Recursos de colección

Repositório do Instituto Politénico de Castelo Branco (14.730 recursos)

O Repositório Científico do Instituto Politécnico de Castelo Branco tem como objectivos fundamentais a divulgação, a preservação em formato digital e a partilha do conhecimento científico gerado na instituição, constituindo-se numa ferramenta de valor acrescentado porque permite aumentar a visibilidade e o impacto da investigação desenvolvida.

AGROFORUM: Revista da Escola Superior Agrária

Mostrando recursos 1 - 20 de 181

  1. Efecto de factores no genéticos en el peso al destete precoz del cordero de raza segureña.

    Lupi, T.M.; Nogales, S.; León, J.M.; Delgado, J.V.
    Se analiza la influencia sobre el peso al destete precoz, comprendido entre los 16 y los 35 días de vida, en corderos de raza ovina Segureña, de los efectos fijos sexo, época de nacimiento, zona geográfica y tipo de parto de la oveja. Se analizaron los datos del peso de 27083 corderos pertenecientes al registro histórico de la Asociación Nacional de Criadores de Ovino Segureño – ANCOS – de los últimos 13 años. Fueron realizados análisis estadísticos en cada factor, basados en el test t para las medias, análisis de varianza y el test de Tuckey para analizar los grupos...

  2. Medidas de autoproteção da segurança contra incêndio do Conservatório Regional de Castelo Branco.

    Varanda, C.A.N.; Santos, C.C.
    As medidas de autoproteção são disposições de organização e gestão da segurança, que têm como objetivo incrementar a segurança de pessoas e dos edifícios/recintos face ao risco de incêndio. Estas medidas incluem no seu conjunto procedimentos de prevenção, preparação e resposta face a um cenário de incêndio. Aplicam-se a todos os edifícios e recintos, incluindo os existentes, de acordo com o estipulado no artigo 22.º do Decreto-Lei n.º 220/2008, de 12 de novembro (regime jurídico da segurança contra incêndio em edifícios). Estas medidas são determinadas em função da utilização-tipo e da respetiva categoria de risco. As medidas de autoproteção são...

  3. Avaliação de risco de incêndio em centros históricos - o caso de Castelo Branco.

    Pais, P.A.C.; Santos, C.C.
    O risco de incêndio nos centros históricos tem sido uma problemática de difícil resolução ao longo de vários anos. A resolução de problemas desta natureza será tanto mais fácil quanto melhor conhecermos a realidade existente. Assim, neste trabalho, caracteriza-se o risco de incêndio de um conjunto de edifícios que representam de forma genérica o edificado existente no centro histórico de Castelo Branco, com base na sua ocupação, volumetria e utilização. Os edifícios em estudo são, como na maioria dos centros urbanos antigos, de pequena altura (inferior a 4 pisos) com uma construção mista de pedra e madeira. De entre os...

  4. Plano de emergência em edifícios - problemática da evacuação em utentes com capacidades vulneráveis.

    Esteves, R.S.M.; Santos, C.C.
    Dada a verificação da existência de inúmeros incidentes de várias origens, em toda a vida útil de um qualquer edifício, foi publicado em 12 de novembro de 2008 o Decreto-Lei n.º 220/2008, o qual estabeleceu o novo Regime Jurídico da Segurança Contra Incêndios em Edifícios (SCIE). Este novo diploma procurou garantir que os novos edifícios, bem como os já existentes, dispusessem de um maior grau de segurança para os seus utentes através da obrigatoriedade de implementação de equipamentos e sistemas de segurança, bem como de uma efetiva manutenção, durante todo o ciclo de vida e utilização desses mesmos edifícios. Com...

