Recursos de colección

Repositório do ISPA Instituto Superior de Psicologia Aplicada (11.168 recursos)

No Repositório do ISPA pode encontrar diversos tipos de documentos, em formato digital, resultantes da produção científica do ISPA designadamente: teses de doutoramento, teses de mestrado, artigos em publicações periódicas nacionais e internacionais, relatórios técnicos, artigos em actas de conferências nacionais e internacionais e capítulos de livros.

PSAU - Artigos em revistas nacionais

Mostrando recursos 1 - 20 de 159

  1. Elementos psicoterapêuticos na reabilitação dos sujeitos com incapacidades físicas adquiridas

    Oliveira, Rui Aragão Gomes
    O autor aborda as principais questões inerentes ao processo psicoterapêutico dos sujeitos com incapacidades físicas adquiridas, salientando por um lado a dimensão dos processos relacionais na evolução da doença física, e por outro lado definindo as questões do suporte social como um recurso importante para a promoção da saúde, influenciando temáticas como a mortalidade, a morbilidade e o isolamento social; este último especificamente desencadeado pela incapacidade física adquirida. São realçados os aspectos psicológicos envolvidos nos casos particulares dos doentes hemiplégicos, vítimas de Acidente Vascular Cerebral, e dos sujeitos que sofreram amputações, procurando simultaneamente oferecer uma panorâmica geral dos contributos dos múltiplos autores que, nas últimas duas décadas, têm de uma forma mais ou menos exaustiva,...

  2. Prevenção primária das toxicodependências: Avaliação de uma intervenção de grupo em crianças com idades entre os 8 e 9 anos

    Pereira, M. Graça; Moreira, Paulo
    A investigação tem demonstrado que a prevenção primária na toxicodependência deverá considerar modelos multimodais. Vários programas de prevenção têm demonstrado ser eficazes nas variáveis comportamentais e cognitivas mas não nas variáveis afectivas. “Crescer a Brincar” é um programa derivado do Modelo Sócio-Afectivo (Negreiros de Carvalho, 1991), que procura trabalhar variáveis comportamentais, sociais e afectivas. O presente artigo avalia a eficácia do referido programa junto de um grupo de 109 crianças. Os instrumentos utilizados, incluem o CABS (Michelson & Mood, 1982), que mede os estilos de comunicação, o CDI (Kovacs, 1981) que avalia os níveis de depressão, o SP (Harter, 1985) que mede o auto-conceito e finalmente “Sede de Viver”, instrumento criado especificamente para os objectivos...

  3. Maternidade na adolescência: Consequências e trajectórias desenvolvimentais

    Figueiredo, Bárbara
    A maternidade na adolescência é uma condição de risco no desenvolvimento da mãe e do bebé, interferindo adversamente nas suas respectivas trajectórias desenvolvimentais. Mesmo assim, algumas mães são capazes de se adaptarem à circunstância de a maternidade ocorrer durante a adolescência e alguns bebés não apresentam efeitos adversos decorrentes do facto de as suas mães serem adolescentes. Ao longo deste artigo foram descritas as consequências adversas que podem verificar-se na sequência de a maternidade ocorrer na adolescência, nomeadamente em termos do bem-estar da mãe e do bebé. As dificuldades de adequação da mãe, particularmente em termos da interacção e dos cuidados a providenciar ao bebé, foram também apresentadas, assim como foram analisadas as circunstâncias (factores...

  4. Abordagem psicossocial dos comportamentos orientados para a Saúde: Estudo dos factores de previsão da aceitação e da rejeição do Diagnóstico Pré-Natal

    Andrade, Cláudia; Fontaine, Anne Marie
    A presente investigação fundamentou-se nas teorias relevantes para a compreensão dos comportamentos orientados para a saúde, nomeadamente o Health Belief Model desenvolvido por Rosentock (1974), e nos seus desenvolvimentos aplicados ao contexto específico do Diagnóstico Pré-Natal (Davies, 1983). Este modelo foi articulado com a teoria de Ajzen e Fishbein (1980), o Modelo da Acção Reflectida aplicado ao domínio da saúde. As atitudes e comportamentos face ao Diagnóstico Pré-Natal (DPN) em duas sub-amostras (30 mulheres que aceitaram a realização do DPN e 30 mulheres que recusaram a realização do DPN) permitiu discriminar 83% das aceitações, 93% para as rejeições ou seja 88.3% das escolhas. Estes comportamentos reflectem a influência das variáveis como o grau de instrução,...

