Recursos de colección

Repositório do ISPA Instituto Superior de Psicologia Aplicada (10.261 recursos)

No Repositório do ISPA pode encontrar diversos tipos de documentos, em formato digital, resultantes da produção científica do ISPA designadamente: teses de doutoramento, teses de mestrado, artigos em publicações periódicas nacionais e internacionais, relatórios técnicos, artigos em actas de conferências nacionais e internacionais e capítulos de livros.

PEDU - Artigos em revistas nacionais

Mostrando recursos 1 - 20 de 84

  1. La interaccion entre iguales como estrategia en los procesos de enseñanza-aprendizaje: Una experiencia con adolescentes.

    Samaniego, Concepción Medrano; Iraneta, Begoña Munarriz; Dominguez, Begoña Martinez; Motrico, Felix Basurco
    Inexistente

  2. O texto livre em crianças do 2º ano de escolaridade: A enunciação e a predicação

    Amante, Lúcia da Graça
    Neste trabalho pretendeu-se estudar as características dos textos livres produzidos ao longo de um ano lectivo por um grupo de crianças do 2º Ano de Escolaridade. Esta análise centrou-se em dois aspectos: A Enunciação (estudo das relações que se estabelecem entre o enunciador e o enunciado por ele produzido) e a Predicação (estudo do tipo de acções desenvolvidas no enunciado pelo sujeito principal). Na Enunciação os resultados obtidos mostraram que as crianças desta idade (7/8 anos) e deste nível escolar escrevem essencialmente textos do tipo DISCURSO embora ao longo do ano lectivo se verifique uma tendência acentuada para o aumento da produção de textos tipo HISTÓRIA. Viu-se ainda que as crianças denotam preferência por...

  3. Percepção de participação actual e ideal nas decisões de gestão da sala de aula e organização do julgamento moral em alunos do 4º ano de escolaridade

    Fidalgo, Zilda
    Desde o trabalho de Rosenthal & Jacobson (1968), muitos psicólogos educacionais se têm preocupado em investigar os mecanismos que na percepção interpessoal conduzem a desigualdade da relação educativa. Ao professor é institucionalmente atribuído o poder de decidir, em boa parte, do futuro educativo da criança. O uso que fará desse poder será naturalmente o resultado de um imbricado de factores que terão que ver com a sua própria personalidade, a ideologia que partilha face A instituição escolar e ao papel do professor, e finalmente com a representação que tiver construído da criança enquanto aluno. Por outro lado, se numa situação concreta as normas definem os comportamentos esperados dos parceiros em interacção (a escola tem normas implícitas e...

  4. Profissão: Professor. Reflexões históricas e sociológicas

    Nóvoa, António
    No final desta digressão sócio-histórica pela profissão docente espero ter deixado explícita a grande complexidade de que se reveste hoje em dia o ensino e a impossibilidade dos professores continuarem submetidos as peias burocrático-administrativas que têm impedido a transformação do seu estatuto profissional.

  5. Creche colectiva/ creche familiar e desenvolvimento infantil

    Matta, Isabel; Almeida, Isaura
    O objectivo deste trabalho foi o de estudar as características de dois contextos educativos diferentes - a Creche Familiar e a Creche Colectiva - analisando os efeitos, ao nível do desenvolvimento infantil, nomeadamente em alguns aspectos referentes ao desenvolvimento das capacidades comunicativas e características do jogo, provenientes da inserção de crianças nestas duas instituições. Foram feitos inquéritos aos pais e técnicos de educação (amas e educadoras de infância) de cada uma das creches referidas bem como o estudo comparativo de dois grupos de crianças com idades compreendidas entre os 2 e os 3 anos. A todas as crianças foi aplicada a Escala de Desenvolvimento de Ruth Griffiths e as crianças foram observadas em trios, sendo...

  6. A representação da palavra escrita em crianças de idade pré-escolar

    Martins, Margarida Alves
    Bernard Schneuwly falando da teoria de Vigotsky (B. Schneuwly 1987) diz: «a linguagem escrita, como a linguagem interior, é uma função particular da linguagem que se desenvolve por diferenciação a partir da linguagem falada. A um certo nível, torna-se uma função independente, autónoma, com uma estrutura e funcionamento próprios, caracterizados nomeadamente pelos seus aspectos abstractos, voluntários e explícitos. Mas algumas questões importantes continuam em aberto: qual é a forma linguística desta linguagem; quais as etapas da sua aquisição; quais os mecanismos e meios que permitem a sua construção e o seu funcionamento? » É no quadro destas interrogações que este trabalho se situa. O nosso objectivo contribuir para a compreensão da forma como as crianças constroem e interiorizam...

  7. Estimation des changements personnels en formation

    Piolat, Michel
    Mon intérêt pour l’estimation des changements personnels provient à la fois de la pratique que j’ai eue et continue d’avoir dans le domaine de la formation d’adultes et de l’évolution de mes préoccupations de recherche depuis quelques années. Sur le terrain de la formation j’ai surtout travaillé avec des enseignants, des futurs formateurs, des cadres infirmiers, en reconversion, c’est à dire des personnes entreprenant à la faveur de formations de longues durées des changements parfois profonds dans l’exercice de leurs rôles et de leurs statuts.

