Recursos de colección

Repositório Comum (38.772 recursos)

É um repositório para instituições de ensino e investigação produtoras de literatura científica cuja dimensão ainda não justifica a criação de um repositório próprio. Permite integrar instituições, grupos ou indivíduos na infra-estrutura do projecto, nomeadamente através das pesquisas do Portal RCAAP e da B-On.

Mostrando recursos 1 - 20 de 55

  1. Relações afetivas entre famílias e pessoas internadas na RNCCI: um estudo de caso na SCM-Santarém - Hospital de Jesus Cristo

    Reis, Susana Isabel Gandum
    A família, em Portugal é a principal fonte de apoio ao idoso dependente. Assim sendo, e perspetivando a família como um plano em que subsiste uma correspondência entre os seus membros, quando a dependência e a saúde se debilita e atinge um deles, esta confronta-se com a necessidade de definir e redefinir as relações familiares e adaptar-se ao problema. É de extrema importância que se entenda, identifique e estime as necessidades e dificuldades sentidas pelo principal cuidador. O presente trabalho aborda a questão da a relação familiar entre o idoso e a sua família, evidenciando a relevância do papel da...

  2. Lar doce lar: dinâmicas e estratégias potenciadoras do envelhecimento ativo no idoso institucionalizado: o caso do CBESA

    Pires, Vítor Manuel Santana
    A institucionalização dos idosos é cada vez uma realidade mais frequente nos nossos dias, sendo que, nem sempre esta opção é encarada favoravelmente pelos idosos, nem as instituições desenvolvem as atividades que melhor promovem o bem-estar dos seus utentes. Torna-se, então, fulcral a promoção do envelhecimento ativo nessas organizações de modo a tornar a institucionalização e a velhice processos mais proveitosos para os indivíduos. O presente estudo tem por objetivo proceder à apresentação de uma resposta que se pretende seja aplicada a uma instituição como forma a avaliar a opinião dos seus residentes relativamente ao conceito de envelhecimento ativo e a...

  3. O sentimento de si, a funcionalidade e a qualidade de vida: a realidade dos idosos institucionalizados da Santa Casa da Misericórdia de Arronches

    Silva, Catarina Rebelo Bagulho
    O presente estudo científico encontra-se integrado no âmbito do Mestrado em Gerontologia. O objetivo geral do trabalho consiste em compreender a relação entre o autoconceito, a funcionalidade e a qualidade de vida num grupo de idosos institucionalizados da Santa Casa da Misericórdia (SCM) de Arronches. Pretende ainda avaliar o autoconceito da população em estudo; avaliar os níveis de dependência funcional da população em estudo; avaliar a qualidade de vida da população em estudo; avaliar a correlação entre o autoconceito, os níveis de dependência funcional e a qualidade de vida da população em estudo; e identificar as características sociodemográficas da população em...

  4. A importância das atividades desenvolvidas na Santa Casa da Misericórdia de Portalegre na vida dos utentes

    Solano, Raquel Filipa Rodrigues
    O aumento do número de idosos na sociedade apresenta-se como uma realidade, importa, no entanto, que o idoso seja também valorizado enquanto sujeito ativo. As suas preocupações, as suas necessidades, a sua opinião, os seus hábitos, crenças, costumes e valores não devem ser descurados. Nesta investigação, centramo-nos em duas vertentes: na institucionalização e, especialmente, nas atividades desenvolvidas neste contexto, com e para os utentes. Procurou-se compreender a importância do desenvolvimento de atividades, na Santa Casa da Misericórdia de Portalegre, na vida dos utentes e, para o efeito, foi importante conhecer as atividades desenvolvidas, bem como a perceção dos diferentes intervenientes (idosos...

  5. Contributo da animação sociocultural para a inclusão das crianças com necessidades educativas especiais no 1.º e 2.º ciclo do Ensino Básico

    Galapito, Andreia Sofia Lobo
    O presente estudo tem como objetivo saber qual a importância atribuída ao papel do Animador Sociocultural na Inclusão das crianças com Necessidades Educativas Especiais no 1.º e 2.º ciclo do Ensino Básico, tendo por base um estudo de caso. A Animação Sociocultural baseia-se num conjunto de técnicas e alicerces capazes de levar os públicos a serem ativos no seu próprio desenvolvimento, tanto a nível pessoal como social. Trabalhando diretamente com crianças com Necessidades Educativas Especiais, e envolvendo toda a comunidade educativa, a ASC pretende levar a uma consciencialização e uma inclusão de todos os grupos. Nesta investigação, que tem por base um...