  5. Como ser saudável com uma doença crónica: Algumas palavras orientadoras da acção

    Meneses, Rute F.; Ribeiro, José Luís Pais
    Discutem-se as noções de doença(s) e sua prevenção, saúde e sua promoção e a complementariedade destes conceitos. Partindo de uma visão holística dos indivíduos, propõe-se um programa de intervenção visando o ajustamento de indivíduos com uma doença crónica específica: a epilepsia do lobo temporal. O programa compreende três níveis, cada um com duas vertentes (componentes específicas e não específicas da doença): a) nível físico – ter uma doença vs ter saúde; b) nível psicológico – sentir-se doente vs sentir-se saudável; c) nível social – comportar-se como doente vs comportar-se como saudável. A vertente relacionada com a doença é trabalhada com base no modelo de auto-regulação do comportamento de doença de Leventhal e a vertente...

  6. Como ser saudável com uma doença crónica: Algumas palavras orientadoras da acção

    Meneses, Rute F.; Ribeiro, José Luís Pais
    Discutem-se as noções de doença(s) e sua prevenção, saúde e sua promoção e a complementariedade destes conceitos. Partindo de uma visão holística dos indivíduos, propõe-se um programa de intervenção visando o ajustamento de indivíduos com uma doença crónica específica: a epilepsia do lobo temporal. O programa compreende três níveis, cada um com duas vertentes (componentes específicas e não específicas da doença): a) nível físico – ter uma doença vs ter saúde; b) nível psicológico – sentir-se doente vs sentir-se saudável; c) nível social – comportar-se como doente vs comportar-se como saudável. A vertente relacionada com a doença é trabalhada com base no modelo de auto-regulação do comportamento de doença de Leventhal e a vertente...

  7. Ajustamento marital em ex-combatentes da Guerra Colonial com e sem perturbação pós-stress traumático.

    Anunciação, Carlos
    Após breve síntese sobre a descrição clínica e origem do conceito da Perturbação Pós Stress Traumático (Posttraumatic Stress Disorder - PTSD) apresenta-se um estudo comparativo, de natureza exploratória, sobre o PTSD entre dois grupos de sujeitos (n=20 + n=20) ex-combatentes da guerra colonial com e sem PTSD. Procurou-se verificar se existiam diferenças, significativas ou não, entre os dois grupos, no que conceme ao Ajustamento Marital e Areas Problema na relação conjugal. Dos resultados encontrados salientam-se: os sujeitos com o PTSD não apresentam significativamente, mais dificuldades de Ajustamento Marital (carinho, comunicação e discussão) em geral do que os sujeitos sem o PTSD (pSc= .7555> .05). No entanto, os sujeitos com o PTSD percepcionam o seu casamento,...

  8. Avaliação da qualidade de vida em crianças com diabetes tipo 1

    Ribeiro, José Luís Pais; Meneses, Rute F.; Meneses, Isabel
    O presente trabalho inclui-se num projecto mais vasto do Grupo Português para o estudo da Qualidade de Vida, e visa construir um questionário destinado a crianças até aos 1 1 anos que sofrem de diabetes tipo 1. Esta é uma doença crónica com características muito específicas, sendo uma delas a precisão da avaliação do estado de glicemia, em tempos certos, e a sua correcção em medidas precisas. Esta rotina, no caso das crianças, é conduzida por quem cuida delas e, obviamente, afecta o estilo de vida e é susceptível de prejudicar gravemente a qualidade de vida da família. A avaliação do impacto do tratamento nessa qualidade de vida torna-se um elemento central...

