Mostrando recursos 1 - 20 de 26

  1. Maria Teresa Meireles, Elementos e entes sobrenaturais nos contos e lendas, Lisboa: Vega, 1999, 195 pp.

    Fonseca, Olga Maria Costa da
    Nos últimos tempos, a literatura tradicional de transmissão oral tem sido objecto de análise em múltiplas áreas do saber, revelando-se progressivamente fecunda: quanto mais se detém, diversifica e aprofunda o olhar sobre o seu corpus, mais florescem as descobertas, mais se ramificam os caminhos a percorrer. Esta obra de Maria Teresa Meireles, com prefácio de Nuno Júdice, é, a um tempo, mais um desses olhares que perscrutam as memórias, os saberes contidos nos contos e lendas da tradição oral, e um estímulo, um abrir de portas para novas pesquisas. Tendo por base uma dissertação de Mestrado, este estudo, como refere Nuno...

  2. Povo, povo eu te pertenço

    Cardigos, Isabel
    Filipa Faísca de Sousa, guardiã da tradição oral de Querença, poeta popular, artesã, transmissora de romances, orações, contos, cantigas, de saberes e de sabores, merece um livro que guarde e transmita tudo o que ela guardou e transmitiu. E ele aí está. Editado pela Câmara de Loulé, o livro foi organizado pela incansável colectora de literatura oral Idália Farinho Custódio. Permitimo-nos transcrever as palavras introdutórias ao livro da autoria da grande estudiosa Maria Aliete Galhoz, que também se encarregou da classificação e notas.

  3. Homer's traditional art. Considerações duma estudiosa de Literatura Clássica

    Viana, Mafalda de Oliveira
    Começamos pelo título – Homer’s Traditional Art – dado por John Miles Foley a esta sua leitura dos poemas Ilíada e Odisseia . Trata - se de pensarmos na posição que aí se inscreve, para prosseguirmos com a leitura dos pressupostos teóricos enunciados no prefácio. Eles marcam bem a diferença que faz de Foley a referência que o seu nome constitui neste âmbito de estudos.

  4. Rimas infantis: a poesia do recreio

    Tarujo, Luís
    Nos últimos anos tem - se assistido à publicação de um sem número de obras dedicadas à Literatura Infantil. No entanto, poucas são aquelas que se referem à herança legada pela literatura de tradição oral ao mundo das crianças. De entre elas, tivémos o grato prazer de conhecer o estudo que Clara Sarmento elaborou sobre as rimas infantis. Este tipo de folclore infantil rimado de transmissão oral é aquele que mais próximo se encontra do universo das crianças – desde o nascimento até às brincadeiras e outras acti vidades infantis durante os Primeiro e Segundo Ciclos do Ensino Básico – sendo, por isso, um instrumento importante para quem pretende estudar não só o património cultural...

  5. Folklore and literature. Studies in the portuguese, brazilian, sephardic, and hispanic oral traditions

    Snow, Joseph T.
    Folklore and Literature is a collection of entertaining yet scholarly writing with something for every student of oral Romance literatures. Its author is well - known for his extensive work in the Hispano - Portuguese ballad tradition and his cycle of studies on many other medieval and early modern works of popular poetry and prose ( Celestina, Lozana andaluza ). His expertise, accumulated over long years of direct contact with folk song and folkways, is on ample display in this ambitiously sub titled collection of eight studies, complete with appendices of full texts that were only partially referred to in the studies, useful end notes, almost thirty pages of works cited – a sign of the extensive preparation that...

  6. $rec.titulo

    Sarmernto, Clara
    Cuando los judíos fueron expulsados de la Península habían vivido aquí durante casi catorce siglos. Como recuerda José Manuel Fraile en una exquisita grabación dirigida por Susana Weich-Shahak (Arboleras, 1996), no pudieron llevarse, en su exilio, ni monedas ni objetos materiales, pero sí un riquísimo repertorio poético-musical que hoy debería figurar en la realidad cultural española. Esta antología viene, como otros trabajos de la misma autora, a remediar en lo posible ese olvido y, sobre todo, a restituirnos la memoria, cuyo origen es muy anterior a nuestra propia existencia. Para ello, la profesora Weich-Shahak ofrece un enjundioso corpus de tradiciones infantiles recogidas en prácticamente todos los enclaves...

