Recursos de colección

Repositório do ISPA Instituto Superior de Psicologia Aplicada (11.353 recursos)

No Repositório do ISPA pode encontrar diversos tipos de documentos, em formato digital, resultantes da produção científica do ISPA designadamente: teses de doutoramento, teses de mestrado, artigos em publicações periódicas nacionais e internacionais, relatórios técnicos, artigos em actas de conferências nacionais e internacionais e capítulos de livros.

Psicologia do Desenvolvimento

Mostrando recursos 1 - 20 de 79

  1. Consulta de Psicologia Pediátrica do Serviço de Pediatria do Centro Hospitalar das Caldas da Rainha – Casuística de 1993/95

    Neto, Teresa
    Este trabalho analisa a evolução dos serviços prestados na consulta de Psicologia Pediátrica do Centro Hospitalar das Caldas da Rainha na sua relação com outros serviços e instituições. Constata-se que o principal motivo de envio à consulta de Psicologia Pediátrica é a problemática comportamental (39.3%) e não tanto a problemática desenvolvimental. Na mesma linha de atitude, a avaliação e tratamento de problemas comportamentais é a expectativa de intervenção mais frequente das fontes de encaminhamento (26%). A intervenção mais frequente é a avaliação (43.1%). Tal é naturalmente relacionável com a pressão da procura sobre esta consulta. Analisando as categorias diagnósticas, verificamos que as mais frequentes, «Problemas Psicossociais e Ambientais» (16.7%), «Perturbações de Comportamento não patológicas» (15.5%) e «Problemas...

  2. Consulta de Psicologia Pediátrica do Serviço de Pediatria do Centro Hospitalar das Caldas da Rainha – Casuística de 1993/95

    Neto, Teresa
    Este trabalho analisa a evolução dos serviços prestados na consulta de Psicologia Pediátrica do Centro Hospitalar das Caldas da Rainha na sua relação com outros serviços e instituições. Constata-se que o principal motivo de envio à consulta de Psicologia Pediátrica é a problemática comportamental (39.3%) e não tanto a problemática desenvolvimental. Na mesma linha de atitude, a avaliação e tratamento de problemas comportamentais é a expectativa de intervenção mais frequente das fontes de encaminhamento (26%). A intervenção mais frequente é a avaliação (43.1%). Tal é naturalmente relacionável com a pressão da procura sobre esta consulta. Analisando as categorias diagnósticas, verificamos que as mais frequentes, «Problemas Psicossociais e Ambientais» (16.7%), «Perturbações de Comportamento não patológicas» (15.5%) e «Problemas...

  3. A força do pensamento deôntico: O vitimizador feliz na atribuição de emoções na criança

    Lourenço, Orlando
    Este artigo tem dois objectivos centrais. Primeiro, analisar as emoções positivas e negativas que as crianças atribuem a transgressores de normas morais em duas condições distintas (i.e., factual e descritiva; deôntica e prescritiva). Segundo, relacionar estas emoções com uma medida de comportamento pró-social das crianças numa situação de altruísmo. Cinquenta e quatro crianças de dois níveis etários (i.e., 5-6 anos; 8- -9 anos) foram (a) confrontadas com três exemplos de transgressões morais; (b) solicitadas a atribuir emoções positivas ou negativas ao transgressor em ambas as condições; e (c) colocadas depois numa situação onde podiam doar algumas das guloseimas recebidas pela sua participação na investigação. Os resultados mostram que (1) o número de vitimizadores...

  4. A força do pensamento deôntico: O vitimizador feliz na atribuição de emoções na criança

    Lourenço, Orlando
    Este artigo tem dois objectivos centrais. Primeiro, analisar as emoções positivas e negativas que as crianças atribuem a transgressores de normas morais em duas condições distintas (i.e., factual e descritiva; deôntica e prescritiva). Segundo, relacionar estas emoções com uma medida de comportamento pró-social das crianças numa situação de altruísmo. Cinquenta e quatro crianças de dois níveis etários (i.e., 5-6 anos; 8- -9 anos) foram (a) confrontadas com três exemplos de transgressões morais; (b) solicitadas a atribuir emoções positivas ou negativas ao transgressor em ambas as condições; e (c) colocadas depois numa situação onde podiam doar algumas das guloseimas recebidas pela sua participação na investigação. Os resultados mostram que (1) o número de vitimizadores...