  6. Representações sobre a escola, diversidade cultural e inclusão social

    Ribeiro, Cristina Manuela Ferreira
    Este trabalho tem como tema "Representações sobre a escola, diversidade cultural e inclusão social", e o estudo foi realizado no ano letivo 2016/2017, numa Escola TEIP, com contrato de autonomia, situada no distrito de Portalegre. Este trabalho insere-se no paradigma da Educação Intercultural e a recolha de dados efetuou-se numa escola, onde existe forte presença de crianças da comunidade cigana, com o objetivo conhecer as representações e opiniões dos alunos do 2º e 3º ciclo do Ensino Básico, face à sua escola, professores, funcionários, colegas da escola, e à sua turma, e verificar se existem diferenças em função do ciclo, sexo...

  7. A saúde mental e a doença mental aos olhos de técnicos especializados e de populares

    Esteves, Nildelândia Pires Corrêa
    A presente dissertação científica trata a questão da saúde mental na infância e na adolescência e objetiva realizar uma reflexão acerca deste tema sob a visão de técnicos especializados na área, e, também, sob a visão de populares. Durante muito tempo, a doença mental foi escondida atrás de uma cortina de estigma e discriminação. As doenças mentais afetam cerca de 121 milhões de pessoas em todo o mundo e a Organização Mundial de Saúde (2001) prevê que, em 2020, a saúde mental será uma das principais causas de invalidez nos países desenvolvidos, e Portugal não é exceção. Esta investigação tem uma abordagem...

  8. Programa de ocupação de tempos livres em contextos vulneráveis

    Vieira, Vera Lúcia Velez
    O trabalho aqui apresentado trata-se de um projeto/ programa de ocupação de tempos livres, em parceria com uma IPSS regional. O programa foi orientado para crianças e jovens oriundos de contextos vulneráveis, isto é, que não teriam condições e/ou recursos para uma ocupação dos tempos livres nas férias, quer por estarem acolhidos institucionalmente em casa de acolhimento, quer por pertencerem a famílias vulneráveis sinalizadas na CPCJ local. Participaram no programa dois grupos, um que iniciou as atividades a 27 de junho e outro que as iniciou a 18 de julho, terminando no dia 1 de setembro de 2016 para os...

  9. Convivência entre pares e relacionamento social entre as crianças

    Pinto, Ana Sofia Barroso
    As relações entre crianças, bem como o clima social na escola e nas turmas, contribuem para o bem-estar e o ajustamento emocional e psicossocial na infância, facilitando o desenvolvimento da autonomia e da reciprocidade. O bullying e a agressão e vitimação entre pares comprometem a convivência social positiva nas escolas, bem como a autoestima das crianças e o seu desenvolvimento saudável. Neste sentido foi realizado um estudo com crianças do 3.º e 4.º ano do 1.º ciclo do ensino básico, num agrupamento de escolas do Alto-Alentejo, de modo a compreender qual a perceção que estas têm da convivência entre companheiros, através da aplicação de um questionário de nomeação de...

  10. Promoção de hábitos alimentares saudáveis na educação pré-escolar. uma estratégia de intervenção contextualizada e dirigida

    Campos, Maria Miguel Moleiro
    O presente relatório apresenta a descrição e a reflexão das experiências vivenciadas ao longo da Prática e Intervenção Supervisionada numa sala de Creche e numa sala de Jardim de Infância. Nestes contextos desenvolveu-se um estudo focado na promoção de hábitos alimentares saudáveis na Educação Pré-escolar, seguindo uma abordagem metodológica de investigação-ação, guiado pelos seguintes objetivos: verificar que conhecimentos possuem as crianças em relação aos alimentos; averiguar quais são as principais escolhas alimentares das crianças; observar o comportamento/reação das crianças face a determinados alimentos; promover hábitos alimentares saudáveis, através de estratégias pedagógicas contextualizadas e dirigidas às reais necessidades do grupo. O estudo...

