Mostrando recursos 1 - 20 de 61

  1. Contributos do teatro para o envelhecimento (cri)ativo

    Gonçalves, Nídia; Anica, Aurízia
    Diante do novo paradigma do envelhecimento urgem projetos e práticas promotoras do envelhecimento ativo. O presente artigo interrelaciona duas grandes áreas do conhecimento – o Teatro e o Envelhecimento Ativo/Criativo. Analisa as mesmas, no intuito de compreender os benefícios da prática teatral, principalmente, em aspetos associados à saúde e ao bem-estar dos idosos. E visa partilhar o estudo de caso realizado com o Grupo de Teatro Sénior de Silves, no Algarve, Portugal. Os resultados indicam contributos do teatro no processo de envelhecimento, em sete âmbitos: Participação; Saúde Mental; Socialização; Cooperação; Envolvimento Pessoal e Compromisso com a Vida; Valorização e Reconhecimento; Superação.

  2. Envelhecer no Algarve

    Anica, Aurízia
    O processo de envelhecimento da população no Algarve tem suscitado a atenção dos investigadores vai para uma década. O oblívio a que esta região era votada pelos investigadores dedicados à temática do envelhecimento, os quais raramente desciam a sul do Tejo para recolha de dados, começou a ser ultrapassado quando a Universidade do Algarve decidiu criar o curso de mestrado em Gerontologia Social. O crescente interesse pela investigação sobre aquela temática que, entretanto, concitava o investimento de organizações e poderes internacionais e nacionais, ficou assinalado pela realização, em 2013, na Escola Superior de Educação e Comunicação, da Conferência Internacional dedicada...

  3. Envelhecer no Algarve. Perceções, perfis e qualidade de vida no envelhecimento

    Anica, Aurízia
    Será o Algarve esse lugar de excelência para envelhecer que o estereótipo tem difundido? Como se envelhece de facto no Algarve? Objetivos: No intuito de delinear uma resposta a esta dupla questão, faz-se uma revisão sistemática da literatura sobre o tema, procurando saber como percecionam os residentes no Algarve o seu próprio processo de envelhecimento e que fatores se relacionam com a qualidade de vida percebida no mesmo. Método: A pesquisa bibliográfica restringiu-se a artigos científicos, dissertações e livros relativos a resultados de investigações empíricas realizadas sobre o contexto algarvio, identificados por meio dos recursos on-line SAPIENTIA, RCAAP e b-on. Para...

  4. Introdução

    Anica, Aurízia
    Apresenta-se a obra Envelhecer no Algarve, a qual pretende dar um contributo para a resposta a questões relativas aos modos de envelhecer na região algarvia, como as seguintes: como se entende atualmente o envelhecimento humano? O que pensam as pessoas em idade avançada, residentes no Algarve, sobre o seu próprio processo de envelhecimento, sobre a sua felicidade, sobre a sua qualidade de vida? Que perfis de funcionamento psicológico e funcional se encontram na região e como se caracterizam? Quais as condições do envelhecimento positivo? Quais os fatores da qualidade de vida no envelhecimento? Quais os preditores do envelhecimento empobrecido ou...

  5. Children at risk: A historical perspective of the concept

    Anica, Aurízia
    The recognition of the need for special protection for children took centuries to build in European societies. This process took place unevenly and at different rates in place and time and among social groups. A vast body of scientific literature has now been developed since Ariès (1960) launched the debate on this issue (King, 2007). The evolved perceptions of the child at risk and the responses that these made possible also changed over time (Lopes, 2002). The present chapter aims to contribute a historical perspective of this process in Portugal, focusing on the evolution of the concept of children at...

  6. Children at risk: A historical perspective of the concept

    Anica, Aurízia
    The recognition of the need for special protection for children took centuries to build in European societies. This process took place unevenly and at different rates in place and time and among social groups. A vast body of scientific literature has now been developed since Ariès (1960) launched the debate on this issue (King, 2007). The evolved perceptions of the child at risk and the responses that these made possible also changed over time (Lopes, 2002). The present chapter aims to contribute a historical perspective of this process in Portugal, focusing on the evolution of the concept of children at...