  5. A criança com doença crónica, os pais e a equipa terapêutica

    Carreiras, Maria Antónia Trigueiros de Castro
    A autora, neste texto, salienta a importância de uma equipa terapêutica envolver, de forma atenta e activa, os pais da criança com doença crónica.

  6. Sobre o choro: Análise de perspectivas teóricas

    Santos, Ana Sofia Correia Dos
    O choro tem sido vastamente estudado como indicador de diagnóstico de desordens de foro neurológico. Contudo, os contributos dos teóricos preocupados com a interacção mãe-bebé sugerem, ainda que indirectamente, a importância desta manifestação – choro – no contexto da relação entre o bebé e uma figura privilegiada. Lebovici sublinha, aliás, a importância do choro neste contexto quando diz: «basta imaginar o que seria a tarefa dos pais na ausência dos gritos: eles deveriam então adivinhar quando o bebé tem fome, quando ele está sujo, e quais são as suas diversas necessidades e desconfortos. Em definitivo, uma situação no primeiro contacto mais calma e menos ansiogénea, seria uma realidade mais preocupante, pois então ela constrangeria...

  7. Sobre o choro: Análise de perspectivas teóricas

    Santos, Ana Sofia Correia Dos
    O choro tem sido vastamente estudado como indicador de diagnóstico de desordens de foro neurológico. Contudo, os contributos dos teóricos preocupados com a interacção mãe-bebé sugerem, ainda que indirectamente, a importância desta manifestação – choro – no contexto da relação entre o bebé e uma figura privilegiada. Lebovici sublinha, aliás, a importância do choro neste contexto quando diz: «basta imaginar o que seria a tarefa dos pais na ausência dos gritos: eles deveriam então adivinhar quando o bebé tem fome, quando ele está sujo, e quais são as suas diversas necessidades e desconfortos. Em definitivo, uma situação no primeiro contacto mais calma e menos ansiogénea, seria uma realidade mais preocupante, pois então ela constrangeria...

  8. Vinculação e modelos internos dinâmicos : Da representação sensorio-motora à representação simbólica

    Garcia, Filipa Maria Caldeira da Silva
    Tese de Doutoramento em Psicologia na área de especialidade Psicologia do Desenvolvimento apresentada ao ISPA - Instituto Universitário

  9. Infant massage improves attitudes toward childbearing, maternal satisfaction and pleasure in parenting

    Bárcia, Sónia Cristina da Silva Vicente Cascão; Veríssimo, Manuela; Diniz, Eva
    The first year of motherhood is a period of growth and adaptation in women's lives with several challenges such as identifying the baby's needs and giving appropriate answers, so that mother and baby get to know each other and form a strong bond. Infant massage is one of the approaches that make an important contribution to the psychological and physiological wellbeing of both baby and mother, helping to form a harmonious relationship. This longitudinal study assessed the benefits of infant massage in the relationship between mother and baby, from birth to 12 months old. Comprising 194 dyads of mothers and...

  10. O desenvolvimento de competências ortográficas e as interacções sociais

    Almeida, Marta Mendes de; Guerreiro, Marta Carla Valeixo Gomes Carlos; Mata, Maria de Lourdes Estorninho Neves
    Este artigo descreve um trabalho desenvolvido com crianças do 2.” ano de escolaridade, sobre o papel das interacções sociais na escrita de palavras orientadas por uma regra ortográfica e de palavras não orientadas por uma regra ortográfica. Verificámos que o funcionamento interactivo das díades se assumiu como um importante meio de aprendizagem e domínio da escrita. Verificámos também que estas crianças não só explicitaram mais facilmente a escrita de palavras orientadas por uma regra ortográfica, como também evoluíram mais nestes casos, interiorizando a regra e aplicando de forma mais eficaz.

