Recursos de colección

Infoteca. Informação Tecnológica em Agricultura (57.271 recursos)

O serviço Informação Tecnológica em Agricultura (Infoteca) reúne e permite acesso a informações sobre tecnologias produzidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), as quais se relacionam às áreas de atuação de seus demais centros de pesquisa. Suas coleções são formadas por conteúdos editados na própria instituição (em forma de cartilhas, livros para transferência de tecnologia, programas de rádio e de televisão), com linguagem adaptada de modo que produtores rurais, extensionistas, técnicos agrícolas, estudantes e professores de escolas rurais, cooperativas e outros segmentos da produção agrícola possam assimilá-los com maior facilidade, e, assim, apropriarem-se de tecnologias geradas pela Embrapa.

Artigo de divulgação na mídia (CNPUV)

Mostrando recursos 1 - 20 de 238

  1. Cuidados pós-colheita em vinhedos.

    SILVEIRA, S. V. da; SANTOS, H. P. dos; CAVALCANTI, F. R.
    Logo após a colheita, nos vinhedos do sul do Brasil, as plantas de videira iniciam uma etapa de transição entre o período vegetativo/produtivo e o período de repouso, conhecido como dormência. Neste período de transição, ao longo do outono, as plantas são estimuladas à dormência pela redução no comprimento do dia e principalmente pelas primeiras massas de ar polar (frente fria causa chuva) com temperaturas próximas ou abaixo de 7°C. Quando a planta recebe esses estímulos, as folhas começam a senescer até cair, perdendo aos poucos a função de fixação de carbono (fotossíntese). Entretanto, enquanto a videira não receber os...

  2. O clima do sul do Brasil e o cancro europeu.

    CZERMAINSKI, A. B. C.
    Desde que foram detectados sintomas de cancro europeu em pomares da região produtora de maçãs do Brasil, foram implementadas pesquisas sobre a doença e sobre o fungo causador, o Neonectria galligena. Sabe-se que o clima tem importante influência sobre a distribuição geográfica do cancro europeu e que os ferimentos resultantes da queda de folhas nos meses de outono são considerados o principal local de infecção. Pesquisas em diversas regiões produtoras do mundo indicaram valores limites para estabelecimento de níveis de risco da doença relativos à temperatura do ar e ao regime de chuvas. Segundo pesquisas anteriores, o fungo desenvolve-se em...

  3. Fruticultura de precisão: uma análise dos desafios e uma nova visão de produção.

    GEBLER, L.
    A agricultura de precisão (AP) nasceu baseada no estudo da variabilidade espacial da safra, principalmente das características de solo (fisicas e químicas). Isso funciona muito bem para grãos e fibras, culturas anuais onde importa a massa produzida.

  4. Abril apresentou chuvas acima da média.

    CONCEIÇÃO, M. A. F.
    2017

  5. Cuidados pós-colheita em vinhedos.

    SILVEIRA, S. V. da; SANTOS, H. P. dos; CAVALCANTI, F. R.
    Logo após a colheita, nos vinhedos do Sul do Brasil, as plantas de videira iniciam uma etapa de transição entre o período vegetativo/produtivo e o período de repouso, conhecido como dormência. Neste período de transição, ao longo do outono, as plantas são estimuladas à dormência pela redução no comprimento do dia e principalmente pelas primeiras massas de ar polar (frente fria causa chuva) com temperaturas próximas ou abaixo de 7°C. Quando a planta recebe esses estímulos, as folhas começam a senescer até cair, perdendo-aos poucos a função de fixação de carbono (fotossíntese). Entretanto, enquanto a videira não receber os primeiros...

