miércoles 16 de abril de 2014

 

 



Soy un nuevo usuario

Olvidé mi contraseña

Entrada usuarios

Lógica Matemáticas Astronomía y Astrofísica Física Química Ciencias de la Vida
Ciencias de la Tierra y Espacio Ciencias Agrarias Ciencias Médicas Ciencias Tecnológicas Antropología Demografía
Ciencias Económicas Geografía Historia Ciencias Jurídicas y Derecho Lingüística Pedagogía
Ciencia Política Psicología Artes y Letras Sociología Ética Filosofía
 

rss_1.0 Recursos de colección

Repositório Comum (9.066 recursos)
É um repositório para instituições de ensino e investigação produtoras de literatura científica cuja dimensão ainda não justifica a criação de um repositório próprio. Permite integrar instituições, grupos ou indivíduos na infra-estrutura do projecto, nomeadamente através das pesquisas do Portal RCAAP e da B-On.

CAM - Artigos em Revistas Científicas Nacionais

Mostrando recursos 1 - 20 de 65

1. A proto-Madrasa al Muwahhid de Qasr al-Fath/Alcácer [do Sal]: definição e localização - Carvalho, António Rafel; Wu, Chia-Chin
Fundamentação da tese de que terá existido uma madrasa em Alcácer do Sal (Setúbal) em época almóada, provavelmente fundada pelo califa Ya’ qūb al-Manṣūr no ano 1191, equivalente ao ano 587 do calendário islâmico. Os autores retomam uma problemática que defendem desde 2000 e apresentam novos elementos e testemunhos arqueológicos. Com base na realidade de Alcácer, propõem a aplicação de um novo conceito, proto-madrasa, mais adequado à caracterização de uma instituição de ensino religioso, administrativo e político tutelada pelo Estado islâmico, mas ministrada em espaço físico adaptado a estruturas pré-existentes, dispensando arquitectura específica.

2. Uma reflexão sobre a etimologia do topónimo do Rio que Passa em Al-Qsar/Alcácer [do Sal]: de rio Çaadam/Sadão a rio Sado - Carvalho, António Rafael
Reflexão sobre a origem etimológica do topónimo Sado, uma das questões historiográficas que permanece inconclusiva, ligada à toponímia do Alentejo e, em particular, de Alcácer do Sal. O autor expõe cronologicamente as várias fontes a que teve acesso e reflecte sobre essa informação. Defende a tese de um topónimo gerado no seio da fi sabīl Allāh (sinónimo de Ğihād) praticada no vale do rio Sado no final do Período Islâmico.

3. O AE Follis do Imperador Bizantino Romanos I Lekapenos encontrado em al-Qsar/Alcácer [do Sal]: um contributo para o seu estudo - Carvalho, António Rafael
Apresentação de estudo sobre moeda cunhada em Constantinopla no reinado do imperador bizantino Rōmanos I Lekapēnos (920-944), encontrada no interior do castelo de Alcácer do Sal (Setúbal). Trata-se de achado único nesta região do antigo mundo ocidental islâmico, permitindo ao autor contextualizar a sua presença no âmbito das transformações políticas e administrativas da época.

4. A torre medieval de Santa Catarina de Sítimos: elementos para o estudo do sistema defensivo de Alcácer do Sal em contexto almóada - Carvalho, António Rafael
Estudo da torre de Santa Catarina de Sítimos (Alcácer do Sal, Setúbal), no contexto dos sistemas defensivos tardo-islâmicos em espaço rural, na área entre a Serra da Arrábida e Évora ou Beja. Provavelmente erguida sob domínio almóada, em 1191, esta torre permitia defender um vasto território, garantia a segurança de uma importante via militar e apoiava o controlo da fronteira do califado.

5. Intervenção arqueológica no mercado velho de Palmela: primeiros resultados - Carvalho, António Rafael
Apresentação dos primeiros resultados da intervenção arqueológica no chamado “Mercado Velho” da vila de Palmela (Setúbal), que contribuiu de forma assinalável para o conhecimento do quotidiano tardo- medieval desta área urbana. O autor destaca o achado de produções cerâmicas do século XIV oriundas do reino de Fez (Marrocos), pela primeira vez documentadas em Portugal.