  11. Juízo moral e psicogênese: Um estudovcom escolares de diferentes idades e classes sociais

    Andrade Júnior, Adaleir Alves de; Rossetti, Cláudia Broetto; Santos, Cláudia Cypreste dos; Alves, Rosimar Macedo
    Esta pesquisa pretendeu verificar semelhanças e diferenças entre as respostas dadas as questões sobre regras de jogos e a quatro situações de dilema moral, de forma a classificá-las nos estágios de desenvolvimento moral propostos por Piaget (1932) - anomia, heteronomia e autonomia - em 40 crianças, distribuídas em oito grupos: 6-7 e 1 0- 1 1 anos, NSE superior e inferior, separados igualitariamente entre os sexos. Em aplicação individual e gravada, foi realizado: (a) um ((interrogatório)) sobre as regras de jogos e (b) a leitura de quatro histórias clássicas (punição, responsabilidade subjetiva, justiça e autoridade) propostas por Piaget (1932), adaptadas i realidade local e ao sexo dos sujeitos, cada uma seguida de questões...

  12. Além de Piaget? Sim, mas Primeiro Além da Sua Interpretação Padrão!

    Lourenço, Orlando
    A teoria de Piaget tem sido sujeita ao que pode ser chamada a sua interpretação padrão. Embora tornada possível pela ambiguidade de Piaget em relação a alguns dos seus conceitos centrais (e.g., estádio e estrutura), essa interpretação deve-se em grande parte ao seu foco sobre a teoria de estádios estruturais de Piaget em detrimento da sua teoria de equilibração, e i sua ênfase em investigações factuais em detrimento das conceptuais. Neste estudo eu mostro que é possível e importante ir além da interpretação padrão de Piaget, e reinterpretar ou estender a teoria de Piaget na base da epistemologia construtivista que a informa. Argumento que quando se vai além da interpretação padrão, então na...

  13. Consciência fonológica e aprendizagem da leitura: Mais uma versão da velha questão da galinha e do ovo

    Silva, Ana Cristina
    Este artigo procura analisar a relação entre o desenvolvimento das competências fonológicas e a evolução das conceptualizações infantis sobre a escrita em crianças pré-silábicas, através de dois estudos empíricos. No primeiro procurou-se proceder a um treino no sentido de induzir uma restruturação das representações das crianças sobre a escrita. O treino revelou- se eficaz no sentido de fazer evoluir as crianças para um nível conceptual silábico. Por outro lado verificou-se nas crianças submetidas a este programa uma evolução das suas competências de análise do oral sobretudo ao nível da manipulação de unidades silábicas. No segundo estudo procedeu-se a um programa de treino fonológico com incidência nas unidades silábicas. Este treino permitiu uma evolução significativa das...

  14. Interacções sociais e aprendizagem: A influência do estatuto do par nas dinâmicas interactivas e nos procedimentos de resolução

    Peixoto, Francisco José Brito; Menéres, Maria Sofia Seabra Pereira Cabral
    O presente trabalho teve como objectivo a comparação da indução de estatuto em duas condições de assimetria com uma situação de interacção simétrica. Como hipótese geral partimos da ideia de que as interacções assimétricas desencadeariam maior predominância de regulações relacionais e, como consequência, os sujeitos envolvidos nesse tipo de dinâmicas apresentariam menos benefícios que os seus congéneres implicados em situações de interacção simétricas. A amostra foi constituída por 36 crianças, com idades compreendidas entre os 4 anos e 5 meses e os 6 anos, de dois Jardins de Infância de Lisboa. Das 36 crianças, 30 não souberam resolver correctamente a tarefa proposta, no pré-teste, enquanto as restantes 6 o conseguiram. Foi utilizada uma tarefa...

  15. Diferenças de sexo nas atribuições causais: Inconsistências e viés

    Faria, Luísa
    O estudo das diferenças de sexo nas atribuições causais e suas dimensões apresenta resultados inconsistentes, modelos diversos e viés relacionados com o tipo de tarefas usadas nos estudos, com o contexto em que decorrem e, ainda, com variáveis motivacionais e relativas aos papéis sexuais, responsáveis por diferenças de sexo nas atribuições causais. O facto dos diferentes modelos (da externalidade global, da auto-depreciação e das baixas expectativas) para explicarem as diferenças de sexo nos padrões atribucionais, apresentarem como conclusão comum, apenas a evidência de que as raparigas não atribuem o seu sucesso à elevada capacidade, existindo uma maior tendência destas para atribuirem os seus resultados à sorte (Frieze, Whitley, Hanusa & McHugh, 1982), sugere a...