  8. As concepções sobre as práticas educativas das crianças de Alfama - Análise a partir de dramatizações

    Martins, Margarida Alves; Matta, Isabel
    O objectivo deste trabalho foi estudar as representações de crianças do bairro de Alfama/Lisboa (enquadrada num projecto mais lato de investigação/ intervenção educativa nesta zona) sobre dois contextos educativos contrastados: escola e centro de actividades de tempos livres. Partimos da seguinte interrogação: Em que medida e como é que as crianças ao nível das suas representações ligam contextos educativos a sequências interactivas diferenciadas. Utilizámos uma metodologia inovadora no estudo das representações - registo e análise de dramatizações com fantoches. Centrámos a nossa atenção em variáveis ligadas a gestão, instrução, avaliação, feed-back e comportamento. Procedemos a dois tipos de análise: importância relativa destas variáveis em cada um dos contextos educativos. Análise qualitativa dos comportamentos interactivos que ocorrem em cada uma...

  9. O texto livre em crianças do 2P ano de escolaridade: A enunciação e a predicação.

    Amante, Lúcia da Graça
    Neste trabalho pretendeu-se estudar as características dos textos livres produzidos ao longo de um ano lectivo por um grupo de crianças do 2P Ano de Escolaridade. Esta anáiise centrou-se em dois aspectos: A Enunciação (estudo das relações que se estabelecem entre o enunciador e o enunciado por ele produzido) e a Predicação (estudo do tipo de acções desenvolvidas no enunciado pelo sujeito principal). Na Enunciação os resultados obtidos mostraram que as crianças desta idade (7/8 anos) e deste nível escolar escrevem essencialmente textos do tipo DISCURSO embora ao longo do ano lectivo se verifique uma tendência acentuada para o aumento da produção de textos tipo HIST6RIA. Viu-se ainda que...

  10. Avaliação em língua materna e matemática do 1.º ciclo do ensino básico: Critérios referidos e utilizados por professores e percepcionados por alunos com sucesso e insucesso escolar.1991

    Martins, Margarida Alves; Matta, Isabel; Mata, Maria de Lourdes Estorninho Neves; Nunes, Cristina
    inexistente

  11. Aceitação e eficácia de um programa de intervenção psicoeducativa para pais de crianças com asma: Estudo exploratório

    Da Silva, Cláudia Mendes; Barros, Luísa; Simões, Fátima
    Considerando a importância que a educação sobre a asma deve assumir no plano de gestão familiar da doença, e a falta de programas deste tipo em Portugal, construímos uma intervenção psicoeducativa breve para pais de crianças com asma entre os 7 e os 13 anos, visando a aquisição de atitudes mais positivas na gestão da doença. O estudo teve como objetivo avaliar a aceitação, eficácia e a satisfação relativa ao programa intervenção. Completaram a intervenção 10 mães, tendo participado nas 3 sessões de grupo e nos 3 momentos de avaliação (linha de base, final da intervenção e follow-up a 9 meses). Para além da recolha de...

  12. A multidimensionalidade da adaptação escolar na pré-adolescência

    Menezes, Helena Isabel Monteiro; Lemos, M. S.; Rodrigues, L. P.
    A presente investigação procura fomentar a reflexão e a compreensão do fenómeno da adaptação escolar. Partindo da exploração da literatura e de um conjunto de pressupostos teóricos de ordem desenvolvimental e ecológica, foi concetualmente delineado e testado um modelo multidimensional de adaptação escolar na pré-adolescência. O modelo examina principalmente dimensões sociais, mas também a dimensão académica e o nível socioeconómico familiar, propondo uma visão integrada da adaptação escolar. O estudo empírico desenvolveu-se junto de 706 estudantes pré-adolescentes e avaliou as perceções do próprio estudante e as perceções dos professores e pares acerca da competência social dos estudantes. O teste empírico ao Modelo de Adaptação Escolar evidencia um...

  13. Colaboração entre professores e auto-eficácia docente: Que relações?

    Silva, José Maria de Castro; Silva, Manuela Santos Marques da
    Este artigo reporta os principais resultados de uma investigação que teve por objetivo estudar a influência da autoeficácia docente sobre a colaboração entre professores. O estudo envolveu 82 professores de escolas dos 2º e 3º ciclos de Portugal continental. O instrumento utilizado é constituído por três escalas. A primeira escala identifica as práticas de colaboração implementadas pelos professores, a segunda mede os interesses por colaboração e a última escala avalia as crenças de autoeficácia docente. Os principais resultados sugerem que os professores que se autopercecionam como mais eficientes estão mais disponíveis para colaborar, tendo-se verificado uma correlação entre níveis de autoeficácia docente mais elevados e o interesse dos professores...