6. A Musalla do Hish Turrus/Torrão: uma hipótese de trabalho - Carvalho, António Rafael
Síntese de estudo sobre estrutura religiosa muçulmana identificada em 2006 na vila do Torrão (Alcácer do Sal, Setúbal), a maior conhecida no território português. No contexto do debate sobre o papel da região em período islâmico, o autor procura interpretar o sítio e as características arquitectónicas, cronologia e funções do edifício, que classifica como mesquita a céu aberto (musalla).

7. A linguagem das formas dos dois lados do estreito - Torres, Cláudio

8. Uma inscrição em caracteres do Sudoeste Achada em Mértola - Faria, António Marques de

9. O conjunto musivo de Mértola e o baptistério: balanço das escavações recentes - Lopes, Virgílio
Pretende-se com este trabalho abordar os resultados das escavações arqueológicas efectuadas recentemente na zona do forum da antiga cidade romana de Myrtilis. As primeiras descobertas devem-se a Estácio da Veiga, que nos finais do século XIX exumou, na zona do forum-alcáçova, um importante mosaico policromo com uma tartaruga como temática principal. Posteriormente, e desde 1979, as escavações feitas pelo Campo Arqueológico de Mértola puseram a descoberto um significativo conjunto de vestígios deste tipo de material decorativo tão difundido no período romano e que fez a glória de Bizâncio. Do conjunto musivo fazem parte representações mitológicas (das quais se destaca um painel com...

10. Análise arqueológica da necrópole islâmica de Beja - Serra, Miguel
Os trabalhos de acompanhamento arqueológico efectuados pela empresa Palimpseto, Lda. No projecto de remodelação da rede pública de água de Beja, entre 2006 e 2007, levaram à detecção de enterramentos islâmicos em diversas artérias da cidade. Estes novos elementos permitiram redefinir a localização proposta para uma das necrópoles islâmicas de Beja. Foram identificados 19 enterramentos em 3 núcleos distribuídos ao longo de 225 metros de extensão compreendidos entre a Rua de Mértola e a Rua Gomes Palma. O ritual funerário, associado à obtenção de uma datação por radiocarbono permite-nos situar a ocupação desta necrópole entre o século X e os...

11. La colección antroplógica de Campo Arqueológico de Mértola (s. II-XVI): reconstruir la sociedad y los modos de vida a partir del registro funerario - Candón Morales, Alicia

12. Estudo do armamento islâmico procedente da escavação na encosta do castelo e na alcáçova de Mértola - Rafael, Lígia

13. A casa rurale nel territorio di Mértola: studio tipologico - Agostini, Ilaria; Vannetiello, Daniele

14. Prospecções arqueológicas no rio Guadiana: porto de Mértola - Simplício, Maria Cândido; Barros, Pedro Faustino da Costa; Garcia, Ana Catarina

15. A preliminary analysis of the paleochristian and islamic cemeteries of Rossio do Carmo, Mértola, Portugal - McMillan, Garnet P.

16. Loiça dourada de Mértola - Gómez Martínez, Susana

17. La famille des Banu Wazir dans le Garb d'al-Andalus aux XII et XIII siècles - Khawli, Abdallah

18. Pressupostos mentais do culto dos mortos - Mattoso, José

19. Homenagem a Borges Coelho - Mattoso, José

20. Paleoetnobotânica (finais séc. XI a séc. XIII/XIV) do Sul de Portugal - Setúbal, Mértola e Silves - Pais, João
Apresenta-se tentativa de síntese acerca do material vegetal recolhido na Travessa da Portuguesa (Setúbal, séc. XII e/ou XIV), alcáçova do castelo de Mértola (finais séc. XI a inícios do séc. XIII) e no Castelo de Silves (fins séc. XII/séc. XIII). Na Travessa da Portuguesa predominam fruteiras (figueira, pessegueiro, ginjeira, ameixeira, romãzeira). Em Mértola, a presença de melão, linho, trigo e chícharos indica contexto agrícola com características de maior secura. A associação recolhida no castelo de Silves, distingue-se, nomeadamente, pela presença de Celtis australis (lodão bastardo) e de Juniperus phoenicea (sabina), e pela ausência de Pinus pinea.

Página de resultados:
 

Busque un recurso