  16. Erro educacional fundamental nos domínios moral, pró-social e académico: Dados empíricos e implicações educacionais

    Sampaio, Ana Cristina; Lourenço, Orlando
    Este artigo apresenta um estudo empírico sobre o erro educacional fundamental (Lourenço, 1994) em contexto educativo e familiar. Os participantes foram 96 crianças (i.e., 48 do 1.º ano e 48 do 4.º ano de escolaridade), os seus professores (N=96) e os seus pais (N=192; i.e., 96 mães e 96 pais). Cada um dos participantes foi confrontado, primeiro, com histórias de transgressão e de adesão moral, pró-social e académica e solicitado, depois, a escolher entre sanccionar o protagonista da transgressão e elogiar o protagonista da adesão ou cumprimento da norma. Os resultados mostram (1) que o erro educacional fundamental foi cometido tanto pelas crianças como pelos seus educadores (i.e., pais, mães e professores); (2)...

  17. «O que é, bebé?», ou o que a Mãe diz ao Recém-nascido no Contacto Precoce

    Carreiras, Maria Antónia Carreiras; Monteiro, Hk Benedicta; Carvalho, Arnaldo; Patrício, Madalena; Garcia, Fernanda Torgal; Pedro, João C. Gomes
    Com o presente estudo, que se insere numa investigação mais lata sobre padrões de comunicação precoce mãe-criança, pretende-se descrever algumas das características da linguagem verbal que as mães dirigem aos seus filhos, durante o contacto-precoce e da forma como o bebé real é, nesse momento, percepcionado e investido pela mãe. Para tal realizou-se o registo auditivo do contacto precoce de 30 pares de mães-bebés. Posteriormente analisou-se o discurso materno que foi classificado em diversas categorias relacionadas com aspectos da estrutura sintáctica e com análise de conteúdo. Constatou-se que as mães recorrem pouco a expressao verbal, no primeiro contacto com os seus filhos. Quando o fazem utilizam uma linguagem que tem características da «fala de bebé))...

  18. «O que é, bebé?», ou o que a Mãe diz ao Recém-nascido no Contacto Precoce

    Carreiras, Maria Antónia Trigueiros de Castro; Monteiro, Hk Benedicta; Carvalho, Arnaldo; Patrício, Madalena; Garcia, Fernanda Torgal; Pedro, João C. Gomes
    Com o presente estudo, que se insere numa investigação mais lata sobre padrões de comunicação precoce mãe-criança, pretende-se descrever algumas das características da linguagem verbal que as mães dirigem aos seus filhos, durante o contacto-precoce e da forma como o bebé real é, nesse momento, percepcionado e investido pela mãe. Para tal realizou-se o registo auditivo do contacto precoce de 30 pares de mães-bebés. Posteriormente analisou-se o discurso materno que foi classificado em diversas categorias relacionadas com aspectos da estrutura sintáctica e com análise de conteúdo. Constatou-se que as mães recorrem pouco a expressao verbal, no primeiro contacto com os seus filhos. Quando o fazem utilizam uma linguagem que tem características da «fala de bebé))...

  19. Deslumbramento e bom-senso: Pequeno ensaio sobre a história e os direitos da criança e da família

    Sá, Eduardo
    O autor reflecte sobre alguns momentos-chave da história da criança, daí partindo para algumas reflexões acerca dos direitos da criança e da família.

  20. Cognitive status as a risk factor for maladjustment in children with a physical disability

    Wallander, Jan L.; Becker, Lise M.
    Investigated the association between cognitive status and adjustment in children who have a physical disability, in three independent studies. In Study 1, 119 mothers reported on the cognitive status and behavioral adjustment of their children, ages 2-18, who had varying physical or sensory impairments. In Study 2, the intellectual level of 50 children, ages 6-1 1, with either spina bifida or cerebral palsy, was estimated from cognitive test information while mothers reported on the children’s behavioral adjustment. In Study 3,66 adolescents, ages 11-18, with a physical disability completed an IQ test and reported on their behavioral adjustment, as did their mothers. Severity of physical disability was also assessed in each study. No relationships could...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.