  7. Repertorio tradicional infantil Sefardí. Retahílas, juegos, canciones y romances de tradición oral.

    Jesús Ruiz, María
    Cuando los judíos fueron expulsados de la Península habían vivido aquí durante casi catorce siglos. Como recuerda José Manuel Fraile en una exquisita grabación dirigida por Susana Weich - Shahak ( Arboleras , 1996), no pudieron llevarse, en su exilio, ni moned as ni objetos materiales, pero sí un riquísimo repertorio poético - musical que hoy debería figurar en la realidad cultural española. Esta antología viene, como otros trabajos de la misma autora, a remediar en lo posible ese olvido y, sobre todo, a restituir nos la memoria, cuyo origen es muy anterior a nuestra propia existencia. Para ello, la profesora Weich - Shahak ofrece un enjundioso corpus de tradiciones infantiles recogidas en prácticamente todos los enclaves...

  8. Poesia espiritual mágico-religiosa. A propósito de dois livros recentes

    Nogueira, Carlos
    Na tradição oral portuguesa subsiste um vastíssimo corpus de textos com valor ilocucionário, quer dizer, investidos de força pragmática, ritual, aos quais se atribui uma eficácia que explica a sua pulverização e persistência espacial e temporal. Essa riqueza contrasta – mau grado os abundantes espécimes reunidos em cancioneiros, romanceiros e monografias – , com a quase inexistência de colectâneas portuguesas exclusivamente dedicadas a esses poemas orais com função oracional, devocional, actuantes sobre potências e forças superiores ou exteriores ao homem. Tratand o - se embora de uma fascinante forma de poesia que se presta a enfoques analíticos aptos a destacar as junturas interdisciplinares que a notabilizam enquanto terreno pregnante de sentidos, a verdade é que também não beneficiou...

  9. El romancero vulgar y nuevo de Flor Salazar, con la colaboración de Diego Catalán

    Díaz-Maroto, Francisco Mendoza
    Por fin está en la calle este Romancero vulgar, de larga y laboriosa gestación. Por razones que sería triste explicar, yo no he podido leerlo hasta mayo del 2001, aunque lleva colofón de tres años antes y pie de imprenta de 1999. En cualquier caso, su publicación demuestra que, si uno toma la precaución de no morirse antes de tiempo, tiene más probabilidades de hacer realidad sus sueños. Aunque Azorín acuñó la expresión primores de lo vulgar, el adjetivo tiene unas connotaciones peyorativas que aconsejarían su sustitución: me parece más justo y adecuado el término semitradicional, que utilicé en mi tesis, sobre el romancero oral en la provincia de Albacete (leída en 1987 y parcialmente publicada...

  10. Cuentos del siglo de oro en la tradición oral de Asturias

    Gonzalo Tobajas, Angel J.
    Esta obra es un más que interesante corpus sobre la tradición oral. Supone un trabajo de recogida de material en habla viva del pueblo asturiano que consta de 235 versiones para 100 cuentos tipo recogidos entre 1987 y 1998, en su mayoría (204) tomados de las encuestas de campo del propio autor.

  11. Da memória do povo - Recolha de literatura popular da tradição oral do Concelho de Portimão

    Galhoz, Maria Aliete
    Margarida Tengarrinha oferece - nos, nesta obra, um leque bastante diversificado do património, adentro das “artes da fala”, correndo nas memórias do povo do concelho de Portimão. O fruto da sua recolecção, os “textos” que recebeu, transcreveu e estudou, é aqui editado com uma valência, cremos,, primeiro que tudo pedagógica. Assim, os textos agrupam - se por “manchas de leitura” com uma coerência interna aglutinadora, aparecendo ordenados sob uma classificação entre formal — segundo os “géneros”, como “contos” , “lendas”, “romances”, “orações”, por exemplo — e temática — por “fundos de sentido” semantizados nas comunicações: “bruxas e bruxedos”, “benzeduras, mezinhas, maldições e superstições”, “poesias maliciosas”, por exemplo.

  12. "Una yerva enconada": sobre el concepto de "Motivo" en el romancero tradicional

    Débax, Michelle
    Este libro fascina sólo al leer el título y al ver la portada: unas hebras de hierba, secas algunas en su extremidad, retorciéndose una de ellas para acabar en un como anillo en la parte de arriba al lado del título al que enmarca. En la parte de abajo, una viñeta ostenta un castillo medieval, detrás de cuyo torreón central sale una escala con dos duendes encaramados que parecen atrapados por las hierbas. A la izquierda del castillo en lo alto brilla un sol - luna que representa una como cara y a la derecha ondulan unas líneas. Encima de los dos torreones laterales simétricos flamean dos banderas y el...