  5. Influência da idade das estacas e de tratamento com auxina e ferida na estacaria do medronheiro.

    Antunes, A.; Ferreira, C.C.A.; Ribeiro, M.M.A.
    No início de junho de 2014, efetuou-se um ensaio de estacaria de medronheiro (Arbutus unedo L.) na estufa do viveiro florestal da Escola Superior Agrária de Castelo Branco (ESA/IPCB). Selecionou-se um medronheiro no Parque Botânico da ESA/IPCB, de origem seminal (com cerca de 30 anos), com bom vigor vegetativo, onde foram recolhidas 150 estacas. Utilizaram-se, também, 150 estacas terminais provenientes de plantas jovens com um ano, provenientes de sementes de plantas de medronheiro do campus da ESA/IPCB. Pretendeu-se comparar a capacidade de enraizamento de estacas obtidas a partir de plantas jovens com estacas retiradas de uma planta adulta, sujeitas a...

  6. Caracterização e avaliação de populações portuguesas de Opuntia ficus-indica (L.) Mill.

    Reis, C.M.G.; Ribeiro, M.M.A.; Gazarini, L.C.
    Em solos de menor aptidão agrícola a figueira-da-índia tem interesse como cultura alternativa, quer para a produção de fruto quer como espécie forrageira. Foram caracterizados e avaliados, quanto ao vigor vegetativo e produção de biomassa, por métodos não destrutivos e nos dois primeiros anos após a plantação, 16 ecótipos portugueses e duas variedades italianas (“Gialla” e “Bianca”) de figueira-da-índia (Opuntia ficus-indica (L.) Miller). A produção de biomassa e vigor vegetativo foram aferidos através da determinação do número de cladódios, área de cladódios e peso verde por planta. Através da análise biométrica de 180 cladódios, foram estabelecidos modelos lineares para a...

  7. Avaliação de parâmetros fotossintéticos em microplantas de Castanheiro durante a fase de aclimatização.

    Gonçalves, J.C.; Coelho, M.T.; Diogo, M.G.
    O objetivo deste trabalho foi realizar um estudo comparativo em microplantas de castanheiro com dois sistemas de expressão e desenvolvimento radicular, in vitro e ex vitro, e com duas intensidades luminosas (150 e 250 μmol m-2 s-1) durante a aclimatização, e a sua influência no desenvolvimento das microplantas durante esta fase, através da quantificação de parâmetros fotossintéticos. A concentração de clorofilas, após os tratamentos de aclimatização, dependeu quer do tipo de sistema radicular que as plantas possuíam no início da aclimatização, quer do regime luminoso a que as plantas estiveram submetidas. As plantas com enraizamento in vitro e aclimatizadas sob menor...

  8. Avaliação da qualidade de vida do cágado-de-carapaça-estriada (Emys orbicularis L., 1758) nas ribeiras do Monte Barata : uma revisão.

    Garcia, R.B.; Nunes, L.F.; Clara, B.R.G.
    A conservação da Emys orbicularis tem vindo a ser desenvolvida em várias zonas de Portugal, nomeadamente no Monte Barata. Nesse sentido, elaborou-se uma análise fitossociológica que poderá ser concluída com base nos dados recolhidos; análises à água que mostram que as ribeiras detêm uma boa qualidade da água; realizaram-se censos que nos permitiram depreender que a população de E. orbicularis no Monte Barata é pequena e análises dos dados meteorológicos que nos informaram sobre a atividade da espécie. Desta forma, estabelecemos possíveis ameaças e sugerimos novas medidas a adotar para que se possam criar melhores condições ao nível de habitat,...

  9. Orégão-vulgar (Origanum vulgare L.) : uma revisão.

    Pires, P.; Delgado, F.M.G.
    A planta aromática e medicinal Origanum vulgare pertence à família Lamiaceae. Esta erva aromática é vulgarmente chamada de orégão vulgar ou manjerona selvagem e são utilizadas várias partes da sua estrutura física para diversos fins, pois os seus metabolitos secundários conferem-lhe algumas propriedades tanto condimentares como medicinais. Trata-se de um artigo de revisão abordando diversos aspetos das possíveis utilizações desta planta espontânea no nosso país.

  10. Atividades de investigação, experimentação e desenvolvimento da Unidade Técnico Científica "Ciências da Vida e dos Alimentos”.

