Mostrando recursos 1 - 11 de 11

  1. Contributo para o estudo do futurismo no Algarve: o caso da coluna de poesia - gente nova – futurismo

    Vargues, João
    O início do século XX assistiu ao irromper de um novo espírito que suscitou toda uma série de questionamentos ao nível da sustentabilidade dos sistemas que até aí haviam presidido a constituição das estruturas pessoais e sociais na cultura ocidental. A esfera artística assumiu-se como um dos principais agentes neste campo, partindo do quadro de uma reflexão marxista sobre os elementos estruturais que originaram as elaborações sociais próprias às sociedades marcadas pela massificação e pelo capitalismo. Formulando a proposta da criação de uma nova ordem, a ser realizada pela invasão da experiência da arte na vida quotidiana, a vanguarda artística...

  2. Vigilância e memória: IV série da nação Portuguesa (1927-1928)

    Oliveira, A. Paulo Dias
    Em virtude do golpe de 28 de Maio de 1926 e da ditadura nacional que foi o seu efeito mais imediato, o Integralismo Lusitano, com a sua implícita adesão à situação, entrou num período de “acalmia” que se vai reflectir em toda esta série da Nação Portuguesa. Podemos inferir que esta quarta porção abarca, sendo que se trata de uma mera hipótese, visto que os três primeiros números não se encontram datados, o final de 1926 (Dezembro?) ou início de 1927 (Janeiro?)1 e se prolonga até Maio de 1928, data do derradeiro número. Nessa ordem de ideias, o “editorial” do número...

  3. Da constante rectificação mental: III série da nação Portuguesa (1924-1926)

    Cordeiro, José Manuel
    Foi isto a Nação Portuguesa da terceira série. Volvidos dez anos desde a primeira série, o Integralismo Lusitano da terceira série1 da “Nação Portuguesa – Revista de Cultura Nacionalista” 1924- 1926 parece assumir-se, logo de início, como uma força de crítica às "esquerdas" e às "direitas" e apregoa-se, tendo em consideração as posições desde sempre assumidas, como um movimento da extrema-esquerda. Extrema-esquerda! - eis uma novidade a carecer de futuro esclarecimento e que encerra alguma perplexidade para quem tenha tido o Integralismo Lusitano como uma mera corrente de e da direita nacionalista. Esta posição surge num texto de crítica à democracia, ao...

  4. História e ideologia no estado novo – A revisão integralista do passado nacional

    Grilo, Márcia
    O presente artigo, intitulado “história e ideologia no estado novo – a revisão integralista do passado nacional” foi o tema por mim escolhido para a elaboração da minha tese de licenciatura no curso de património cultural, onde pretendo demonstrar que a cultura e a história não são assim tão passivas e apagadas da vida de uma sociedade. Muitas pessoas colocam em questão o real valor do conhecimento da história e por diversas vezes, ao questionarem o curso universitário que frequento, obtendo a resposta orgulhosa de que é património cultural, relacionado com todo o pensamento e acção do homem através da...

  5. Retábulos do Antigo Convento de Jesus em Setúbal

    Afonso, Patrícia
    O presente artigo surge no âmbito da dissertação de mestrado em História da Arte – especialização em História da Arte Portuguesa – “O Retábulo em Setúbal” e tem como objeto de estudo os retábulos do antigo convento de Jesus. Dotado de uma larga disponibilidade financeira, o antigo convento de Jesus era dos mais abastados de Setúbal, contando desde os anos da sua fundação com o patrocínio da família régia. As diversas campanhas de obras realizadas ao longo dos séculos tornaram-no num dos mais célebres e luxuosos edifícios de Setúbal. Ao nível da retabulística, o conjunto apresentado merece especial destaque pela diversidade...

  6. Igreja do antigo convento de Santa Teresa dos Carmelitas descalços de Luanda

    Rodrigues, Helder
    Um estudo sistemático da arquitectura das ordens religiosas nos países que incorporam o império português, nos séculos XV a XIX, que tenha em conta a história particular de cada um dos conventos e igrejas e que considere os edifícios por si, através do seu remanescente ou daquilo que a documentação sobre eles permite inferir, encontra-se ainda por fazer. Porquê, então, investir num estudo monográfico sobre a arquitectura do antigo convento de Luanda? A resposta encontra-se na valia que o templo em questão tem para a compreensão da expansão do barroco português no mundo. Dediquei o primeiro capítulo à breve história da ordem dos carmelitas...