  7. Crianças em risco. Um olhar multifacetado


    Este livro procura construir um olhar multidimensional da «criança em risco», articulando a perspetiva diacrónica, que indaga a relação entre o processo de (re)estruturação deste conceito e o processo de transformação socioeconómica e cultural na época contemporânea, com a perspetiva sincrónica, em que se privilegiam as abordagens psicológica, jurídica e educacional do fenómeno, da sua prevenção e remediação. Procura-se respostas para as seguintes questões: qual o significado do conceito de «criança em risco»? Quais os fatores de risco e as consequências prováveis de se viver uma infância em risco? Que intervenções devem ser promovidas para reduzir os fatores de risco...

  8. Crianças em risco. Um olhar multifacetado


    Este livro procura construir um olhar multidimensional da «criança em risco», articulando a perspetiva diacrónica, que indaga a relação entre o processo de (re)estruturação deste conceito e o processo de transformação socioeconómica e cultural na época contemporânea, com a perspetiva sincrónica, em que se privilegiam as abordagens psicológica, jurídica e educacional do fenómeno, da sua prevenção e remediação. Procura-se respostas para as seguintes questões: qual o significado do conceito de «criança em risco»? Quais os fatores de risco e as consequências prováveis de se viver uma infância em risco? Que intervenções devem ser promovidas para reduzir os fatores de risco...

  9. Crianças em isco. Um olhar multifacetado/Children at Risk. A Multifaceted View


    Este livro procura construir um olhar multidimensional da «criança em risco», articulando a perspetiva diacrónica, que indaga a relação entre o processo de (re)estruturação deste conceito e o processo de transformação socioeconómica e cultural na época contemporânea, com a perspetiva sincrónica, em que se privilegiam as abordagens psicológica, jurídica e educacional do fenómeno, da sua prevenção e remediação.

  10. Crianças em risco. Um olhar multifacetado


    Este livro procura construir um olhar multidimensional da «criança em risco», articulando a perspetiva diacrónica, que indaga a relação entre o processo de (re)estruturação deste conceito e o processo de transformação socioeconómica e cultural na época contemporânea, com a perspetiva sincrónica, em que se privilegiam as abordagens psicológica, jurídica e educacional do fenómeno, da sua prevenção e remediação.

  11. Análise do discurso em animação

    Graça, Marina Estela
    Este artigo pretende dar conta do desenvolvimento de um trabalho de investigação que tem como objetivo a construção de um quadro concetual fundamental e sistemático, a fim de permitir a análise do discurso em animação, compreendidas todas as suas formas, todas as linguagens e modos que dele fazem parte, considerados os contextos nos quais aquele se concretiza.

  12. II Congresso Internacional Direitos Humanos e Escola Inclusiva: múltiplos olhares. Escola Superior de Educação e Comunicação Universidade do Algarve Faro, 23-25 de fevereiro de 2017


    O presente documento congrega grande parte dos trabalhos que foram apresentados no II Congresso Internacional de Direitos Humanos e Escola Inclusiva: Múltiplos Olhares, realizado nos dias 23 e 24 de fevereiro de 2017, organizado pela Direção do Mestrado de Educação Especial, domínios cognitivo e motor, da Escola Superior de Educação e Comunicação (ESEC), da Universidade do Algarve. Este evento dá continuidade ao trabalho iniciado em 2014 com o I Congresso Internacional Direitos Humanos e Escola Inclusiva: Construindo Boas Práticas. Teve como objetivos promover um amplo debate científico em torno das problemáticas da Educação Inclusiva, suas implicações na sociedade e na escola,...

  13. O experimentalismo na produção de documentos animados

    Graça, Marina Estela; Dougherty, Peter; Griffiths, Keith; Kitson, Clare
    Publicação bilingue, em português e em inglês, do II Simpósio Arte e Animação, organizado pela Casa da Animação, Porto, 30 abril/1 maio 2004, com textos e entrevistas dos intervenientes convidados: Keith Griffiths (Illuminations Television); Peter Dougherty (MTV Europe); Clare Kitson (Channel Four). Bilingual edition, in Portuguese and English, on the occasion of the II Symposium on Art and Animation, organized by Casa da Animação, Porto, April 30 / May 1, 2004, with texts and interviews of invited keynote speakers: Keith Griffiths (Illuminations Television); Peter Dougherty (MTV Europe); Clare Kitson (Channel Four).

