Recursos de colección

Infoteca. Informação Tecnológica em Agricultura (57.024 recursos)

O serviço Informação Tecnológica em Agricultura (Infoteca) reúne e permite acesso a informações sobre tecnologias produzidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), as quais se relacionam às áreas de atuação de seus demais centros de pesquisa. Suas coleções são formadas por conteúdos editados na própria instituição (em forma de cartilhas, livros para transferência de tecnologia, programas de rádio e de televisão), com linguagem adaptada de modo que produtores rurais, extensionistas, técnicos agrícolas, estudantes e professores de escolas rurais, cooperativas e outros segmentos da produção agrícola possam assimilá-los com maior facilidade, e, assim, apropriarem-se de tecnologias geradas pela Embrapa.

Artigo de divulgação na mídia (SGTE)

Mostrando recursos 1 - 20 de 38

  1. Vulnerabilidade da água subterrânea no Matopiba

    SPADOTTO, C. A.; MINGOTI, R.
    O Planejamento e a gestão de uso e ocupação do solo por meio da restrição e da fiscalização das atividades antrópicas são uma estratégia eficaz para a proteção dos recursos hídricos.

  2. Lençóis freáticos

    SPADOTTO, C. A.
    Apesar de a água cobrir grande parte da superfície da Terra, menos de 3% são de água doce e a maior parte está em geleiras. Somente 0,65% da água do planeta encontra-se em rios, lagos, lençóis freáticos e aquíferos. A diversidade da vida na Terra e o equilíbrio da natureza dependem da água, assim como a sustentabilidade das atividades humanas.

  3. Produção de trigo no país pode ganhar novas fronteiras, indica estudo da Embrapa

    CARVALHO, F. R. de
    A produção de trigo no Brasil poderia ganhar novas fronteiras, em algumas regiões do território nacional, se houvesse especialmente novas políticas públicas de incentivos para o setor e investimentos em logística e transporte. Hoje, o país produz quase metade das 11 milhões de toneladas que consome desse cereal, sendo que 70% do total são destinados à panificação. Ainda importa de cinco milhões a seis milhões de toneladas a cada ano, principalmente da Argentina, a custos mais baixos, graças aos acordos bilaterais do Mercado Comum do Sul (Mercosul).

  4. Gestão territorial para prevenir novas pragas

    MINGOTI, R.; SPADOTTO, C. A.
    Pelo menos 35 novas pragas agrícolas foram detectadas nos últimos 10 anos, e novas ameaças com potencial de causar grandes danos à agricultura brasileira estão na iminência de chegar ao país. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) tem adotado medidas para reforçar o controle e prevenir a entrada e o estabelecimento destas novas ameaças, conhecidas como pragas quarentenárias.

  5. Agora é para o Sul: depois de se deslocar à procura das fronteiras agrícolas do Norte, a pecuária caminha na contramão

    SPADOTTO, C. A.; MINGOTI, R.
    Hã dez ano , o crescimen10 do rebanho bovino nacional tem se deslocado cm direção oposta à região amazônica. foi o que mostrou estudo da Embrapa Gestão Territorial (SP) por meio de dados obtidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A pesquisa registra que, a partir de 1974, a atividade pecuária deslocava-se pelo país em direção ao Noroeste. Esse movimento manteve-se até 2006 quando, tanto a pecuária de corte como a leiteira, iniciou movimento contrario em direção ao Sul.

  6. De olho no berço das águas

    SPADOTTO, C. A.; MINGOTI, R.
    Considerado por especialistas o berço das águas ? pois abriga os aquíferos Guarani, Bambuí e Urucuia - o Cerrado brasileiro tem em regiões de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Bahia suas áreas mais sujeitas à contaminação natural por agentes químicos (veja infográfico). A constatação é de pesquisa realizada pela unidade Gestão Territorial da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), sediada em Campinas, interior de São Paulo, que mapeou remotamente o bioma.

  7. Pesquisadores identificam 12 possíveis portas de entrada de nova praga no país

    PESSOA, M. C. P. Y.; PRADO, J. S. M.; SA, L. A. N. de; MINGOTI, R.; SPADOTTO, C. A.; HOLLER, W. A.
    Doze Estados brasileiros podem servir de porta de entrada para uma nova praga no País: um inseto, que depois se transforma na lagarta Chilo partellus. O alerta é dos pesquisadores da Embrapa ? unidades de Meio Ambiente e de Gestão Territorial da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária ? para Alagoas, Bahia, Espirito Santo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Roraima, São Paulo e Sergipe. Estas regiões foram priorizadas pelo trabalho da estatal por terem mais probabilidade de surgimento da praga.

  8. Monitoramento da Helicoverpa é tema de publicações da Embrapa

    PESSOA, M. C. P. Y.; PRADO, J. S. M.; SA, L. A. N. de; MINGOTI, R.; HOLLER, W. A.; SPADOTTO, C. A.
    Dois trabalhos realizados por pesquisadores da Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP) e Embrapa Gestão Territorial (Campinas, SP), priorizaram regiões do país para o monitoramento de Helicoverpa armigera em cultivos hospedeiros, localizados no Bioma Cerrado.