  9. Avaliação da qualidade de vida em crianças com diabetes tipo 1

    Ribeiro, José Luís Pais; Meneses, Rute F.; Meneses, Isabel
    O presente trabalho inclui-se num projecto mais vasto do Grupo Português para o estudo da Qualidade de Vida, e visa construir um questionário destinado a crianças até aos 1 1 anos que sofrem de diabetes tipo 1. Esta é uma doença crónica com características muito específicas, sendo uma delas a precisão da avaliação do estado de glicemia, em tempos certos, e a sua correcção em medidas precisas. Esta rotina, no caso das crianças, é conduzida por quem cuida delas e, obviamente, afecta o estilo de vida e é susceptível de prejudicar gravemente a qualidade de vida da família. A avaliação do impacto do tratamento nessa qualidade de vida torna-se um elemento central...

  10. A criança asmática: Relação e terreno alérgico.

    Martins, Ana Maria Pina
    Relata-se o caso clínico de uma criança com asma alérgica. Efectua-se uma abordagem compreensiva através do modelo multidimensional de somatização proposto por Sami-Ali.

  11. Sobre a maternidade

    Correia, Maria de Jesus
    A Maternidade nos nossos dias é, para a mulher, uma de entre várias opções para a sua realização pessoal. Nem sempre foi assim. Neste artigo, a autora apresenta-nos uma breve evolução histórica e antropológica do conceito de Maternidade. Refere ainda as eventuais repercussões psicológicas inerentes ao modo como actualmente ela é vivenciada.

  12. Sobre a maternidade

    Correia, Maria de Jesus
    A Maternidade nos nossos dias é, para a mulher, uma de entre várias opções para a sua realização pessoal. Nem sempre foi assim. Neste artigo, a autora apresenta-nos uma breve evolução histórica e antropológica do conceito de Maternidade. Refere ainda as eventuais repercussões psicológicas inerentes ao modo como actualmente ela é vivenciada.

  13. Maternidade na adolescência: Contributos para uma abordagem desenvolvimental

    Soares, Isabel; Jongenelen, Inês
    As autoras começam por rever a investigação empírica acerca da maternidade na adolescência, especificamente as questões de natureza parenta], tradicionalmente centradas na comparação das mães adolescentes e adultas. São analisadas algumas das limitações que emergem deste tipo de investigação, salientando- se a necessidade de focalizar a atenção na variabilidade existente no seio do grupo das mães adolescentes e discutindo-se, em seguida, a inexistência de um quadro conceptual que organize os resultados produzidos pela investigação. Neste âmbito, é apresentado o contributo e as implicações no plano conceptual da abordagem desenvolvimental, para a compreensão desta variabilidade intra-grupo. Em seguida, discute-se a necessidade de perspectivar o fenómeno da maternidade adolescente como um processo de interacção social, apresentando-se para tal...

  14. Maternidade na adolescência: Contributos para uma abordagem desenvolvimental

    Soares, Isabel; Jongenelen, Inês
    As autoras começam por rever a investigação empírica acerca da maternidade na adolescência, especificamente as questões de natureza parenta], tradicionalmente centradas na comparação das mães adolescentes e adultas. São analisadas algumas das limitações que emergem deste tipo de investigação, salientando- se a necessidade de focalizar a atenção na variabilidade existente no seio do grupo das mães adolescentes e discutindo-se, em seguida, a inexistência de um quadro conceptual que organize os resultados produzidos pela investigação. Neste âmbito, é apresentado o contributo e as implicações no plano conceptual da abordagem desenvolvimental, para a compreensão desta variabilidade intra-grupo. Em seguida, discute-se a necessidade de perspectivar o fenómeno da maternidade adolescente como um processo de interacção social, apresentando-se para tal...