  6. Chuvas em março ficam próximas à média histórica do mês.

    CONCEIÇÃO, M. A. F.
    2017

  7. Patógenos quarentenários da macieira no Brasil.

    VALDEBENITO SANHUEZA, R. M.
    2012

  8. Efeito da lavagem dos fungicidas na eficácia de controle das doenças da macieira.

    VALDEBENITO SANHUEZA, R. M.
    2006

  9. Justificativas do manejo de inverno nos pomares de macieiras visando a redução das doenças.

    VALDEBENITO SANHUEZA, R. M.
    Um grande número dos organismos que causam as doenças nas macieiras (patógenos) sobrevive o ciclo todo nas plantas devido, principalmente, à ocorrência no Brasil de invernos e amenos e chuvosos. Os principais refúgios dos patógenos são: ? a parte interna e externa das gemas, ? a superfície do tronco e dos ramos, ? locais abrigados tais como as gemas, as galhas de raízes ("burrknots") e as galhas do pulgão lanígero, ? nas folhas, ? nos frutos que permanecem nos pomares após a colheita, mumificados ou não, ? brotos e flores que se desenvolvem em plantas isoladas sob condições de aumento...

  10. Controle de contaminação por fungos.

    VALDEBENITO SANHUEZA, R. M.
    2008

  11. Uvas de mesa: opção de diversificação usando cultivares desenvolvidas pela Embrapa.

    EMBRAPA UVA E VINHO
    Lançada em 2013 para regiões tropicais, a 'BRS Isis', uma uva vermelha sem sementes tem conquistado produtores e consumidores no Brasil e Exterior. Chama 'a atenção a sua resistência ao míldio, principal doença da videira, o seu sabor neutro agradável e a grande produtividade, o que exige um controle intenso do número e peso de cachos por planta. Com o aumento do cultivo e interesse pela produção de uvas de mesa na Serra Gaúcha, a Embrapa Uva e Vinho realiza, desde 2012, atividades de pesquisa para desenvolver um sistema de manejo para garantir a produção de qualidade de diferentes uvas...

  12. Uma parceria do bem.

    HOFFMANN, A.; GUERRA, C. C.
    Nunca se falou tanto em parcerias e redes. E, em tempos de restrição de recursos públicos e esfriamento das economias privadas, cada vez mais as chamadas parcerias público-privadas, sejam na forma de concessões ou contratos. Estas parcerias são fundamentais para tomar mais eficiente" o uso da estrutura, pessoal e dinheiro da área pública e criar melhores condições de competitividade para os empreendedores privados, aquecendo a economia e fortalecendo a inovação. Um exemplo concreto de uma boa parceria público-privada vem ocorrendo há cerca de 2 anos em Bento Gonçalves, entre a Embrapa e uma empresa do ramo metalomecânico, que está prestes...

  13. Safra 2017: excelente quantidade e a qualidade dependente da localização e do nível tecnológico dos vinhedos.

    ZANUS, M. C.
    Descrevera safra da uva é, essencialmente, abordar dois aspectos: sua quantidade e qualidade. Em 2017, observando os vinhedos da Embrapa e de diversas áreas nas regiões vitícolas do Rio Grande do Sul, pelas condições favoráveis de um inverno com muitas horas de frio (temperaturas abaixo de 10°C), excelente brotação das gemas, que ocorreu em agosto/início de setembro, e pelas condições adequadas da primavera, na fase de floração e pegamento de frutos (com quase nada de doenças, como o míldio), já garantiu uma safra com elevado potencial de quantidade. Ao que tudo evidencia, 2017 terá uma excelente produção, possivelmente maior do...

  14. "Moscato branco" - uma cultivar tipicamente brasileira.

    EMBRAPA. Embrapa Uva e Vinho. Bento Gonçalves, RS.
    Apesar de ser também conhecida como 'Moscato Italiano', a 'Moscato Branco', cultivar referência da Indicação de Procedência Farroupilha para vinhos finos moscatéis, não apresenta identidade com nenhuma das centenas de cultivares de uvas aromáticas moscatos descritas na viticultura italiana. Segundo registros apresentados pela pesquisadora e coordenadora do Programa de Melhoramento Genético da Uva da Embrapa Uva e Vinho, Patrícia Ritschel, durante seminário técnico sobre a cultivar, no dia 10 de janeiro, em Bento Gonçalves (RS), a Moscato Branco já estava presente na Serra Gaúcha em 1932, quando foi introduzi da na coleção da antiga Estação Enológica para multiplicação e distribuição...