  9. Embrapa identifica áreas do cerrado com lençóis freáticos mais sensíveis

    SPADOTTO, C. A.
    Levantamento inédito realizado pela Embrapa ao longo de todo o cerrado brasileiro identificou uma séria de regiões onde as águas subterrâneas são "mais vulneráveis"" e correm maior risco de contaminação. Os dados foram obtidos com a ajuda de bancos de informações e imagens de satélite e podem ajudar a apontar áreas que merecem um olhar mais atento dos órgãos de fiscalização.

  10. Gestão territorial para a sustentabilidade da nossa agricultura

    SPADOTTO, C. A.
    Com frequência sou indagado sobre gestão territorial, qual sua aplicação e sua relação com sustentabilidade da agricultura. Começando pelas possíveis aplicações, posso citar alguns exemplos. A Embrapa vem trabalhando no mapeamento da vulnerabilidade das águas subterrâneas, no planejamento da vigilância e do controle territorial de ameaças fitossanitárias, e ainda na definição de estratégias para aumento da produção de trigo e de leite nas diferentes regiões brasileiras.

  11. Somam 390 as vias para entrada de pragas no Brasil

    SPADOTTO, C. A.
    Já está demonstrado que as pragas podem ser introduzidas em áreas muito distantes de seus lugares de origem. No entanto, a proximidade física aumenta o risco de uma invasão. O desafio da vigilância sanitária no Brasil é grande, dada sua vasta fronteira com países vizinhos, com mais de 15,5 mil km de extensão, sendo uma parte por linha seca, outra ao longo de rios, lagos e canais.

  12. Mapeamento das ameaças fitossanitárias é um avanço na defesa vegetal

    SPADOTTO, C. A.
    Pelo menos 35 novas pragas foram detectadas nas nossas lavouras nos últimos 10 anos e recentemente três novas pragas agrícolas foram detectadas no País. Uma dela é a Helicoverpa punctigera, tão agressiva quanto a H. armigera. Identificada no Ceará em 2015, a H. punctigera pode levar a perdas enormes nas culturas de algodão, milho e soja. Outra é a mosca-da-haste da soja (Melanagrom yza sp.), identificada no Rio Grande do Sul em julho do ano passado.

  13. Leite e trigo em 2016

    SPADOTTO, C. A.
    Tudo indica que 2016 será um ano difícil, até mesmo para o agronegócio brasileiro, que tem contribuído sobremaneira, ano após ano, para que a situação do nosso país não seja mais difícil. Arriscando fazer algumas previsões, digo que seguiremos no caminho da autossuficiência na produção do trigo e as nossas vacas produzirão mais leite. Tecnologias para isso não faltam.

  14. A bruxa ainda está solta

    SPADOTTO, C. A.
    Um fazendeiro, considerado rico, procurou um amigo para falar-lhe de um assunto delicado. "Estou precisando de dinheiro e confio na nossa velha amizade, na certeza de que você vai me ajudar", disse o fazendeiro. O amigo se prontificou a emprestar uma certa quantia, imaginando tratar-se de R$ 1 O mil ou R$ 20 mil. "De quanto você precisa?", indagou, ao que o fazendeiro respondeu, cabeça baixa: "De uns R$ 200. É pra fazer a feira semanal lá em casa."

  15. Algumas previsões para 2016 e adiante

    SPADOTTO, C. A.
    Tudo indica que 2016 será um ano difícil, até mesmo para o agronegócio brasileiro, que tem contribuído sobremaneira, ano após ano, para que a situação do nosso país não seja pior. Arriscando fazer algumas previsões, digo que seguiremos no caminho da autossuficiência na produção do trigo e as nossas vacas produzirão mais leite. Tecnologias para isso não perdermos a esperança de que virão dias melhores. Diante de qualquer fato, de qualquer situação, podemos sempre reagir de forma negativa ou positiva. É a velha história da garrafa tombada sobre a mesa, metade cheia e metade vazia. Você tanto pode amaldiçoar a...

  16. O risco das pragas que vêm de fora.

    SPADOTTO, C. A.
    As pragas (insetos, fungos, bactérias, plantas invasoras etc.) das lavouras costumam tirar o sono dos agricultores e seu controle custa caro. Entre perder grande parte da sua produção ou lançar mão de métodos de controle, a escolha já está feita. No Brasil, o mercado de defensivos agrícolas ? o método mais utilizado - movimentou 13 bilhões de dólares em 2014

  17. O risco das pragas que vêm de fora

    SPADOTTO, C. A.
    O artigo trata a problemática da vigilância sanitária no território brasileiro.

  18. Big data geoespacial para a agricultura

    HOLLER, W. A.
    Artigo trata sobre bases de dados online com dados disponíveis sobre agricultura.

  19. Monitoramento de ameaças: prevenção à entrada de pragas quarentenárias no Brasil.

    HOLLER, W. A.
    Artigo aborda a atividade de geoprocessamento para analisar possíveis vias de entradas de pragas quarentenárias em território nacional.

  20. Água livre de Agrotóxicos.

    REYNOL, F.
    Matéria sobre o sofware ARAquá, que avalia os riscos da aplicação de agrotóxicos sobre os corpos hídricos subterrâneos, os lençóis freáticos e aquíferos, e também os superficiais, como rios, córregos e lagos.

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.