  11. Promoção de hábitos alimentares saudáveis na educação pré-escolar. uma estratégia de intervenção contextualizada e dirigida

    Campos, Maria Miguel Moleiro
    O presente relatório apresenta a descrição e a reflexão das experiências vivenciadas ao longo da Prática e Intervenção Supervisionada numa sala de Creche e numa sala de Jardim de Infância. Nestes contextos desenvolveu-se um estudo focado na promoção de hábitos alimentares saudáveis na Educação Pré-escolar, seguindo uma abordagem metodológica de investigação-ação, guiado pelos seguintes objetivos: verificar que conhecimentos possuem as crianças em relação aos alimentos; averiguar quais são as principais escolhas alimentares das crianças; observar o comportamento/reação das crianças face a determinados alimentos; promover hábitos alimentares saudáveis, através de estratégias pedagógicas contextualizadas e dirigidas às reais necessidades do grupo. O estudo...

  12. Avaliação na educação pré-escolar: um processo em participação através da autoavaliação

    Rodrigues, Ana Cláudia Gil
    Neste trabalho apresentamos o percurso desenvolvido durante a Prática de Ensino Supervisionada, focando-nos de modo mais particular no estágio no jardim de infância e no estudo de investigação-ação que desenvolvemos. Começamos por apresentar, em termos genéricos, a Educação Pré-escolar em Portugal, principalmente em termos curriculares e, neste âmbito destacamos a avaliação como elemento de currículo. A avaliação é entendida como fundamental na prática educativa dos educadores de infância e podemos perspetivá-la no quadro de avaliação das crianças, dos seus percursos de desenvolvimento e aprendizagem, e também no quadro da qualidade da própria ação educativa e contexto onde esta ocorre. No estudo que...

  13. Avaliação na educação pré-escolar: um processo em participação através da autoavaliação

    Rodrigues, Ana Cláudia Gil
    Neste trabalho apresentamos o percurso desenvolvido durante a Prática de Ensino Supervisionada, focando-nos de modo mais particular no estágio no jardim de infância e no estudo de investigação-ação que desenvolvemos. Começamos por apresentar, em termos genéricos, a Educação Pré-escolar em Portugal, principalmente em termos curriculares e, neste âmbito destacamos a avaliação como elemento de currículo. A avaliação é entendida como fundamental na prática educativa dos educadores de infância e podemos perspetivá-la no quadro de avaliação das crianças, dos seus percursos de desenvolvimento e aprendizagem, e também no quadro da qualidade da própria ação educativa e contexto onde esta ocorre. No estudo que...

  14. Ciência em ação no jardim de infância: explorar e descobrir o mundo

    Medeiros, Bruna Teles
    Ao longo do presente relatório apresenta-se a descrição e a reflexão do percurso vivido e experienciado durante a Prática e Intervenção Supervisionada, em Creche e em Jardim de Infância, sob um trajeto de investigação-ação. Após conhecer o contexto educativo e identificar os interesses e necessidades das crianças, concebemos e implementámos a ação e o estudo guiados pelos seguintes objetivos: criar e/ou adaptar atividades e sequências de atividades práticas em ciências adequadas à educação préescolar; criar uma área móvel (Baú das Ciências) como elemento indutor da educação em ciências; analisar o impacto das atividades práticas implementadas nas aprendizagens e no interesse das crianças pelas ciências; analisar o impacto da...

  15. Ciência em ação no jardim de infância: explorar e descobrir o mundo

    Medeiros, Bruna Teles
    Ao longo do presente relatório apresenta-se a descrição e a reflexão do percurso vivido e experienciado durante a Prática e Intervenção Supervisionada, em Creche e em Jardim de Infância, sob um trajeto de investigação-ação. Após conhecer o contexto educativo e identificar os interesses e necessidades das crianças, concebemos e implementámos a ação e o estudo guiados pelos seguintes objetivos: criar e/ou adaptar atividades e sequências de atividades práticas em ciências adequadas à educação préescolar; criar uma área móvel (Baú das Ciências) como elemento indutor da educação em ciências; analisar o impacto das atividades práticas implementadas nas aprendizagens e no interesse das crianças pelas ciências; analisar o impacto da...