  15. A maternidade na adolescência num contexto de abuso sexual na família

    Gil, Maria José; Lucas, Patrícia
    Este artigo procura abordar as questões inerentes ii vivência da gravidez e maternidade durante a adolescência, num contexto de abuso sexual na família. Focando a análise de um caso clínico, pretende-se discutir a problemática do abuso sexual no quadro glo-. bal da violência e no quadro específico da violência sexual, detalhando especificamente as questões psicológicas inerentes ao incesto, e seu enquandramento familiar e social

  16. A maternidade na adolescência num contexto de abuso sexual na família

    Gil, Maria José; Lucas, Patrícia
    Este artigo procura abordar as questões inerentes ii vivência da gravidez e maternidade durante a adolescência, num contexto de abuso sexual na família. Focando a análise de um caso clínico, pretende-se discutir a problemática do abuso sexual no quadro glo-. bal da violência e no quadro específico da violência sexual, detalhando especificamente as questões psicológicas inerentes ao incesto, e seu enquandramento familiar e social

  17. Dar sem (se) perder

    Gil, Maria José
    Este estudo pretende fazer uma breve referência histórica sobre o parto através dos tempos e das culturas e o modo como ele foi sendo vivido. Actualmente e na nossa sociedade, o parto decorre geralmente em contexto hospitalar e é considerado maioritariamente um acto médico. Dada a difusão generalizada da utilização do analgésico epidural em partos eutócicos, pretendemos dar um contributo para a compreensão psicólogica do pedido ou da adesão a sugestão dos técnicos de saúde, da aplicação deste analgésico. Quais as razões expressas por puérperas face ?utii - lização do analgésico epidural durante o parto? É esta a principal questão deste estudo exploratório.

  18. Dar sem (se) perder

    Gil, Maria José
    Este estudo pretende fazer uma breve referência histórica sobre o parto através dos tempos e das culturas e o modo como ele foi sendo vivido. Actualmente e na nossa sociedade, o parto decorre geralmente em contexto hospitalar e é considerado maioritariamente um acto médico. Dada a difusão generalizada da utilização do analgésico epidural em partos eutócicos, pretendemos dar um contributo para a compreensão psicólogica do pedido ou da adesão a sugestão dos técnicos de saúde, da aplicação deste analgésico. Quais as razões expressas por puérperas face ?utii - lização do analgésico epidural durante o parto? É esta a principal questão deste estudo exploratório.

  19. Ansiedades perinatais em mulheres com gravidez de risco e em mulheres com gravidez normal.

    Rato, Patrícia Isabel
    O objectivo do estudo foi o de comparar quantitativamente e qualitativamente as ansiedades perinatais de mulheres com gravidez de risco por antecedentes de morte fetal com as ansiedades perinatais de mulheres que tiveram uma gravidez normal. Para tal utilizámos uma entrevista e uma escala de ansiedades perinatais (PASS) nas 24 a 48 horas pósparto em dois grupos de mulheres cada um com 6 sujeitos. A entrevista mostrou-nos que o tipo de ansiedades é o mesmo nos dois grupos de mulheres e que são as mesmas ansiedades descritas por todos os autores que se interessam por estas questões da maternidade. A grande diferença entre os dois grupos é feita pelo «risco » da gravidez. As...

  20. Ansiedades perinatais em mulheres com gravidez de risco e em mulheres com gravidez normal.

    Rato, Patrícia Isabel
    O objectivo do estudo foi o de comparar quantitativamente e qualitativamente as ansiedades perinatais de mulheres com gravidez de risco por antecedentes de morte fetal com as ansiedades perinatais de mulheres que tiveram uma gravidez normal. Para tal utilizámos uma entrevista e uma escala de ansiedades perinatais (PASS) nas 24 a 48 horas pósparto em dois grupos de mulheres cada um com 6 sujeitos. A entrevista mostrou-nos que o tipo de ansiedades é o mesmo nos dois grupos de mulheres e que são as mesmas ansiedades descritas por todos os autores que se interessam por estas questões da maternidade. A grande diferença entre os dois grupos é feita pelo «risco » da gravidez. As...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.