Recursos de colección

Infoteca. Informação Tecnológica em Agricultura (56.683 recursos)

O serviço Informação Tecnológica em Agricultura (Infoteca) reúne e permite acesso a informações sobre tecnologias produzidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), as quais se relacionam às áreas de atuação de seus demais centros de pesquisa. Suas coleções são formadas por conteúdos editados na própria instituição (em forma de cartilhas, livros para transferência de tecnologia, programas de rádio e de televisão), com linguagem adaptada de modo que produtores rurais, extensionistas, técnicos agrícolas, estudantes e professores de escolas rurais, cooperativas e outros segmentos da produção agrícola possam assimilá-los com maior facilidade, e, assim, apropriarem-se de tecnologias geradas pela Embrapa.

Séries Anteriores (CNPDIA)

Mostrando recursos 1 - 19 de 19

  1. Análise da estrutura da glutamina sintetase por microscopia de força atômica: primeiros resultados.

    HERRMANN, P. S. P.; FROMMER, J.; COLNAGO, L. A.
    1997

  2. Preparação de amostras de DNA em vidro e mica, para realização de microscopia de força atômica.

    BERNARDES FILHO, R.; OSIRO, D.; COLNAGO, L. A.
    1997

  3. Automação de um sistema de medida de turgescência em plantas.

    BERTUCCI NETO, V.; PESSOA, J. D. C.; CRUVINEL, P. E.; CALBO, A. G.
    1997

  4. Análise do teor de proteínas e carboidratos em produtos de origem vegetal por RMN de 13C1.

    ZERI, A. C. M.; BONAGAMBA, T. J.; COLNAGO, L. A.; BERNARDES FILHO, R.; VIDOTO, E.; PANEPUCCI, H.
    1996

  5. Análise da densidade de madeira por tomografia.

    VAZ, C. M. P.; PEREIRA, J. C. D.; CRESTANA, S.; NAIME, J. M.; CRUVINEL, P. E.
    1996

  6. Sistema de informação em elementos de aquisição de dados para ambiente agropecuário.

    INAMASU, R. Y.; BERTUCCI NETO, V.; FERREIRA, W. S.; SOTTO, C. A. B.; TORRE NETO, A.; NAIME, J. M.; RABELLO, L. M.; CRUVINEL, P. E.; BERNARDES FILHO, R.; HERRMANN JUNIOR, P. S. P.; VAZ, C. M. P.
    1996

  7. Uma abordagem probabilística para quantificar o movimento de solutos no solo em uma escala de bacia hidrográfica.

    ESKES, S. J. T.; CRESTANA, S.
    Apresenta uma metodologia probabilística para quantificar a lixiviação de solutos em uma escala de bacia hidrográfica. O conceito de função transferência é empregado, mas ao invés de utilizar funções transferências analíticas, foi desenvolvido um modelo numérico, permitindo-se obter muito mais flexibilidade no emprego deste conceito, quando se pretende calcualr o transporte de soluto em escala de campo. O modelo numérico estocástico desenvolvido pode ser caracterizado como um modelo Lagrangeano descontínuo.

  8. Aplicação de fotoluminescência para determinação do grau de humificação da matéria orgânica em solos sob plantio direto e manejo convencional.

    MILORI, D. M. B. P.; GONZÁLEZ PÉREZ, M.; BAGNATO, V. S.; MELO, W. J. de; MARTIN-NETO, L.
    O manejo convencional dos solos, envolvendo intensivo revolvimento, associado a fatores como a erosão hídrica tem ocasionado a degradação dos solos. Entre as medidas tomadas para deter o empobrecimento e a erosão dos solos está a busca de técnicas agrícolas alternativas às tradicionais. Uma alternativa para produção agrícola ao sistema convencional de manejo, que inclui aração, gradeação, plantio e cultivo mecânicos subsequentes, é o chamado plantio direto, onde o solo praticamente não sofre revolvimento e aplica-se o controle químico das ervas daninhas.

