Mostrando recursos 1 - 9 de 9

  1. Do erro à ideia de erro

    Gomes, Anabela Filipa Ruivo
    Caos, desordem, sujo, torto, incorrecto e acaso são alguns conceitos que ligamos com o universo do erro. Mas será isto o erro? A presente investigação procura questionar a instrumentalização do erro como ferramenta, evidenciando o seu possível papel no fluxo de trabalho de um designer gráfico. Para o seu desenvolvimento tanto a nível conceptual como prático será necessário observar o erro enquanto parte daquilo que se entendem ser as normas padrão e bases do design gráfico no momento em que estas são momentaneamente colocadas em causa.

  2. Design Gráfico e de Embalagem

    Monteiro, Inês Lucas
    A presente dissertação tem por objetivo a apresentação do trabalho realizado no estágio curricular e respetiva análise dos projetos desenvolvidos no estúdio Desoños (empresa sediada em Espanha), no contexto do Mestrado em Design Gráfico, da Escola Superior de Artes de Design das Caldas da Rainha, e ainda o estudo investigativo realizado posteriormente sobre embalagens de produtos alimentares premium. O trabalho está dividido em três partes. Um capítulo dedicado ao estágio curricular, outro ao estudo teórico prático e outro à aplicação prática. Na primeira parte do documento, dedicado ao estágio curricular, descrevesse a entidade de acolhimento, o processo de trabalho e os projetos realizados. Os trabalhos desenvolvidos em estágio são...

  3. Design Gráfico e de Embalagem

    Monteiro, Inês Lucas
    A presente dissertação tem por objetivo a apresentação do trabalho realizado no estágio curricular e respetiva análise dos projetos desenvolvidos no estúdio Desoños (empresa sediada em Espanha), no contexto do Mestrado em Design Gráfico, da Escola Superior de Artes de Design das Caldas da Rainha, e ainda o estudo investigativo realizado posteriormente sobre embalagens de produtos alimentares premium. O trabalho está dividido em três partes. Um capítulo dedicado ao estágio curricular, outro ao estudo teórico prático e outro à aplicação prática. Na primeira parte do documento, dedicado ao estágio curricular, descrevesse a entidade de acolhimento, o processo de trabalho e os projetos realizados. Os trabalhos desenvolvidos em estágio são...

  4. O cartaz no espaço urbano

    Caetano, Mafalda Sofia Oliveira
    Este trabalho científico insere-se no âmbito da Unidade Curricular de Estágio, do Mestrado em Design Gráfico na Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha e no decurso do estabelecimento de um protocolo de constituído entre esta instituição e a Câmara Municipal de Mira. O trabalho de base desenvolvido centrou-se na produção de cartazes, flyers, mupis, outdoors, entre outros, para associações concelhias e para o Município, integrado no Gabinete de Comunicação Municipal, em colaboração com o designer Marco Custódio. Este trabalho de mestrado está profundamente ligado ao cartaz, à comunicação visual no espaço urbano e à cultura popular portuguesa.

  5. O cartaz no espaço urbano

    Caetano, Mafalda Sofia Oliveira
    Este trabalho científico insere-se no âmbito da Unidade Curricular de Estágio, do Mestrado em Design Gráfico na Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha e no decurso do estabelecimento de um protocolo de constituído entre esta instituição e a Câmara Municipal de Mira. O trabalho de base desenvolvido centrou-se na produção de cartazes, flyers, mupis, outdoors, entre outros, para associações concelhias e para o Município, integrado no Gabinete de Comunicação Municipal, em colaboração com o designer Marco Custódio. Este trabalho de mestrado está profundamente ligado ao cartaz, à comunicação visual no espaço urbano e à cultura popular portuguesa.

  6. O designer como jogador

    Belo, Marta Luísa Guerra
    Tal como no jogo a linguagem no design não é passiva, pressupõe ação. A presente investigação coloca o designer como jogador para analisar o jogo como método e avaliar a sua significância na construção da identidade individual e social do designer gráfico. O projeto foi desenvolvido como um sistema de jogo composto por 15 ensaios teóricos e 30 ensaios práticos. Os ensaios teóricos dividem--se em duas partes, o enquadramento histórico e crítico e a análise ao jogo como atividade social e educativa. A primeira parte tem como objetivo compreender o papel do designer e a sua educação. A segunda parte...

  7. O designer como jogador

    Belo, Marta Luísa Guerra
    Tal como no jogo a linguagem no design não é passiva, pressupõe ação. A presente investigação coloca o designer como jogador para analisar o jogo como método e avaliar a sua significância na construção da identidade individual e social do designer gráfico. O projeto foi desenvolvido como um sistema de jogo composto por 15 ensaios teóricos e 30 ensaios práticos. Os ensaios teóricos dividem--se em duas partes, o enquadramento histórico e crítico e a análise ao jogo como atividade social e educativa. A primeira parte tem como objetivo compreender o papel do designer e a sua educação. A segunda parte...

  8. Linguagem e perceção visual como meio de comunicação em crianças com perturbações do espectro de autismo

    Gonçalves, Hugo Miguel
    Esta dissertação parte de uma perspetiva socio-histórica da linguagem e comunicação, tendo como foco primordial a investigação da forma como diferentes sistemas de comunicação alternativa podem melhorar o quotidiano de crianças com perturbações do espectro de autismo (PEA). O autismo constitui uma perturbação do foro psicológico que se expressa num desenvolvimento de diferentes graus de afetação do indivíduo em relação às interações familiares e sociais, revelando características comportamentais muito específicas, e défices na comunicação e linguagem. Devido à dificuldade de diagnóstico desta patologia os tratamentos implementados nem sempre são os mais adequados ao grau de desenvolvimento da doença, contudo é muito importante...

  9. Linguagem e perceção visual como meio de comunicação em crianças com perturbações do espectro de autismo

    Gonçalves, Hugo Miguel
    Esta dissertação parte de uma perspetiva socio-histórica da linguagem e comunicação, tendo como foco primordial a investigação da forma como diferentes sistemas de comunicação alternativa podem melhorar o quotidiano de crianças com perturbações do espectro de autismo (PEA). O autismo constitui uma perturbação do foro psicológico que se expressa num desenvolvimento de diferentes graus de afetação do indivíduo em relação às interações familiares e sociais, revelando características comportamentais muito específicas, e défices na comunicação e linguagem. Devido à dificuldade de diagnóstico desta patologia os tratamentos implementados nem sempre são os mais adequados ao grau de desenvolvimento da doença, contudo é muito importante...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.