Recursos de colección

Repositório Comum (27.436 recursos)

É um repositório para instituições de ensino e investigação produtoras de literatura científica cuja dimensão ainda não justifica a criação de um repositório próprio. Permite integrar instituições, grupos ou indivíduos na infra-estrutura do projecto, nomeadamente através das pesquisas do Portal RCAAP e da B-On.

Mostrando recursos 1 - 20 de 45

  1. O prazer de educar e aprender: relatório final

    Freire, Ana Patrícia de Andrade
    O presente documento pretende retratar as minhas aprendizagens e conquistas durante os períodos de estágio tanto em contexto de Educação Pré–Escolar como em contexto de 1.º CEB. Para facilitar a leitura, o relatório encontra-se dividido em duas partes principais. A primeira espelha o meu percurso formativo no Jardim de Infância e no 1.º CEB e o trabalho que desenvolvi com as crianças sob a orientação da educadora e professora cooperante. Na segunda parte, exponho as experiências-chave que correspondem a circunstâncias que marcaram a minha caminhada e onde procuro demonstrar como é importante ter as crianças como foco do processo educativo, escutá-las, ter...

  2. O prazer de educar e aprender: relatório final

    Freire, Ana Patrícia de Andrade
    O presente documento pretende retratar as minhas aprendizagens e conquistas durante os períodos de estágio tanto em contexto de Educação Pré–Escolar como em contexto de 1.º CEB. Para facilitar a leitura, o relatório encontra-se dividido em duas partes principais. A primeira espelha o meu percurso formativo no Jardim de Infância e no 1.º CEB e o trabalho que desenvolvi com as crianças sob a orientação da educadora e professora cooperante. Na segunda parte, exponho as experiências-chave que correspondem a circunstâncias que marcaram a minha caminhada e onde procuro demonstrar como é importante ter as crianças como foco do processo educativo, escutá-las, ter...

  3. O prazer de educar e aprender: relatório final

    Freire, Ana Patrícia de Andrade
    O presente documento pretende retratar as minhas aprendizagens e conquistas durante os períodos de estágio tanto em contexto de Educação Pré–Escolar como em contexto de 1.º CEB. Para facilitar a leitura, o relatório encontra-se dividido em duas partes principais. A primeira espelha o meu percurso formativo no Jardim de Infância e no 1.º CEB e o trabalho que desenvolvi com as crianças sob a orientação da educadora e professora cooperante. Na segunda parte, exponho as experiências-chave que correspondem a circunstâncias que marcaram a minha caminhada e onde procuro demonstrar como é importante ter as crianças como foco do processo educativo, escutá-las, ter...

  4. A escola a tempo inteiro - uma perspetiva dos pais e encarregados de educação

    Silva, Bruno André Ferreira
    O presente relatório foi elaborado no âmbito das Unidades Curriculares da Prática Educativa de 1.º e 2.º Ciclos do Ensino Básico, do curso de Mestrado em Ensinos do 1.º e 2.º Ciclos Ensino Básico na Escola Superior de Educação de Coimbra. Este trabalho descreve o percurso enquanto estagiário, em ambos os ciclos de escolaridade, e apresenta um breve estudo realizado no local de estágio, sobre a perspetiva que os pais e encarregados de educação (PEE) têm da participação dos seus educandos nas Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) no 1.º CEB. Deste modo, o relatório encontra-se dividido em quatro partes. A primeira...

  5. A escola a tempo inteiro - uma perspetiva dos pais e encarregados de educação

    Silva, Bruno André Ferreira
    O presente relatório foi elaborado no âmbito das Unidades Curriculares da Prática Educativa de 1.º e 2.º Ciclos do Ensino Básico, do curso de Mestrado em Ensinos do 1.º e 2.º Ciclos Ensino Básico na Escola Superior de Educação de Coimbra. Este trabalho descreve o percurso enquanto estagiário, em ambos os ciclos de escolaridade, e apresenta um breve estudo realizado no local de estágio, sobre a perspetiva que os pais e encarregados de educação (PEE) têm da participação dos seus educandos nas Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) no 1.º CEB. Deste modo, o relatório encontra-se dividido em quatro partes. A primeira...