  9. Tomógrafo de resolução micrométrica para estudos do sistema água-solo-planta.

    MACEDO, A.; VAZ, C. M. P.; CRUVINEL, P. E.; CRESTANA, S.
    1996

  10. Técnicas fototérmicas na agricultura.

    MELO, W. L. de B.; CRUVINEL, P. E.
    Nos recentes anos as técnicas fototérmicas emergiram como ferramentas valiosas para caracterização óptica e térmica de uma grande quantidade de amostras tendo grandes vantagens sobre as técnicas tradicionais em sensibilidade e precisão.

  11. Técnica de indução de raios X por partículas na identificação e medida da concentração de elementos e elementos-traço em solos e plantas.

    CRUVINEL, P. E.; CRESTANA, S.
    Indução de raios X por partículas (PIXE) é uma técnica quue permite a detecção simultânea de todos os elementos com número atômico acima do Mg. Téccnicas nucleares têm proporcionado uma série de contribuições importantes no campo das novas metodologias para estudo de elementos e elementos-traço em amostras de solo e plantas.

  12. Caracterização de ácidos graxos livres nos corpos protéicos do milho por RMN.

    FORATO, L. A.; COLNAGO, L. A.; GARRAT, R.; LOPES, M. A.
    É bem-conhecida a deficiência nutricional das proteínas do grão de milho por seu baixo teor de triptofano e lisina (Lastity, 1996). Como o milho é uma das principais fontes protéicas da dieta humana e animal, há grande interesse em melhorar sua qualidade protéica. As proteínas de reserva (zeínas) representam de 75 a 80% das proteínas deste cereal e por isso as técnicas usadas para melhorar a qualidade protéica estão relacionadas com a sua redução nos grãos ou à modificação do conteúdo de seus aminoácidos.

  13. Avaliação do uso da tomografia de ressonância magnética para estudo de infestação de moscas-das-frutas.

    BISCEGLI, C. I.; NASCIMENTO, A. S. do; COLNAGO, L. A.
    A tomografia de ressonância magnética - TORM foi utilizada primordialmente na medicina como técnica de diagnóstico por imagem. Esse método é também apropriado para investigação e monitoramento de danos causados por infestação porque permite a visualização não-invasiva de atributos do interior dos frutos, normalmente não detectados por técnicas convencionais.

  14. Uso de microscopia de força atômica para visualização de bacteriófagos filamentosos.

    BERNARDES FILHO, R.; OSIRO, D.; HERRMANN, P.S.P.; COLNAGO. L.A.; FROMMER, J.E.
    Dentre as várias ferramentas que possibilitam o conhecimento das estruturas das moléculas biológicas, em nível atômico, a técnica da Difração de Raios X por monocristais tem tido papel preponderante.

  15. Instrumentação para automação de processo de fermentação semi-sólida.

    BERTUCCI NETO, V.; COURI, S.
    O mercado mundial de enzimas industriais foi estimado em 625 milhões de dólares, em 1990. Cerca de 62 % das enzimas produzidas são usadas pela indústria de alimentos, 33% em detergentes e 5% nas indústrias têxtil e de couro. Das enzimas produzidas, 80% são hidrolíticas, utilizadas para a despolimerização I de produtos naturais. Destas, 60% são proteases, 30% carboidrases, 3% lipases e o restante enzimas especializadas tais como as pectinases. Na indústria de alimentos o maior uso está no processamento do amido seguido pela produção de queijos, processamento de sucos de frutas e vegetais, clarificação de sucos e vinhos, panificação...

  16. Utilização de fibras vegetais para reforço de plásticos.

    MATTOSO, L. H. C.; PEREIRA, N.; SOUZA, M. L. de.; AGNELLI, J. A. M.
    1996

  17. Reformulação das deduções de Lockhart levando em conta a turgescência e a sucção como fatores de crescimento.

    PESSOA, J. D. C.; CALBO, A. G.
    1996

  18. Estudo de solos colapsíveis por método não-invasivo.

    NAIME, J. M.; CONCIANI, W.; SOARES, M. M.; CRUVINEL, P. E.; CRESTANA, S.
    1996

  19. Uso de ressonância magnética nuclear na caracterização de ácidos húmicos de solos sob diferentes manejos.

    MARTIN NETO, L.; COLNAGO, L. A.; BONAGAMBA, T. J.; PANEPUCCI, H. C.; VIEIRA, E. M.; MIYAZAWA, M.
    1996

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.