  15. Safra da uva de 2017 na Serra Gaúcha.

    ZANUS, M. C.
    Descrever a safra da uva é falar de duas coisas: quantidade e qualidade. A safra de 2017 será de muito boa produção, de quantidade normal, de aproximadamente 650 milhões de quilos com viés para acima do normal.

  16. Consumo de água em vinhedo com e sem cobertura vegetal do solo.

    CONCEIÇÃO, M. A. F.; SOUZA, R. T. de
    O Consumo hídrico, ou evapotranspiração de um vinhedo (ETv), envolve três componentes principais: a transpiração das videiras (Tv); a transpiração da vegetação de cobertura do solo (Tc); a evaporação da água do solo sem vegetação de cobertura (Es). Quando o solo é mantido limpo, a evapotranspiração do vinhedo equivale à soma da transpiração das videiras com a evaporação da água do solo (ETv = Tv + Es). Já quando se deixa uma vegetação espontânea Consumo de água em vinhedo com e sem cobertura vegetal do solo o consumo de água do vinhedo será igual à transpiração das videiras somada à...

  17. Gestão da fertilização azotada na vinha.

    BRUNETTO, G.; CERETTA, C. A.; FERREIRA, P. A. A.; COUTO, R. R.; SILVA, L. O. S; DE CONTI, L.; MELO, G. W. B. de; ZALAMENA, J; COMIN, J. J.; LOURENZI, C. R.; AMBROSINI, V. G; GIROTTO, E.; GATIBONI, L. C
    Solos arenosos e com baixo teor de matéria orgânica cultivados com videiras podem não disponibilizar a quantidade de azoto(N) necessária para suprir as necessidades das plantas. Assim, torna-se necessário para suprir as necessidades das plantas. Assim, torna-se necessário a aplicação de N na vinha, quer com fertilizantes

  18. O granizo como condição predisponente ao desenvolvimento do cancro europeu das pomáceas.

    ALVES, S. A. M.
    Granizo (ou saraiva) é a forma de precipitação que consiste na queda de pedaços irregulares de gelo, comumente chamados de pedras de granizo. Essas pedras são compostas por água no estado sólido e medem entre 5 e 200 mm de diâmetro, sendo as pedras maiores provenientes de tempestades mais severas. A queda de glóbulos ou pedaços de gelo que têm entre 5 e 50 mm ou mais de diâmetro é denominada saraiva, sendo que este termo também é utilizado por muitos institutos meteoro lógicos para se referir a qualquer tempestade com queda de gelo. E possível, dentro da maioria das...

  19. Ocorrência de danos mecânicos nas linhas de beneficiamento e classificação de maçãs.

    ANTONIOLLI, L. R.
    Com a colheita da maçã chegando, é hora de fazer os últimos ajustes nas linhas de beneficiamento e classificação para reduzir os danos mecânicos causados principalmente por impacto. Esses danos podem ocorrer durante a colheita, transporte, beneficiamento, expedição e até mesmo durante a exposição das frutas nas gôndolas dos supermercados, devido tanto aos choques contra superficies rígidas quanto àqueles entre as próprias frutas. Por ser cumulativa, a incidência de danos mecânicos é agravada após cada etapa de manuseio.

  20. Rede de pesquisa apresenta resultados sobre o controle da dormência de frutíferas de clima temperado.

    FIALHO, V. M. Z. B.
    Frente aos prognósticos de mudanças climáticas, há sete anos, pesquisadores da Embrapa, Epagri, Fepagro e Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) vêm fazendo uma série de experimentos, coletas e observações sobre os mecanismos de controle da dormência, visando buscar alternativas para a continuidade da produção de frutas de clima temperado, como é o caso da maçã. Os primeiros resultados obtidos nas áreas de genética molecular, melhoramento genético, modelagem e fisiologia vegetal, levando em consideração os fatores genéticos e ambientais que influenciam no processo, foram apresentados no I Workshop sobre Dormência em Frutíferas. O evento aconteceu no dia 13...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.