  6. A escola a tempo inteiro - uma perspetiva dos pais e encarregados de educação

    Silva, Bruno André Ferreira
    O presente relatório foi elaborado no âmbito das Unidades Curriculares da Prática Educativa de 1.º e 2.º Ciclos do Ensino Básico, do curso de Mestrado em Ensinos do 1.º e 2.º Ciclos Ensino Básico na Escola Superior de Educação de Coimbra. Este trabalho descreve o percurso enquanto estagiário, em ambos os ciclos de escolaridade, e apresenta um breve estudo realizado no local de estágio, sobre a perspetiva que os pais e encarregados de educação (PEE) têm da participação dos seus educandos nas Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC) no 1.º CEB. Deste modo, o relatório encontra-se dividido em quatro partes. A primeira...

  7. Comparação entre o efeito de jogos lúdico-recreativos de cooperação e jogos lúdico-recreativos de cooperação-oposição ao nível da atividade física e da interação em crianças do 1º ciclo do ensino básico

    Santos, Andreia Sofia Pereira dos
    As crianças, durante toda a sua infância, passam grande parte do seu tempo a brincar. O presente estudo visa comparar jogos lúdico-recreativos de cooperação e de cooperação-oposição, em grupos de 5 e de 10 crianças, ao nível da atividade física e da interação entre crianças com idades compreendidas entre os 5 e 6 anos. Participaram no estudo 10 crianças, 5 do sexo feminino e 5 do sexo masculino. O estudo em questão permitiu evidenciar que não existem diferenças estatisticamente significativas entre os dois tipos de jogo em análise, tanto nos grupos de 5 crianças como nos grupos de 10 crianças, relativamente...

  8. Comparação entre o efeito de jogos lúdico-recreativos de cooperação e jogos lúdico-recreativos de cooperação-oposição ao nível da atividade física e da interação em crianças do 1º ciclo do ensino básico

    Santos, Andreia Sofia Pereira dos
    As crianças, durante toda a sua infância, passam grande parte do seu tempo a brincar. O presente estudo visa comparar jogos lúdico-recreativos de cooperação e de cooperação-oposição, em grupos de 5 e de 10 crianças, ao nível da atividade física e da interação entre crianças com idades compreendidas entre os 5 e 6 anos. Participaram no estudo 10 crianças, 5 do sexo feminino e 5 do sexo masculino. O estudo em questão permitiu evidenciar que não existem diferenças estatisticamente significativas entre os dois tipos de jogo em análise, tanto nos grupos de 5 crianças como nos grupos de 10 crianças, relativamente...

  9. Comparação entre o efeito de jogos lúdico-recreativos de cooperação e jogos lúdico-recreativos de cooperação-oposição ao nível da atividade física e da interação em crianças do 1º ciclo do ensino básico

    Santos, Andreia Sofia Pereira dos
    As crianças, durante toda a sua infância, passam grande parte do seu tempo a brincar. O presente estudo visa comparar jogos lúdico-recreativos de cooperação e de cooperação-oposição, em grupos de 5 e de 10 crianças, ao nível da atividade física e da interação entre crianças com idades compreendidas entre os 5 e 6 anos. Participaram no estudo 10 crianças, 5 do sexo feminino e 5 do sexo masculino. O estudo em questão permitiu evidenciar que não existem diferenças estatisticamente significativas entre os dois tipos de jogo em análise, tanto nos grupos de 5 crianças como nos grupos de 10 crianças, relativamente...

  10. O uso das novas tecnologias de informação e comunicação e as relações entre vida profissional, familiar e pessoal

    Rodrigues, Ana Filipa Oliveira
    O presente estudo pretende investigar, em que medida a utilização das tecnologias de informação para dar resposta a solicitações profissionais fora do horário laboral geram conflito trabalho-família com implicações para o bem-estar dos colaboradores. A amostra, é composta por um total de 166 inquiridos (106 do sexo feminino e 60 do sexo masculino), atualmente empregados e que possuam um smartphone com acesso à internet. O estudo foi realizado com recurso a um questionário on-line divulgado através das redes sociais. Os dados foram analisados com recurso ao programa SPSS. Os resultados obtidos permitem concluir que os inquiridos utilizam o smartphone durante a...