  14. As ideias das crianças sobre os tubarões e atividades em contexto de jardim de infância

    Monteiro, Rute; Pereira, Rute
    O presente estudo foi desenvolvido num Jardim de Infância pertencente ao concelho de Olhão, com um grupo de crianças com idades compreendidas entre os 5 e os 6 anos. Este teve como motivação base abordar uma temática de sensibilização às ciências em Jardim de Infância, procurando responder a duas questões principais: Quais as ideias das crianças acerca dos tubarões? De que forma estas ideias evoluem na construção do conhecimento pessoal e sensibilização face aos tubarões? Desta forma, o estudo tem como principais objetivos: (i) identificar as ideias das crianças e do conhecimento de senso comum sobre os tubarões, através do desenho e (ii) sensibilizar as crianças para a conservação,...

  15. Entre o olhar e o gesto, elementos para uma poética da imagem animada

    Graça, Marina Estela
    O que é a animação? O que é o cinema? Qual é a relação entre ambos? Este livro busca responder a essas perguntas e ao mesmo tempo construir uma estrutura concetual para a interpretação do filme animado.

  16. Animais versus plantas e estudo do meio

    Monteiro, Rute; Luís, Mónica; Rodríguez-Miranda, Francisco P.
    Neste estudo analisaram-se duas séries de manuais escolares de duas editoras (oito manuais) de forma a conhecer como são apresentados os temas Animais e Plantas. Com a sua análise qualitativa e quantitativa, pretendeu-se conhecer que conteúdos são mais valorizados nos livros escolares, que exemplos são apresentados e a relevância de imagens, relativos a animais e plantas. Relativamente aos conteúdos analisados verificou-se uma ligeira valorização dos animais sobre as plantas em ambas as editoras. De entre as categorias definidas distinguem-se com maior domínio a Classificação, a Nutrição e as Utilidades, sendo que cada uma das editoras valoriza de modo diferente os dois...

  17. A modernização do Hospital do Espírito Santo de Tavira, no século XIX

    Anica, Aurízia
    No século XIX, assiste-se à emergência de uma função hospitalar intimamente relacionada com a revolução do saber médico e científico, com a adoção de novas práticas profissionais e com a instituição de novos mecanismos de controlo, tendo-se restruturado neste processo as relações entre os médicos, os doentes e os hospitais. O hospital procura deixar de ser o lugar para acolhimento de famintos, moribundos e incuráveis, para se transformar num espaço de produção da saúde e, até, em alguns casos, num espaço privilegiado de construção do conhecimento científico.

  18. Que educadores desejamos? Que educadores formamos?

    Horta, Maria Helena
    Que educadores desejamos? Que educadores formamos? Maria Helena Horta. Escola Superior de Educação e Comunicação da Universidade do Algarve (hhorta@ualg.pt) A comunicação que aqui se apresenta é fruto de uma reflexão que temos vindo a desenvolver e a aprofundar como resultado da nossa atividade profissional enquanto supervisora institucional e investigadora na formação de educadores de infância, numa instituição pública de ensino superior. Essa reflexão é suportada na nossa experiência, em estudos empíricos e também numa breve revisão da literatura acerca do tema. Suscitados pelas questões apresentadas no convite à participação no Seminário Formação Inicial de Professores, promovido pelo Conselho Nacional de Educação, organizámos...

  19. Teacher scripts in biology

    Monteiro, Rute; Carrillo, José; Aguaded, S.
    Understanding teaching implies an understanding of the thinking and action of the teacher (Shulman, 1986), this leading to a fuller understanding when these two domains are studied together and each is examined in relation to the other. There are several ways to understand the teacher’s thought and action. For instance the teaching modelisation (Schoenfeld, 1998, Monteiro, 2006) enables the study of teacher’s thoughts from its cognition (believes, knowledge, goals) and actions, which in turn are derived from scripts, acting altogether.

  20. Os scripts como elementos de reflexão para professores de ciências.

    Monteiro, Rute; Carrillo, José; Aguaded, S.
    Neste trabalho analisa-se a prática de dois professores no seu primeiro ano de exercício profissional através do Instrumento de Modelação (IM), que permite caracterizar os seus guiões de acção ou scripts. O script corresponde a uma entidade teórica que permite compreender uma sequência de acções estandardizada, dependente do conteúdo de ciências. A incorporação de elementos à prática de ensino do professor terá que passar por um questionamento e análise contínuos e contextualizados do seu ensino. Deste modo, a reflexão sobre os scripts torna-se essencial para a melhoria do ensino.

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.