  7. O espaço nas igrejas dos conventos das clarissas da província dos Algarves

    Valente, Teresa
    O reconhecimento da importância do estudo de tipologias na história da arte e, mais especificamente, na história da arquitectura1, enquadra investigações como a presente, sobretudo quando se pretende ultrapassar o critério monográfico e desenvolver uma pesquisa factual de cariz experimentalista, com enfoque nas tipologias como instrumento funcional de trabalho, de forma a entender como foram verificadas ou não, lógicas de construção. Neste pressuposto, seleccionámos as igrejas de conventos femininos - o objecto – da Ordem de Santa Clara – o cliente e o programa - da Província dos Algarves - o contexto geográfico mais especificamente, os conventos3 de: Nª Sª da...

  8. O processo de formação da rede monástico-conventual do Algarve (1189-1834)

    Marado, Catarina Almeida
    A geografia monástico-conventual portuguesa é normalmente caracterizada, em termos gerais, pela confrontação entre o Norte e o Sul, que opõe, da mesma forma, as ordens monásticas às mendicantes. Ou seja, a interpretação da distribuição territorial dos institutos religiosos em Portugal assenta na ideia de que as primeiras se concentraram nas regiões mais a norte e as outras se localizaram preferencialmente a sul. Mas este é apenas o ponto de partida para um amplo campo de trabalho sobre as relações destas instituições com o território. Neste contexto, e procurando conhecer com maior detalhe o modo como o clero regular se distribuiu em terras...

  9. Práxis em arqueologia da arquitectura

    Ramalho, Maria de Magalhães
    Apesar das dificuldades sentidas por todos, julgamos poder afirmar que estão criadas algumas das condições que consideramos fundamentais para que a afirmação da Arqueologia da Arquitectura comece a ter alguma expressão em Portugal. Ao longo dos últimos anos é notória a crescente preocupação dos arqueólogos que habitualmente intervêm em património arquitectónico da importância de se realizarem registos prévios e posterior análise ao nível da estratigrafia muraria. Convêm referir que muitas vezes também essa preocupação/necessidade surge como resultado da solicitação das instituições que gerem o património - IGESPAR e Direcções Regionais de Cultura. Importa lembrar que foi por iniciativa do antigo Instituto Português de...

  10. Arqueologia da Arquitectura: perspectivas metodológicas

    Santos, Raquel
    O trabalho aqui apresentado resulta da dissertação de mestrado subordinada ao tema “Arqueologia da Arquitectura. Perspectivas metodológicas”, defendida na Universidade do Algarve em Fevereiro de 2011. Pretendia-se acima de tudo, contribuir para a difusão, desenvolvimento e consolidação desta disciplina em clara expansão, que se crê fundamental para o estudo e conhecimento do património edificado, um objectivo que serve também o presente artigo, onde se sistematiza a metodologia aplicada em diferentes contextos. Pretendeu-se elaborar um ponto da situação dos conhecimentos actuais na área da Arqueologia da Arquitectura (AA), definindo-se o seu conceito, as disciplinas acessórias e a metodologia aplicável. Recolheram-se exemplos de metodologia...

  11. Reis de Társis, viajantes gregos e o ideal monumental de cidade entre os autores portugueses modernos

    Patrocínio, Manuel F. S.
    Em períodos pré – científicos do conhecimento historiográfico, a perspectivação do passado apoiava-se em dois modos críticos, fosse na atenção conferida às fontes greco-latinas, base de erudição que se configurou na grande fase cultural de tradição humanística de sécs. XVI-XVIII, fosse na atenção dirigida aos vestígios materiais, a que esteve subjacente o sentido de monumento e de monumentalidade. Emergia em resultado e enquanto apreciação do passado, a apresentação de ideias e descrições que traziam consigo modelos figurativos, próximos, na verdade, ao exercício imaginativo, comportando as definições eminentemente visuais que se transformavam rapidamente em estereótipo e em imagem do Antigo, ainda...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.