  11. O uso das novas tecnologias de informação e comunicação e as relações entre vida profissional, familiar e pessoal

    Rodrigues, Ana Filipa Oliveira
    O presente estudo pretende investigar, em que medida a utilização das tecnologias de informação para dar resposta a solicitações profissionais fora do horário laboral geram conflito trabalho-família com implicações para o bem-estar dos colaboradores. A amostra, é composta por um total de 166 inquiridos (106 do sexo feminino e 60 do sexo masculino), atualmente empregados e que possuam um smartphone com acesso à internet. O estudo foi realizado com recurso a um questionário on-line divulgado através das redes sociais. Os dados foram analisados com recurso ao programa SPSS. Os resultados obtidos permitem concluir que os inquiridos utilizam o smartphone durante a...

  12. O papel da comunicação de marketing no âmbito das estratégias de marketing pessoal no contexto da mediação imobiliária

    Cruz, Aline Araújo
    O Marketing Pessoal é o processo iniciado por um indivíduo, envolvendo a conceção, planeamento e execução, de ações que contribuiriam para a formação profissional e pessoal do indivíduo (produto), a atribuição de um valor justo e compatível com o posicionamento de mercado que se queira adquirir (preço), a execução de ações promocionais de valorização pessoal (promoção), que o colocariam no lugar certo na hora certa (distribuição) (Neto, 1999). Por sua vez, a Comunicação de Marketing é o conjunto dos meios de que uma empresa se serve para trocar informação com o seu mercado. Por conseguinte, contempla tanto a comunicação de fora...

  13. O papel da comunicação de marketing no âmbito das estratégias de marketing pessoal no contexto da mediação imobiliária

    Cruz, Aline Araújo
    O Marketing Pessoal é o processo iniciado por um indivíduo, envolvendo a conceção, planeamento e execução, de ações que contribuiriam para a formação profissional e pessoal do indivíduo (produto), a atribuição de um valor justo e compatível com o posicionamento de mercado que se queira adquirir (preço), a execução de ações promocionais de valorização pessoal (promoção), que o colocariam no lugar certo na hora certa (distribuição) (Neto, 1999). Por sua vez, a Comunicação de Marketing é o conjunto dos meios de que uma empresa se serve para trocar informação com o seu mercado. Por conseguinte, contempla tanto a comunicação de fora...

  14. Turismo na Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra - potencial para a ecoclusterização

    Sampaio, Elisabete Cristina Mateus de
    Os territórios de interior (TI) constituem espaços nos quais a reduzida dimensão e interioridade são, por um lado, condições limitativas, por outro, vantagens capazes de desencadear oportunidades. Estas particularidades intensificam a necessidade destes territórios se sustentarem nos seus pontos fortes para desenvolver produtos diferenciadores orientados, fundamentalmente, para segmentos turísticos singulares, com forte identidade e fomentadores de experiências e emoções enriquecedoras capazes de desenvolver uma consciência ecológica distintiva. Com esta investigação pretende-se avaliar qual o potencial de desenvolvimento de um cluster de ecoturismo em dez municípios da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra o que implica, desde logo, uma abordagem a dois...

  15. Turismo na Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra - potencial para a ecoclusterização

    Sampaio, Elisabete Cristina Mateus de
    Os territórios de interior (TI) constituem espaços nos quais a reduzida dimensão e interioridade são, por um lado, condições limitativas, por outro, vantagens capazes de desencadear oportunidades. Estas particularidades intensificam a necessidade destes territórios se sustentarem nos seus pontos fortes para desenvolver produtos diferenciadores orientados, fundamentalmente, para segmentos turísticos singulares, com forte identidade e fomentadores de experiências e emoções enriquecedoras capazes de desenvolver uma consciência ecológica distintiva. Com esta investigação pretende-se avaliar qual o potencial de desenvolvimento de um cluster de ecoturismo em dez municípios da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra o que implica, desde logo, uma abordagem a dois...