  14. Psicologia, educação e ciências da educação: Abertura do I1 Colóquio Psicologia e Educaçâio - ISPA, 1086: Nota de abertura

    Pereira, Frederico
    Inexistente

  15. Abertura do colóquio: Algumas reflexões acerca de “Psicologia e Educação”

    Pereira, Frederico
    Inexistente

  16. Contribuição da literacia emergente para o desempenho em leitura no final do 1.º CEB

    Cruz, Joana Sara; Almeida, Marta; Pinto, Patrícia; Constante, Patrícia; Macedo, Ana; Amaral, Joana; Monteiro, Liliana; Lopes, Elisa; Ferreira, Cristiana
    Aprender a ler e a escrever constituem desafios não só para as crianças, mas também para os agentes educativos que acompanham este processo. Identificar e promover as condições que facilitam um percurso de sucesso são preocupações centrais da comunidade escolar e científica. Este estudo procurou analisar em que medida as competências de literacia emergente, avaliadas na educação préescolar, predizem o desempenho em leitura e escrita no final do 1.º CEB. Participaram no estudo 117 alunos do concelho de Matosinhos que frequentavam o 4.º ano de escolaridade e que tinham sido previamente avaliados na educação pré-escolar. Foram realizadas análises de regressão múltipla que evidenciam que as competências de...

  17. Aprendizagem social e emocional : Reflexões sobre a teoria e a prática na escola portuguesa

    Costa, Ana; Faria, Luisa
    Conseguirá a Escola atual potenciar a aprendizagem social e emocional dos alunos? No quadro de um estudo exploratório qualitativo, partiu-se da análise do discurso de 12 docentes, na maioria do sexo feminino (75%), com idades compreendidas entre 32 e 57 anos (M=44,3; DP=8,95), dos quais 50% leciona ou já lecionou disciplinas de desenvolvimento social e emocional, com o objetivo de contribuir para a compreensão do papel da Escola na promoção de competências sociais e emocionais dos alunos no ensino secundário. Construído de raiz para este estudo, administrou-se um questionário com questões abertas que explorava as perceções dos docentes sobre a importância destas áreas, as estratégias adotadas na...

  18. “Os meus pais só me criticam” – Relações entre práticas educativas parentais (perfecionismo e crítica) e a autoestima, o autoconceito académico, a motivação e a utilização de estratégias de self-handicapping

    Reis, Ivone de Guadalupe Felício dos; Peixoto, Francisco José Brito
    Os trabalhos sobre práticas educativas parentais têm evidenciado a existência de uma relação com o ajustamento académico e social de crianças e adolescentes. Neste estudo pretendemos analisar a relação entre as práticas educativas parentais crítica e perfecionismo, percecionadas pelos estudantes, e a autoestima, o autoconceito, as orientações motivacionais e o uso de estratégias de self-handicapping. Participaram 170 adolescentes do 7º, 8º e 9º ano de um colégio particular da zona da grande Lisboa, que responderam ao Critical Parenting Inventory (Randolph & Dyckman, 1998, adaptada por Miguel, 2010), a uma escala multidimensional de perfecionismo (Soares, Gomes, Macedo, & Azevedo, 2003, adaptada por Miguel, 2010), a uma escala de...

  19. Scaffolding verbal materno e coerência estrutural narrativa da criança em idade pré-escolar

    Carvalho, Joana; Osório, Ana; Martins, Eva Costa; Martins, Carla; Carvalho, Maria João; Soares, Isabel
    O scaffolding assume um papel importante no desenvolvimento das capacidades narrativas das crianças. O objetivo deste estudo foi analisar qual a relação entre o scaffolding verbal materno e a coerência estrutural narrativa da criança. Quarenta e uma crianças (24 rapazes, 58.5%) com 4 anos e suas mães realizaram uma tarefa de elicitação narrativa, utilizando um livro de imagens. O scaffolding foi analisado segundo a Grelha de Cotação de Comportamentos Verbais Promotores da Narrativa nas Crianças em Idade Pré-escolar, enquanto a narrativa foi avaliada com o Sistema de Codificação da Coerência Estrutural Narrativa. Os resultados mostram que os comportamentos maternos que dirigem a atenção e o interesse da...

  20. Contribuição da literacia emergente para o desempenho em leitura no final do 1.º CEB

    Cruz, Joana Sara; Almeida, Marta; Pinto, Patrícia; Constante, Patrícia; Macedo, Ana; Amaral, Joana; Monteiro, Liliana; Lopes, Elisa; Ferreira, Cristiana
    Aprender a ler e a escrever constituem desafios não só para as crianças, mas também para os agentes educativos que acompanham este processo. Identificar e promover as condições que facilitam um percurso de sucesso são preocupações centrais da comunidade escolar e científica. Este estudo procurou analisar em que medida as competências de literacia emergente, avaliadas na educação pré- escolar, predizem o desempenho em leitura e escrita no final do 1.º CEB. Participaram no estudo 117 alunos do concelho de Matosinhos que frequentavam o 4.º ano de escolaridade e que tinham sido previamente avaliados na educação pré-escolar. Foram realizadas análises de regressão múltipla que evidenciam que as competências...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.