Mostrando recursos 1 - 20 de 47

  1. Necrópole da Sé Silves

    Casaca, Cecília
    Foram-nos entregues pela Prof. Doutora Teresa Júdice Gamito, resultado da sua intervenção arqueológica no adro da Sé de Silves, várias caixas de plástico contendo restos ósseos humanos, que se encontravam muito fragmentados postmortem, com destruição acentuada, muito provavelmente devido às pressões externas exercidas à superfície do solo (o local está transformado em parque de estacionamento de automóveis) e à baixa profundidade das inumações. Estes ossos estavam separados por sepulturas e ossadas, com os respectivos números de identificação utilizados pelos arqueólogos e que foram seguidos durante o estudo antropológico. Foram estudadas 41 sepulturas e ossadas depositadas no seu contexto e referentes a antigas utilizações.

  2. Contributo para a história da saúde no Algarve


    Terá sido Descartes, no Discurso do Método, que alvitrou que um edifício ficaria muito melhor construído se fosse edificado por um só do que por muitos1. Se, por acaso, esse princípio se aplicava ao próprio ou aos homens que dele fossem contemporâneos, não restará qualquer dúvida, no entanto, hoje, para nós, seres humanos do século XXI, tal conceito não é claro, nem evidente. De facto, o contributo multifacetado de diferentes perspetivas é, se é que existe algum critério (questão que não é, neste momento, objeto das nossas preocupações), a norma da modernidade. Não será motivo de surpresa que a história hodierna,...

  3. Fragmentos para a história do turismo no Algarve


    Está, então, na altura de entrar no conteúdo destes Fragmentos para a História do Turismo no Algarve. Este opúsculo dividir-se-á em três segmentos, um primeiro, que investigará as relações entre o Património/Cultura e o Turismo, consistindo naquilo a que Vítor Neto vai chamar, de forma pertinente e acutilante, de Turismo Sustentável, o único que, ainda na sua perspetiva, pode ser inteiramente viável; um seguinte, que se irá debruçar sobre os primórdios do Turismo no Algarve nas suas variadas manifestações, desde a promoção da Região até à constituição dos primeiros Operadores Turísticos e estâncias balneares; e um derradeiro, que analisará a questão das acessibilidades no desenvolvimento do Turismo,...

  4. The extinction of Neanderthals and the emergence of the Upper Paleolithic in Portugal

    Bicho, Nuno Ferreira
    Este trabalho foi apresentado no âmbito de Provas de Agregação na área de Arqueologia. Estas provas académicas, constituídas por 3 fases, são de carácter público. Para cada fase existe um arguente, sendo as fases, respectivamente, a discussão do currículo do candidato, a análise de um relatório de uma disciplina do ensino universitário e uma lição-síntese, seguida de discussão. Esta última prova consiste numa apresentação de uma hora de um tema à escolha e, como parte constituinte das Provas de Agregação, pode ser pensada de duas formas essencialmente opostas: uma de entre as várias lições do programa da disciplina apresentado no relatório acima mencionado, fazendo por isso a descrição...

  5. O retábulo em Portugal: o Barroco Final (1713-1746)

    Lameira, Francisco; Serrão, Vitor
    O presente texto é a terceira e última parte de uma abordagem ao retábulo barroco em Portugal e surge na continuação dos dois anteriores artigos, ambos publicados na Promontoria. Revista do Departamento de História, Arqueologia e Património da Universidade do Algarve, o primeiro dedicado ao Protobarroco (1619-1668)1 e o segundo ao Barroco pleno (1668-1713)2. O período abordado no presente estudo tem como primeiro limite cronológico o ano de 1713, ocasião em que foi celebrada a escritura pública notarial respeitante à feitura do retábulo da capela-mor da igreja do antigo Colégio da Companhia de Jesus em Santarém, obra ainda existente e que corresponde, em face dos elementos por enquanto conhecidos,...

