Mostrando recursos 1 - 3 de 3

  1. Effect of three artificial diets on the gonadal development of the sea urchin Paracentrotus lividus (Lamarck, 1816)

    Santos, Pedro Castelo Filipe Moreira dos
    O ouriço-do-mar Paracentrotus lividus (Lamarck, 1816) distribui-se ao longo do Mar Mediterrâneo, Mar Adriático e Costa do Atlântico Nordeste, incluindo a costa de Portugal. As gónadas vermelho-alaranjadas, de alto valor de mercado, são consideradas uma iguaria, especialmente em França, Espanha, Itália e Grécia. Nas últimas décadas, a apanha intensiva tem resultado no colapso de várias populações, sendo agravado pelas suas baixas taxas de crescimento. Logo, a aquacultura comercial desta espécie, aliada à investigação científica, são cruciais para compensar o desequilíbrio entre a procura e oferta, permitindo a recuperação dos stocks. Tem sido estudado o uso de rações artificiais para a...
    - 29-nov-2017

  2. Otimização de técnicas reprodutivas do ouriços-do-mar Paracentrotus lividus (Lamarck, 1816) em aquacultura

    Ramos, Rodolfo Miguel de Morais
    Neste estudo avaliou-se a disponibilidade de ouriços-do-mar Paracentrotus lividus (Lamarck, 1816) reprodutores selvagens, na região de Peniche (Portugal), de outubro/2016 a junho/2017. Mostrou-se ser possível obter gâmetas, mesmo fora da época reprodutiva desta espécie. No entanto, a época mais favorável para uma produção de larvas será em março, abril e maio, quando se obteve uma maior percentagem de indivíduos reprodutores e uma maior produção de gâmetas por indivíduo. O presente trabalho avaliou também algumas técnicas para otimizar a reprodução de P. lividus em cativeiro, de forma desenvolver protocolos que possam ser úteis à sua produção em aquacultura, ou mesmo em ensaios...
    - 29-nov-2017

  3. European lobster (Homarus gammarus) larvae under an acidification scenario: addressing biochemical, development and behaviour responses

    Rato, Lénia da Fonseca Alexandre
    A acidificação dos oceanos constitui uma problemática global e a realidade de que está, efetivamente, a acontecer não é uma consideração subjetiva. A Acidificação dos oceanos provocada por emissões de dióxido de carbono de origem antropogénica tem vindo a reduzir o pH das águas superficiais do Oceano e projeções preveem a continuidade deste processo. Embora muita investigação tenha sido desenvolvida no âmbito dos invertebrados que calcificam, tais como moluscos e crustáceos, poucos consideraram o estudo de efeitos ao nível sub-celular para avaliar stress oxidativo ou respostas funcionais do metabolismo energético em tais condições, interligando vários níveis de organização biológica. O objetivo...
    - 23-nov-2017

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.