    Carneiro, J.P.; Goulão, J.; Rodrigues, J.P.
    No ano 2012 os 25 docentes que integram a UTCCVA, para além da docência normal em diversos graus de ensino, deram continuidade ao desenvolvimento de ações conducentes à melhoria da sua formação académica e participaram em diversas atividades de investigação, experimentação e desenvolvimento em colaboração, ou não, com outras instituições, em prol dos seus alunos, da região e da comunidade em geral.

  11. Caracterização e contaminação de águas associadas à mina da Fonte Santa (Bragança, Portugal).

    Antunes, I.M.H.R.; Gomes, M.E.P.; Neiva, A.M.R.
    Na região da mina de Fonte Santa ocorrem filões de quartzo mineralizados em W, com scheelite, que cortam quartzitos do Ordovícico Inferior aflorantes nas imediações de granitos Variscos, e que se relacionam com a zona de cisalhamento de Moncorvo-Bemposta. Alguns filões com scheelite têm quartzo recristalizado e brechificado e sulfuretos associados, tendo sido explorados para volfrâmio (W) entre 1942 e 1982. As águas relacionadas com a mina da Fonte Santa são pouco mineralizadas, com condutividade eléctrica < 965 μ S/cm, e classificadas como de tipo misto. A maioria dos valores de pH (pH = 5.0 - 8.5) indicam que não...

  12. Urtica dioica L. : uma revisão.

    Fernandes, P.; Delgado, F.M.G.
    Artigo de revisão sobre a espécie Urtica dioica L. (Urtiga, Urtiga-maior), abordando os seus constituintes ativos e as formas de utilização pelo ser humano, nomeadamente as suas ações farmacológicas, fitocosméticas, alimentares, agrícolas e veterinárias.

  13. Estudo da rega deficitária em pessegueiro no crescimento e qualidade dos frutos – Interação com a carga da árvore.

    Inês, C.F.; Duarte, A.C.; Ramos, A.S.
    Para estudar a influência da disponibilidade de água no crescimento e qualidade do pêssego (Prunus persica L. Batch) durante a fase de rápido crescimento do fruto, foram aplicadas, na campanha de rega de 2011, diferentes dotações de rega em pessegueiros das cultivares ‘Andross’ e ‘August Orebrad’, numa exploração localizada no extremo sul do concelho do Fundão. Os tratamentos foram estabelecidos de modo a aplicar a água necessária para suprir 100% (T100), 70% (T70) e 50% (T50) da ETc, durante o período de maior crescimento do fruto (fase III). A produtividade foi muito semelhante, não se tendo registado diferenças significativas entre...

  14. Hábitos alimentares em ambiente familiar dos alunos da ESACB.

    Simões, M.P.; Costa, E.; Jerónimo, E.; Baptista, P.; Silva, M.; Barreira, D.; Galvão, A.
    Os hábitos alimentares de uma população estão diretamente relacionados com a saúde, bem estar e constituição física dessa mesma população. Embora em Portugal se observe um predomínio da dieta mediterrânica, os hábitos alimentares variam entre populações e entre famílias de uma determinada população, dependendo da tradição, da cultura, da educação e do rendimento das famílias. Contudo, ao longo do período de frequência do ensino superior, os alunos vão alterando os hábitos alimentares que predominam em ambiente doméstico. Tendo em consideração que a Escola Superior Agrária de Castelo Branco (ESA/IPCB) tem em funcionamento o curso de Nutrição Humana e Qualidade Alimentar (NHQA), procurou-se,...

  15. Gestão do solo na Quinta da Senhora de Mércules : estudo de caso.

    Batista, M.S.; Monteiro, M.C.H.; Almeida, J.P.F.
    O solo é um recurso natural não renovável à escala de tempo humana. O uso agrícola do solo deve ter por base o conhecimento da sua constituição a nível do perfil, da localização topográfica e das propriedades físico-químicas de forma a compatibilizar a produção agro-pecuária com a sustentabilidade do recurso solo e do ambiente envolvente. No presente trabalho foi efectuada a caracterização do uso agro-pecuário das parcelas da quinta da Senhora de Mércules, a evolução da fertilidade do solo ao longo do tempo e, com base nessa informação elaborou-se uma proposta de aptidão potencial para uso agro-pecuário dessas parcelas. Os...