  6. O retábulo protobarroco em Portugal (1619-1668)

    Lameira, Francisco; Serrão, Vitor
    O presente texto constitui um ensaio de abordagem de conjunto sobre a arte da retabulística produzida em Portugal (continental e insular) durante o período compreendido entre 1619 e 1668, datas estas escolhidas como marcas significativas dado que correspondem aos primeiros exemplares de que se tem conhecimento que marcaram na cultura artística nacional o princípio e o fim do ciclo aqui designado por Retábulo Proto-barroco1. Estas balizas cronológicas que aqui se desenham correspondem a um período de meio século em que a arte dos retábulos, longe de perenizar soluções retardatárias como até agora se pensava, assumiram muito pelo contrário um figurino...

  7. O registo das antiguidades lusitânicas do sul no legado documental de D. Manuel do Cenáculo

    Patrocínio, Manuel F. S.
    Do espólio documental e epistolar que pertenceu a D. Frei Manuel do Cenáculo Villas-Boas (1724-1814), notável figura da Igreja, mas também estudioso e promotor de acções que envolveram primeiras acções em prol do património, contam-se missivas como a que, em 1792, dirige ao Visconde da Lourinhã, à data Governador da província do Alentejo. Dava aí nomeadamente registo de questões relativas aos restos monumentais de Beja, cidade de que era então Bispo, chamando a atenção para a necessidade de arranjo e conservação das velhas muralhas. Tardava uma necessária reparação pois tinham- -se mantido fortes estragos de uma intempérie ocorrida havia trinta anos, observando-se igualmente que as mesmas muralhas continuavam...

  8. Reflexiones en torno a las características formales de los útiles líticos: una visión desde el análisis traceológico

    Gibaja, Juan Francisco
    Desde los inicios, los estudiosos de la Prehistoria han hecho esfuerzos considerables por caracterizar los objetos arqueológicos que aparecían en los yacimientos. La detallada descripción formal de la industria lítica, de la cerámica, de los útiles de metal, etc., han llenado páginas y páginas de artículos y libros. Unas descripciones que, sin embargo, no han cesado en la actualidad. No hay trabajo que se precie que no dedique una parte importante de su contenido a dar a conocer cómo es el registro arqueológico que se está tratando. Aunque la clasificación es un modo de ordenar una realidad para que pueda ser reconocida...

  9. Artefactos em haste e em osso do Paleolítico Superior português

    Évora, Glória Marina Sousa de Almeida
    Está reunida aqui a informação que se encontrava dispersa por artigos publicados em revistas especializadas de Arqueologia e em actas de congressos referentes aos utensílios feitos sobre haste e sobre osso recuperados de escavações arqueológicas na sua maioria realizadas no final do século XIX e durante os século XX. Os 12 sítios arqueológicos referidos neste estudo1 são os únicos até ao momento em que os artefactos sobre matéria dura animal se encontraram preservados, mas como alguns provêm de escavações arqueológicas antigas talvez aí existissem mais artefactos mas em fragmentos que não foram recolhidos devido aos métodos de selecção e recolha de...

  10. Artefactos em haste e em osso do Paleolítico Superior português

    Évora, Glória Marina Sousa de Almeida
    Está reunida aqui a informação que se encontrava dispersa por artigos publicados em revistas especializadas de Arqueologia e em actas de congressos referentes aos utensílios feitos sobre haste e sobre osso recuperados de escavações arqueológicas na sua maioria realizadas no final do século XIX e durante os século XX. Os 12 sítios arqueológicos referidos neste estudo1 são os únicos até ao momento em que os artefactos sobre matéria dura animal se encontraram preservados, mas como alguns provêm de escavações arqueológicas antigas talvez aí existissem mais artefactos mas em fragmentos que não foram recolhidos devido aos métodos de selecção e recolha de...

  11. Artefactos em haste e em osso do Paleolítico Superior português

    Évora, Glória Marina Sousa de Almeida
    Está reunida aqui a informação que se encontrava dispersa por artigos publicados em revistas especializadas de Arqueologia e em actas de congressos referentes aos utensílios feitos sobre haste e sobre osso recuperados de escavações arqueológicas na sua maioria realizadas no final do século XIX e durante os século XX. Os 12 sítios arqueológicos referidos neste estudo1 são os únicos até ao momento em que os artefactos sobre matéria dura animal se encontraram preservados, mas como alguns provêm de escavações arqueológicas antigas talvez aí existissem mais artefactos mas em fragmentos que não foram recolhidos devido aos métodos de selecção e recolha de...

