Beatriz Fernandes Calça Perra chegaram até nós, através de um traslado dos originais, e permitem-nos proceder a uma avaliação, se bem que genérica, dos bens possuídos por aquela senhora. O facto de haver estipulado a celebração perpétua de missas por sua alma, deixando para tal uma generosa dotação de bens de raiz e designando provedor do testamento o vigário de Tomar, impediu que aqueles documentos se tivessem perdido. […]".

  3. Da origem inglesa dos Almadas : genealogia de uma ficção linhagística.

    Riley, Carlos Guilherme
    "Em 1641, logo após a Restauração, D. Antão de Almada é enviado por D. João IV como chefe de uma embaixada ao Rei de Inglaterra e, na carta a este dirigida, o monarca português frisa que «me pareceo enviar a V. Mgde. por meus embaixadores a D. Antão de Almada do meu concelho que tem origem da antígua nobreza de Inglaterra». Por meados do século XVII já se via assim consagrado, e pela boca do fundador da dinastia de Bragança, um dos aspectos mais prezados da memória linhagística dos Almadas: a origem inglesa da família. Situação a diversos títulos peculiar...

  4. A política externa de D. Afonso IV (1325-1357).

    Gonçalves, Maria Margarida de Sá Nogueira Lalanda
    "A história das relações diplomáticas pode ser apresentada sob várias ópticas. Pierre Renouvin, que dirigiu a publicação de uma importante obra sobre este tema, considera três grandes correntes: a tradicional, que atribui a primazia às relações entre governos, detendo-se profundamente nos interesses políticos das negociações e dos papéis desempenhados pelos seus mentores; uma segunda perspectiva coloca a tónica não nas conjunturas mas sim na longa duração, nas relações entre os povos, baseadas nas suas estruturas ambientais e económicas; a última tendência considerada apenas diverge da anterior ao eleger como trave-mestra não a economia mas os sentimentos nacionais e os comportamentos...

  5. O espaço, essa grande escultura : para uma geografia política do período suevo-visigótico.

    Martins, Rui Cunha
    "[…]. Procuraremos, nesta breve abordagem, contribuir para o estabelecimento de uma geografia política da presença germânica no espaço do actual território português, susceptível de aclarar os contornos da história de Suevos e Visigodos e de, por essa via, constituir ponto de partida para posteriores trabalhos de síntese. Proceder à nomeação das fontes disponíveis e enunciar as condições da sua utilização será o primeiro passo. Procuraremos, em seguida, mediante a apresentação de alguns resultados da investigação efectuada para a zona da Beira interior suevo-visigótica, perspectivar vias de investigação possíveis. […]".

  6. A sociedade de Judá perante as invasões neo-babilónicas do século VI a.C. : clivagens sociais e políticas.

    Caramelo, Francisco José Gomes
    "O séc. VI a.C. significou para o reino de Judá o fim da sua independência política mas, na realidade, foi todo um projecto ambicioso de Estado, à medida das grandes potências tradicionais que se desvaneceu. O projecto davídico e salomónico, que beneficiara do estado de letargia que atravessaram Egipto e potências mesopotâmicas, revelava-se agora uma ilusão pois o Egipto voltava a ter pretensões nos territórios da Síria e Palestina e tanto a Assíria como a Babilónia regressavam à sua ideia quase arquetípica e sempre presente no imaginário político das suas dinastias de unir o Mar Inferior ao Superior. Primeiro Israel,...

  7. A situação política em Portugal nos finais da Idade Média e os reflexos na expansão ultramarina.

    Moreno, Humberto Baquero
    "São muitos os problemas com que se debate Portugal no decurso do século XV. A raiz deles assenta essencialmente na circunstância de D. João I ser um rei que surgiu a partir duma revolução, tendo sido eleito no exercício dessas funções em 6 de Abril de 1385, precisamente nas Cortes de Coimbra, vendo-se obrigado para isso a fazer imensas concessões aos seus apoiantes, o que criou entre a nobreza um espírito favorável à obtenção de sucessivos privilégios. Não cabe aqui discutir quem foram os seus partidários, sendo mais as teorias existentes acerca da origem social dos mesmos do que propriamente...

  8. La Baja Andalucía a fines del medievo

    González Jiménez, Manuel
    "[…]. Qué entendemos por Baja Andalucia? Desde un punto de vista geográfico, la zona objeto de nuestro estudio se correspondería - aunque es ésta una cuestión no del todo dilucidada - con el tramo final del valle del Guadalquivir, dentro del cual se incluyen algunos sectores de las actuales provincias de Sevilla, Cádiz y Huelva. Pero más que lo definido en función de criterios puramente geográficos nos interesa atenernos a una realidad que se ha ido conformando con sus peculiaridades gracias a la acción de los hombres. Y, en este sentido, la Baja Andalucía no es sólo la zona donde...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.