  16. A importância do brincar para o desenvolvimento da criança

    Crespo, Teresa Paula Nogueira
    Este trabalho descreve o percurso de investigação-ação realizado com um grupo de crianças numa sala de atividades de um centro infantil da rede privada de Educação Pré-Escolar da cidade de Portalegre. O presente estudo, intitulado “A importância do brincar para o desenvolvimento da criança”, procura contribuir para uma melhoria da prática pedagógica, nomeadamente no que concerne a aliar as atividades lúdicas às diversas áreas do conhecimento. Ao longo da nossa prática educativa definimos alguns objetivos, tais como: promover um ambiente educativo onde a criança se sinta integrada, escutada e valorizada e adotar uma pedagogia organizada em torno da ligação entre o...

  17. A importância do brincar para o desenvolvimento da criança

    Crespo, Teresa Paula Nogueira
    Este trabalho descreve o percurso de investigação-ação realizado com um grupo de crianças numa sala de atividades de um centro infantil da rede privada de Educação Pré-Escolar da cidade de Portalegre. O presente estudo, intitulado “A importância do brincar para o desenvolvimento da criança”, procura contribuir para uma melhoria da prática pedagógica, nomeadamente no que concerne a aliar as atividades lúdicas às diversas áreas do conhecimento. Ao longo da nossa prática educativa definimos alguns objetivos, tais como: promover um ambiente educativo onde a criança se sinta integrada, escutada e valorizada e adotar uma pedagogia organizada em torno da ligação entre o...

  18. Contos de solenes entardeceres: vivências e rotinas singulares do cuidador da pessoa com alzheimer

    Guerra, Maria Rosália Caeiro Alas Medinas
    O interesse pela análise do quotidiano do cuidador familiar de uma pessoa com alzheimer tem subjacente uma tentativa de compreensão de mundos [únicos] de vida. O pressuposto de que as famílias são cada vez mais pluralistas no seu «modo de se apresentarem» à sociedade exige do investigador social um desarmamento relativamente às tradicionais conceções de famílias. As experiências dos cuidados à pessoa com alzheimer foram alvo de um «olhar» qualitativo e em profundidade, «alicerçado» num quadro teórico ancorado na gerontologia e na sociologia da vida quotidiana. Olhámos para as experiências dos cuidados com três objetivos centrais: compreender as reações e...

  19. Contos de solenes entardeceres: vivências e rotinas singulares do cuidador da pessoa com alzheimer

    Guerra, Maria Rosália Caeiro Alas Medinas
    O interesse pela análise do quotidiano do cuidador familiar de uma pessoa com alzheimer tem subjacente uma tentativa de compreensão de mundos [únicos] de vida. O pressuposto de que as famílias são cada vez mais pluralistas no seu «modo de se apresentarem» à sociedade exige do investigador social um desarmamento relativamente às tradicionais conceções de famílias. As experiências dos cuidados à pessoa com alzheimer foram alvo de um «olhar» qualitativo e em profundidade, «alicerçado» num quadro teórico ancorado na gerontologia e na sociologia da vida quotidiana. Olhámos para as experiências dos cuidados com três objetivos centrais: compreender as reações e...

  20. Institucionalização do idoso e identidade : estudo de caso de idosos institucionalizados

    Lourenço, Paulo Manuel da Rocha
    O envelhecimento é um fenómeno natural, um processo irreversível e com efeitos em toda a esfera da sociedade. A institucionalização do idoso é muitas vezes uma realidade, consequência da falta de uma resposta satisfatória às suas necessidades existenciais no seio da sua comunidade. Com a ida para o lar, este vai ao encontro de um ambiente coletivo de regras e imposições que poderão não ser consonantes, com a sua história de vida, onde tudo funciona de igual modo para todos. A Identidade de um indivíduo é aquilo que ele tem de mais precioso, a sua perda é sinónimo de alienação,...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.