  12. A reconstrução neoclássica de Santa Maria de Tavira

    Correia, José
    A colina genética de Tavira, para além de outras hipotéticas situações urbanísticas ou arquitectónicas anteriores hoje ainda mal conhecidas, fora sem dúvida dominada na época muçulmana pela mesquita maior, espaço sagrado, referente simbólico e elemento ordenador da cidade islâmica. Dela restará porventura, como único elemento material, no todo ou em parte, o minarete, actual torre do relógio. Com esse dominante referente urbano a encontraram os cavaleiros de Santiago e assim a mantiveram através da tradicional refuncionalização dos espaços sagrados. A mesquita maior fora transformada em Matriz de Santa Maria, sob a invocação da Assunção como as principais igrejas da reconquista, nascendo...

  13. Descrições árabes do espaço algarvio, entre os séculos III h. / IX d.C. e VIII h. / XIV d.C.

    Rei, António
    O presente trabalho procura trazer, ao conhecimento do meio cientifico e do publico em geral, uma colectânea de textos geográficos relativos ao espaço que hoje designamos por "Algarve", da autoria de dúzia de letrados árabes, dos quais cinco deles eram hispano-árabes. Entre obras mais antigas e complilações tardias, situam-se cronologicamente entre o século III/IX e o século VIII/XIV (a primeira data referente à Hégira e a segunda à era cristã). Atendendo aos critérios editoriais adoptados, optámos por apresentar apenas os autores que não figuram na ainda hoje, incontornável colectânea organizada pelo Prof. Borges Coelho, Portugal na Espanha Árabe.

  14. Contribuição para o estudo do retábulo barroco no alentejo: a oficina do insigne escultor Manuel de Abreu do Ó

    Lameira, Francisco
    De entre os grandes mestres entalhadores portugueses da época barroca sobressaem dois algarvios - Manuel Martins, natural de faro, e Manuel de Abreu do Ó, natural de Tavira. Enquanto que o primeiro faz toda a sua carreira no Algarve, o segundo é atraido por um centro produtivo de maiores dimensões - a região alentejana - tendo-se aí afirmado pela sua competência e está na origem de uma das mais proeminentes oficinas de entalhe na segunda medade do século XVIII, cujo vulto principal é o seu filho Sebastião de Abreu do Ó.

  15. O retábulo em Portugal: o Barroco pleno (1668-1713)

    Lameira, Francisco; Serrão, Vitor
    O presente texto surge na continuidade de um outro, O Retábulo Protobarroco em Portugal (1619-1668), elaborado pelos autores e publicado no primeiro número de Promontoria. Revista do departamento de história, arqueologia e património da universidade do Algarve, e antecede um outro, entretanto já praticamente concluído, que terá por título O Retábulo em Portugal: o Barroco final (1713 - meados do século XVIII). Operiodo cronologico abordado no presente estudo (1668-1713) surge, a nosso ver, como a etapa mais relevante na evolução do retábulo barroco em Portugal, podendo-se mesmo incluí-lo num dos momentos mais representativos de toda a história da arte portuguesa.

  16. Análisis traceológico del taller de sílex del Neolítico antiguo de Vale Santo 1 (Sagres, Vila do Bispo)

    Gibaja, Juan Francisco; Carvalho, António Faustino
    El yacimiento de Vale Santo 1 se localiza en una extensa plataforma litoral que seextiende al norte de la población de Sagres (Vila do Bispo), en un paisaje conformado por dunas (Fig. 1). De hecho, el lugar scogido para esta ocupación prehistórica correspondea una duna poco elevada, que ha estado parcialmente afectada por un proceso de ex-tracción de arenas.Los primeros trabajos de excavación tuvieron lugar en 1998, siendo dirigidos por N. F. Bicho en el marco de su proyecto de investigación “ A ocupação humana paleolíticado Algarve”. Estos trabajos permitieron definir la estratigrafía del yacimiento (en el que sepreservaba un...

