Recursos de colección

Repositório do Hospital Prof. Doutor Fernando Fonseca (3.541 recursos)

The Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca E.P.E. (HFF) institutional repository collects, preserves and disseminates the intellectual output of its professionals in digital format. Its aims are to increase the HFF’s investigation visibility and citation impact, to foster scientific communication and to preserve the HFF’s intellectual memory.

Psilogos Vol.1 Nº2 (Jan 2005)

Mostrando recursos 1 - 12 de 12

  1. Prevalência de ansiedade e depressão nos doentes seguidos na unidade terapêutica de dor do Hospital Fernando Fonseca

    Ferreira, B; Sennfelt, D; Luis, A
    A dor acarreta sofrimento emocional e diminuição da qualidade de vida. Frequentemente, são observadas perturbações de ansiedade e depressão no doente com dor. Com o objectivo de estudar a p revalência de ansiedade, e depressão na Unidade Terapêutica de Dor do Hospital Fernando Fonseca, 54 doentes nela seguidos foram avaliados mediante o preenchimento da Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS). A dor foi quantificada através do preenchimento da Pain Visual Analogue Scale (VAS). Na sub-escala de ansiedade, 63% das mulheres e 15% dos homens apresentaram valores considerados elevados (cotações iguais ou superiores a 11). Na sub-escala da depressão, 42% das mulheres e 27% dos...

  2. Creio num engenho que falta mais fecundo de harmonizar as partes dissonantes: fundamentação para a integração em psicoterapia

    Vasco, A
    Iniciando por constatar, que o fenómeno da integração em psicoterapia é um dos movimentos que caracteriza o campo da psicoterapia nos últimos anos, o autor propõe três ordens de razões para explicar a pertinência da integração. Razões de ordem histórica e psicossocial, razões de ordem empírica e razões de ordem filosófica. Aborda, ainda,a necessidade de reflectir, a nível de integração, em termos de "complementaridade paradigmática."

  3. Imagem corporal e doenças do comportamento alimentar

    Maximiano, J; Miranda, M; Tomé, C; Luis, A; Maia, T
    As Doenças do Comportamento Alimentar (DCA) devem ser entendidas numa perspectiva multidimensional, valorizando-se o contexto biopsicossocial. Nestas patologias é o corpo, em primeira instância, que revela a doença, sendo desta forma o alvo de expressão do conflito. Apresenta uma vivência perturbada e uma fraca estruturação da Imagem Corporal. Esta entende-se como a construção subjectiva que o indivíduo formula na sua mente, acerca do seu corpo, em interacção com os diferentes contextos de vida. Os estudos neste âmbito visam, por este motivo, a compreensão do grau do distúrbio da Imagem Corporal nas DCA, tendo vindo a concluir que na generalidade dos casos não existem alterações na...

  4. Amar e ser amado

    Rocha, A
    O presente artigo pretende abordar a forma como a relação precoce entre a mãe e o seu bebé, que começou ainda no útero, vai determinar a qualidade de vida relacional de cada um de nós, enquanto sujeitos. Os possíveis desvios ou desencontros nesta interacção trarão como consequência diversas pert u rbações na riqueza da nossa vida afectiva. Por outro lado, uma boa interacção mãe – bebé favorece os fundamentos da formação do vínculo amoroso. Surge assim, por fim, a ideia que é deste sentimento amoroso e da realização do mesmo, que resulta uma vida rica e plena de afectos.

  5. Caracterização e intervenção na fase prodrómica da psicose

    Ribeiro, A; Borges, G
    As autoras fazem uma revisão da caracterização e intervenção na fase prodómica da psicose de acordo com alguns grupos de trabalho empenhados no estudo dos modelos de intervenção precoce na psicose e sua aplicação. As autoras salientam a importância do estabelecimento de critérios operacionais da população em risco de desenvolver um primeiro surto psicótico, no sentido da minimização dos custos da psicose e melhoria do prognóstico.

  6. Uma aparente encenação histérica

    Roquette, T
    A autora propõe uma reflexão sobre um caso clínico, de uma paciente de 61 anos, à luz dos dados que retirou da avaliação psicológica. Da entrevista clínica e da interpretação dos testes projectivos pôde aceder a uma caracterização do funcionamento psíquico. Revelou dessa forma que determinadas demonstrações tidas como histriónicas, até à sua morte por suicídio, eram na verdade expressões de um funcionamento inscrito numa patologia-limite grave.

  7. Previsão do risco de violência nas perturbações mentais

    Talina, M
    As investigações mais recentes sobre psicose e violência mostraram que existe uma associação positiva significativa, embora o risco de violência na psicose seja muito inferior em comparação com o risco de violência associado ao abuso de substâncias ou perturbações de personalidade e de uma forma geral os predictores de violência nos doentes são os mesmos que nos indivíduos sem perturbações mentais. Os psiquiatras e psicólogos na actividade clínica e forense frequentemente efectuam previsões de comportamentos violentos e a partir da década de 90 têm sido desenvolvidos instrumentos de avaliação do risco de violência, baseados em métodos estatísticos para melhorar a eficácia das avaliações de...

  8. O insight nos doentes esquizofrénicos: instrumentos de avaliação

    Almeida, S; Gamito, A; Maia, T
    É conhecido que os doentes esquizofrénicos apresentam um insight pobre relativamente à sua doença. Existem vários estudos que sugerem que este insight pobre está etiologicamente relacionado com os défices neuropsicológicos de esquizofrenia e que prediz a adesão ao tratamento e o prognóstico da doença a longo prazo. Os autores apresentam a adaptação portuguesa de duas escalas de avaliação do Insight: a SMUD e a ITAQ.

  9. Abordagem centrada na pessoa: relação terapêutica e processo de mudança

    Santos, C
    A Abordagem Centrada na Pessoa surge como reacção aos paradigmas psicanalítico e comportamentalista propondo uma diferente visão do ser humano sobre a qual será criada uma nova forma de terapia: a terapia centrada na pessoa. Depois de caracterizar as ideias-chave destes princípios e valores, o autor re f e re a sua relação com os conceitos fundamentais desta abordagem. A presentará seguidamente uma breve caracterização da terapia centrada na pessoa focalizando-se nas condições para a mudança terapêutica.

  10. Rash cutâneo tardio na terapêutica com lamotrigina: a propósito de um caso clínico

    Ribeiro, R; Rosa, A; Maia, T
    O uso de Lamotrigina na Doença Bipolar está a p rovado desde 2003 pela F.D.A.. O rash é o efeito secundário mais comumente encontrado e é um motivo frequente de descontinuação do tratamento. Têm sido descritos casos raros de r a s h t a rdio. A propósito de um caso clínico, revêem-se os dados existentes na literatura, respeitantes à utilização de Lamotrigina em doentes bipolares dando-se principal enfoque ao rash, particularizando ainda alguns aspectos do rash com surgimento tardio, de que é exemplo o caso apresentado.

  11. Perturbação de pânico ou espasmofilia?

    Ribeiro, B
    O autor descreve um caso de uma doente de 30 anos, sexo feminino, que apresenta episódios súbitos e inesperados de parestesias, sensação de dificuldade respiratória, sensação de sufoco, disartria e espasmo carpal, que numa primeira abordagem lembra um Ataque de Pânico, em que foi diagnosticada Espasmofilia. O autor faz uma b reve revisão sobre o tema da Espasmofilia e da sua eventual relação com os Ataques de Pânico, seguido da discussão diagnóstica.

  12. Editorial

    Maia, T

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.