  16. Determinação de classes em mapa temático utilizando o método de optimização de Jenks.

    Dalposso, G.H.; Oliveira, M.P.
    O objetivo deste trabalho é apresentar o método de otimização de Jenks como alternativa para determinar os intervalos de classe em mapas temáticos gerados por métodos geoestatísticos. As análises foram realizadas utilizando o conjunto de dados do Aquífero Wolfcamp. Devido a assimetria dos dados, realizou-se uma transformação Box-cox e utilizou-se o estimador robusto de Cressie & Hawkins para estimar o semivariograma empírico dos resíduos. Utilizando o método de estimação de mínimos quadrados ajustou-se diversos modelos teóricos de semivariograma e por meio de estatísticas de validação cruzada escolheu-se um modelo esférico. Os parâmetros obtidos no ajuste foram utilizados para elaborar a matriz...

  17. A falcoaria em Portugal, à luz de princípios universais.

    Correia, F.; Pereira, A.
    A falcoaria em Portugal, à luz de princípios universais.

  18. Espécies piscícolas existentes na Quinta da Sr.ª de Mércules - Castelo Branco.

    Rodrigues, A.M.; Pires, A.; Catano, C.; Oliveira, C.; Lista, D.; Nascimento, I.; Silva, M.; Santos, M.
    A Quinta da Sr.ª de Mércules é uma exploração agrícola propriedade do Instituto Politécnico de Castelo Branco – Escola Superior Agrária. Está localizada na Beira Interior Sul – Concelho de Castelo Branco. Nos 167 ha que a constituem existem, maioritariamente, terrenos de sequeiro e algumas áreas de regadio. A cultura predominante na Quinta é o olival tradicional. Nas zonas baixas foram instalados prados de regadio e pomares. Também se fazem culturas forrageiras de Outono/Inverno e de Primavera/Verão. Para a rega destas últimas é utilizada a água armazenada nos diversos poços e nas três charcas para rega existentes na Quinta. Entre a...

  19. Microalgas aplicadas à produção de biodiesel.

    Vilas Boas, F.P.; Nunes, T.S.; Santos, N.F.; Baptista, C.
    A fraca disponibilidade de recursos energéticos não renováveis reflecte-se na crescente procura e na maior relevância dos biocombustíveis, em particular do biodiesel, no panorama nacional. Esta fonte de energia de carácter biológico pode ser obtida a partir de várias matérias-primas de onde se destacam as oleaginosas e as microalgas. Embora sendo de etiologia diferente ambas possibilitam a utilização dos seus óleos que, após sofrerem transesterificação, originam a mistura de ésteres alquílicos designada por biodiesel. Com o objectivo de produzir biodiesel a partir de microalgas foram realizados seis crescimentos da microalga Chlorella protothecoides em reactores batch, em modo fotoautotrófico. A biomassa algal...

  20. Caracterização populacional in situ e ex situ de Lavandula luisieri o rosmaninho-menor da Beira Interior.

    Delgado, F.M.G.
    Lavandula luisieri (Rozeira) Rivas-Martinez (Rivas-Martinez,1979), uma espécie endémica do sudoeste da Península Ibérica está incluída na família Lamiaceae (=Labiatae). E uma espécie característica da classe Cisto-Lavanduletae. Esta classe compreende espécies produtoras de compostos aromáticos, as quais caracterizam os matos do oeste mediterrâneo nos andares termo a supramediterrâneo seco e semiárido a sub-húmido (Rivas-Martinez et al. 2002). É uma espécie pioneira em áreas recentemente ardidas, reproduzindo-se, essencialmente, por semente (Upson & Andrews, 2004). As designações referidas por diferentes autores, para L. luisieri, são: Lavandula stoechas L. subsp. luisieri (Rozeira) Rozeira (Guinea in Tutin et al., 1981); Lavandula luisieri (Rozeira) Rivas-Martínez (Franco, 1984); Lavandula...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.