  17. A ocupação da camada 3 da Lapa dos Coelhos (Casais Martanes, Torres Novas) : novos elementos sobre a produção de suportes lamelares durante o Magdalenense final da Estremadura Portuguesa.

    Gameiro, Cristina; Almeida, Francisco
    A escavação da Lapa dos Coelhos, pequena gruta do sistema cársico da nascente do rio Almonda (Torres Nova), permitiu a identificação, em estratigrafia, de dois níves bem preservados e datados do último ciclo glaciar-interglaciar (cf. Almeida et alli, neste volume). Um destes níveis, corresponde à camada 3, datada pelo radiocarbono de 11.660_+60BP (GrN-18377), apresentava uma grande densidade de attefactos líticos. Entre 1997 e 2002, numa superficie de cerca de 8,5m2, foram recolhidas 6379 peças.

  18. Novos dados para o paleolítico superior final da Estremadura portuguesa: resultados preliminares dos trabalhos arqueológicos de 1997-2003 no Lapa dos Coelhos (Casais Martanes, Torres Novas)

    Almeida, Francisco; Angelucci, Diego E.; Gameiro, Cristina; Correia, José; Pereira, Teresa
    A Lapa dos Coelhos é uma cavidade cársica que se encontra na encosta sobranceira à nascente do Rio Almonda, de cujo sistema cársico faz parte (Figura 1 ). O seu potencial arqueológico está indiciado desde 1988, quando, no âmbito do levantamento espeleológico das várias entradas do complexo cársico da Gruta do Almonda, elementos da STEA (Sociedade Torrejana de Espeleologia e Arqueologia) encontraram, à superfície do preenchimento sedimentar, alguns artefactos líticos de cronologia paleolítica (Paleolítico Superior), juntamente com alguns ossos de lagomorfo (Zilhão et ai., 1993). O difícil acesso à entrada da Lapa, no entanto, foi adiando o início de uma intervenção...

  19. Faunas mamalógicas do Neolítico antigo do Maciço Calcário Estremenho: análise preliminar de dados recentes

    Carvalho, António Faustino; Valente, Maria João; Haws, Jonathan A.
    Os contextos arqueológicos em território português contam ainda com poucos estudos arqueozoológicos, situação que se torna muito evidente quando aplicada ao neolítico antigo. Mesmo no caso da Estremadura Portuguesa, região comummente considerada como objecto de ampla investigação arqueológica, apenas a Gruta do Caldeirão, em Tomar, e o Abrigo da Pena d’Água, em Torres Novas, revelaram restos faunísticos deste período em quantidades minimamente significativas (sobretudo o primeiro), tendo sido objecto de análise e publicação próprias (Rowley-Conwy, 1992 e Davis, 2002; e Valente, 1998, respectivamente). Dado o carácter ainda muito exíguo dos dados arqueozoológicos disponíveis para o estudo do processo de neolitização da Estremadura,...

  20. Humanos e carnívoros no paleolítico superior inicial em Portugal: arqueozoologia e tafonomia da gruta do Pego do Diabo (Loures)

    Valente, Maria João
    Nas últimas décadas vários investigadores têm referido que os caçadores humanos do plistocénico superior competiam directamente com os demais animais carnívoros, muitas vezes ocupando o seu espaço natural no ecossistema e sobrepondo as suas estratégias de captação de recursos alimentares (e.g. Binford, 1981; Blasco, 1997; Blumenshine, 1995; Blumenschine e Marean, 1993; Brantingham, 1998; Brugal e Jaubert, 1991; Brugal et al., 1997; Fosse, 1995; Hockett, 1993; Stiner, 1994; Straus, 1992). O presente trabalho analisa os restos faunísticos da Gruta do Pego do Diabo, sítio que contêm depósitos de ocupação humana classificada como Aurinhacense por J. Zilhão (1997) e que possibilita a análise...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.