  13. The nearness of the remote: "The Broom of the Cowdenknows" (Child 217) revisited

    Rieuwerts, Sigrid
    "The Broom of the Cowdenknows" has been put forward by Robert Chambers as "the best specimen that can be given of that native poetry on which Scotland prides herself so much." 1 "The Brume o' the Cowdenknowes" Chambers had in mind, however, is not the tradi tional ballad, but — as he calls it — a "simple, delightful, and truly pastoral song" 2 that was first published in Allan Ramsay's Tea - Table Miscellany in 1723 and was written by a man — or more likely a woman — with the initials S.R.:

  14. Quadra tradicional: questões de estrutura e de forma

    Saraiva, A. Arnaldo; Nogueira, Carlos
    O elevado grau de fluidez da quadra tradicional – que participa da mutabilidade e flexibilidade características de toda a literatura de transmissão oral – faz dela um espaço complexo, movediço e resistente a quadros taxinómicos rígidos ou definitivos. Partindo desse pressuposto, quisemos determinar neste artigo as principais linhas de instabilidade desta forma poética e os seus principais processos de edificação, nos planos estrutural e formal. Procurámos demonstrar que a quadra encerra uma força de conflito decorrente de uma dialéctica de abertura e de fechamento, relacionada com impulsos quer de condensação e fixação quer de intensificação ou derivação de sentidos.

  15. El romance de La adúltera em hispanoamérica. Análisis de variantes

    Mancebo Perales, Paco
    O presente artigo expõe o resultado prático duma análise comparativa, ao nível da intriga, dentro de um amplo e variado corpus hispanoamericano do romance La aúltera. A busca de elementos comuns e distintivos nas 42 versões submetidas a estudo revela a existência de dois tipos do romance. Um corresponde às versões procedentes dos Estados Unidos, México e Nicaragua (tipo 1); o outro engloba os textos recompilados em Cuba, República Dominicana, Porto Rico, Venezuela, Colômbia, Perú, Chile, Argentina e Uruguai (tipo 2). Enquanto o primeiro evoluiu de acordo com o sistema de valores dos seus re-criadores, o segundo manteve-se mais apegado à...

  16. La fille difficile: un conte-type africain

    Correia, Paulo
    Apesar de se encontrar actualmente editado um número apreciável de antologias de contos da tradição oral das diversas etnias africanas da África sub - saariana, tarda em chegar um índice que os classifique de uma forma lógica, sistemática e global. As tentativas até agora feitas ( todas elas vindas de investigadores americanos) só produziran quatro índices de tipos 1 e um índice de motivos 2 incidindo sobre áreas geográficas muito restritas e, consequentemente, aplicados a corpus reduzidos. Seria, pois, indispensável um tal empreendi mento como instrumento de trabalho, fundamental aos estudos comparativos da riquíssima tradição oral africana. Nesse sentido, o aparecimento de obras monográficas que compilem o maior número possível de versões de um mesmo conto provindas de uma área...

  17. Tradições musicais da Estremadura

    Cohen, Judith R.
    This monumental, hefty volume is the work of someone who passionately loves musical tradition, and believes in documenting and disseminating it; it is hard to believe that the author’s full - time “official” profession has nothing to do with music or ethnogr aphy. The focus on Estremadura is an unusual and welcome one: while there is always more work to be done on Trás - os - Montes, the Beiras and other regions of mainland Portugal, little attention has been paid to Estremadura. Clearly, the author wanted to get “everything” in, and the result is a multi - faceted picture of musical traditions in this province, a book to return to often, to read, to look at, and...

  18. Os ogros na tradição oral angolana

    Cardigos, Isabel
    Os Ogros apresenta-se como uma extensa e elucidativa apresentação (116 pp.) de uma rica antologia de 108 narrativas angolanas sobre ogros compiladas de livros e revistas impressos em (ou mais tarde traduzidas para) português e ordenadas por um critério de agrupamento etno-linguístico, seleccionado de um autor, de entre vários, todos eles referidos.

  19. The types of folk legends: the stuctural-semantic classification of lithuanian aetiological, mythological and historical legends

    Cardigos, Isabel
    Lithuanian scholar of folkloristics Bronislava Kerbelyte appeared in the very first issue of E.L.O. , in 1995, with a paper expounding, in an inevitably condensed form, her new concept of classification of folktales, stemming from a specific system of analysis and description of narrative tex ts. 1 Professor Kerbelyte’s model was translated into Russian (“Historical Development of the Structure and Semantics of Folk Tales”, 1991) and has been successfully tested with her classification of a huge corpus of Lithuanian folktales.

  20. Type and genre: a manual for compilation of indices & a bibliography of indices and indexing

    Cardigos, Isabel
    This manual is divided in 6 parts (numbered from A to F): Concepts (A), dealing at length with the notions of Motif, Type and Genre; Praxis (B), the core of this manual, a guide for the making of an index, expounded in eight parts, each of them meticulously organised into clear subheadings; Auxiliary Registers (C), a guide on how to improve the utility of an index with clear and user-friendly cross-referenced information; Sample Analyses (D) using four versions of one particular tale tale for a close analysis of the plot, from which a classification of motifs, types and genre arises; an Appendix (E), defining and giving a list...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.