  16. A educação pré-escolar e o desenvolvimento das competências narrativas - a relação da criança com o herói dos contos tradicionais

    Nunes, Margarida Inês Nogueira Aguilar
    O presente Relatório de Estágio decorre da apresentação e reflexão sobre a Prática Supervisionada em Educação Pré-Escolar e Creche, integrada no ciclo de estudos do Mestrado em Educação Pré-Escolar, lecionado na Escola Superior de Educação de Coimbra. Escolhemos o tema “A Educação Pré-Escolar e o desenvolvimento das competências narrativas – A relação da criança com o herói da história”, o qual articulámos com a prática educativa. Consideramos que este tema é importante para qualquer faixa etária. Contudo, na Educação Pré-Escolar, é mais relevante pela reação afetiva que as crianças nesta idade revelam, frequentemente, em relação às personagens principais dos contos de...

  17. A educação pré-escolar e o desenvolvimento das competências narrativas - a relação da criança com o herói dos contos tradicionais

    Nunes, Margarida Inês Nogueira Aguilar
    O presente Relatório de Estágio decorre da apresentação e reflexão sobre a Prática Supervisionada em Educação Pré-Escolar e Creche, integrada no ciclo de estudos do Mestrado em Educação Pré-Escolar, lecionado na Escola Superior de Educação de Coimbra. Escolhemos o tema “A Educação Pré-Escolar e o desenvolvimento das competências narrativas – A relação da criança com o herói da história”, o qual articulámos com a prática educativa. Consideramos que este tema é importante para qualquer faixa etária. Contudo, na Educação Pré-Escolar, é mais relevante pela reação afetiva que as crianças nesta idade revelam, frequentemente, em relação às personagens principais dos contos de...

  18. Efeito de jogos lúdico-recreativos de cooperação-oposição no nível da atividade física e nas interações em ciranças no 1º ciclo do ensino básico

    Silva, Soraia Filipa Moreira da
    No presente estudo, a amostra foi constituída por 10 crianças, 5 rapazes (n=5; 5,8 ± 0,4 anos de idade) e 5 raparigas (n=5; 5,6 ± 0,5 anos de idade), de uma escola do 1.ºCiclo do Ensino Básico. O objetivo do presente trabalho passa por quantificar as interações – através do Social Network Analysis - e o nível de atividade física das crianças – através de acelerómetros - durante diferentes jogos lúdico-recreativos de cooperação-oposição. Os resultados sugerem que, na atividade física, o “Posse de Bola” foi o jogo em que as crianças realizaram um maior número de passos, enquanto no “Jogo...

  19. Efeito de jogos lúdico-recreativos de cooperação-oposição no nível da atividade física e nas interações em ciranças no 1º ciclo do ensino básico

    Silva, Soraia Filipa Moreira da
    No presente estudo, a amostra foi constituída por 10 crianças, 5 rapazes (n=5; 5,8 ± 0,4 anos de idade) e 5 raparigas (n=5; 5,6 ± 0,5 anos de idade), de uma escola do 1.ºCiclo do Ensino Básico. O objetivo do presente trabalho passa por quantificar as interações – através do Social Network Analysis - e o nível de atividade física das crianças – através de acelerómetros - durante diferentes jogos lúdico-recreativos de cooperação-oposição. Os resultados sugerem que, na atividade física, o “Posse de Bola” foi o jogo em que as crianças realizaram um maior número de passos, enquanto no “Jogo...

  20. Efeito de jogos lúdico-recreativos de cooperação no nível da atividade física e nas interações em ciranças no 1º ciclo do ensino básico

    Ferreira, Oriana Salomé Marques
    Este estudo teve como objetivo quantificar a atividade física - através de acelerómetros - e a interação - através de Social Network Analysis - entre crianças, durante diversos jogos lúdico-recreativos de cooperação. Participaram no estudo 10 crianças, 5 raparigas (n= 5; 5,6 ± 0,5 anos de idade) e 5 rapazes (n= 5; 5,8 ± 0,4 anos de idade) do 1.º Ciclo do Ensino Básico. Os resultados evidenciaram que ao nível da atividade física no “Jogo livre” e no jogo lúdico-recreativo de cooperação “Quantos mais presentes melhor” grupos de 5 as crianças passaram mais tempo em atividade física ligeira, enquanto que...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.