Recursos de colección

Repositório Comum (24.607 recursos)

É um repositório para instituições de ensino e investigação produtoras de literatura científica cuja dimensão ainda não justifica a criação de um repositório próprio. Permite integrar instituições, grupos ou indivíduos na infra-estrutura do projecto, nomeadamente através das pesquisas do Portal RCAAP e da B-On.

Mostrando recursos 1 - 20 de 39

  1. Manual Orientador dos Planos Locais de Saúde

    Portugal, Rui; Nunes, Ana; Andrade, Carla
    O Plano Nacional de Saúde Revisão e Extensão a 2020 constitui-se como uma plataforma que visa desenvolver e reforçar a implementação do PNS a nível nacional, regional e local. Neste contexto, importa salientar que os Planos Locais de Saúde (PLS) são instrumentos ímpares de implementação do PNS, de alinhamento com os objetivos nacionais e regionais e, como tal, devem refletir nas suas estratégias, em todas as intervenções os quatro eixos estratégicos, segundo uma abordagem intersectorial que envolva os diferentes parceiros que têm impacto na saúde.

  2. How Can We Be Better Prepared for the Next Global Health Threat? Planning and Implementing Emergency Risk Communication: Joint ECDC & ASEF Workshop

    Ueda, Sayaka; Ammon, Andrea; Nogueira, Paulo; Barros, Henrique; Silva, Ana Clara Mendonça
    From the severe acute respiratory syndrome (SARS) outbreak in 2003 to the Ebola epidemic of 2014–2015, one thing that always seems to go wrong in health emergencies is how national authorities communicate about it. In particular, how they communicate about the risk that the emergency poses to the people affected by it. Lessons learned and exercises conducted after these events almost always contain a recommendation along the lines of “We need to become better at risk communication”. The Asia-Europe Foundation (ASEF) and the European Centre for Disease Prevention and Control (ECDC) collaborated and staged an emergency risk communication workshop on 7–8...

  3. Semântica da Informação em Saúde 2016

    Martins, José; Nogueira, Paulo
    No âmbito da informação em saúde, usamos recorrentemente um conjunto de termos, em relação aos quais apreendemos o significado, mas nem sempre acedemos a uma definição técnico-científica que os enquadre. Em diversos casos apenas utilizamos siglas, enquanto noutros, socorremo-nos de anglicismos, por ser a forma mais vulgarizada. Neste documento, privilegiamos a abordagem dos conceitos relacionados com a área da informação e comunicação em saúde, englobando também alguns que estão relacionados com atividades desenvolvidas de forma mais transversal nas temáticas da saúde, mas que se intersectam com a nomenclatura adotada na área dos sistemas de informação em saúde. Procura-se, recorrendo a uma diversidade de fontes, sistematizar um conjunto de termos e conceitos,...

  4. Semântica da Informação em Saúde 2016

    Martins, José; Nogueira, Paulo
    No âmbito da informação em saúde, usamos recorrentemente um conjunto de termos, em relação aos quais apreendemos o significado, mas nem sempre acedemos a uma definição técnico-científica que os enquadre. Em diversos casos apenas utilizamos siglas, enquanto noutros, socorremo-nos de anglicismos, por ser a forma mais vulgarizada. Neste documento, privilegiamos a abordagem dos conceitos relacionados com a área da informação e comunicação em saúde, englobando também alguns que estão relacionados com atividades desenvolvidas de forma mais transversal nas temáticas da saúde, mas que se intersectam com a nomenclatura adotada na área dos sistemas de informação em saúde. Procura-se, recorrendo a...

  5. Relatório de Análise das Complicações Relacionadas com a Interrupção da Gravidez 2013-2014

    Direção de Serviços de Prevenção da Doença e Promoção da Saúde; Divisão de Saúde Sexual, Reprodutiva, Infantil e Juvenil
    Este é o primeiro relatório elaborado de acordo com a Norma nº 001/2013 de 29/01/2013 - Registo de Complicações de Interrupção de Gravidez. Definições e modelo de registo. Desde 2001 que, de acordo com a Circular Normativa 3/DSMIA/01 da Direção-Geral da Saúde (DGS), no cumprimento do art.º 11 da Lei 120/99 de 11 de Agosto e do art.º 10º do DL 259/2000 de 17 de Outubro, foi introduzido um impresso normalizado para recolha de informação sobre os atendimentos no serviço de urgência de situações clínicas relacionadas com o aborto espontâneo e com a interrupção da gravidez (IG), tendo em vista...

  6. Plano Nacional de Saúde e Estratégias Locais de Saúde. Resenha dos Planos de Saúde: Nacional, Regionais, Locais, 2016

    Grupo de Trabalho do Plano Nacional de Saúde
    O Plano Nacional de Saúde (PNS) constitui um elemento basilar das políticas de saúde em Portugal, traçando o rumo estratégico para a intervenção no quadro do Sistema de Saúde. O programa do XXI Governo refere como objetivo implementar os Planos Locais de Saúde em cumprimento do Plano Nacional de Saúde. Nesse sentido e à semelhança do que foi realizado em 2015, apresentamos a resenha dos Planos Nacional, regionais e locais de saúde. Muitos destes planos encontram-se em revisão visto que tinham horizontes temporais até ao final do presente ano – 2016. A DGS tem acompanhado a revisão ou realização dos Planos...

  7. Programa Nacional de Saúde Escolar: Relatório de Avaliação do Ano Letivo 2014/2015

    von Amann, Gregória
    O Ano Letivo 2014/2015 foi um ano de mudança. Mudou o paradigma de intervenção da Saúde Escolar e mudou o seu sistema de informação. A equipa nacional do Programa de Saúde Escolar constituiu várias equipas de peritos, de várias áreas da saúde, mas também da educação e das universidades que, juntos, refletiram na mudança de paradigma que, no dealbar do século XXI, era necessário estabelecer tendo em vista as inúmeras oportunidades que a Escola oferece para a promoção da saúde e o bem-estar da população que a frequenta. O desenvolvimento das atividades de Saúde na Escola necessita de uma estreita...

  8. Trans-fatty acids in Portuguese food products

    Casal, Susana; Cruz, Rebeca; Costa, Nádia; Graça, Pedro; Breda, João
    There is consistent evidence of adverse health effects from industrial trans-fatty acids (TFAs). Several measures to limit TFA intake have already been taken in various countries, but limited information is available in several countries on the actual TFA content in foods. In order to ensure accurate data on intake of TFAs, and to implement adequate measures to reduce their consumption, each country should have an estimate of the TFA content in the overall diet. The objective of this report is to provide updated data on the TFA content in Portuguese foods. It therefore details the results of 268 samples (acquired...

  9. Relatório da Auditoria às Precauções Básicas de Controlo de Infeção e Adesão à Higiene das Mãos (Análise Evolutiva: 2014-2015)

    Direção Nacional do PPCIRA
    O Programa de Prevenção e Controlo de Infeção e de Resistências aos Antimicrobianos (PPCIRA), implementou em 2014, uma Estratégia Multimodal para promoção das Precauções Básicas de Controlo de Infeção (PBCI), agregando a Estratégia Multimodal de Promoção da Higiene das Mãos, ao conjunto das PBCI. Constituiu objetivo dar continuidade à promoção da higiene das mãos e abordar as restantes PBCI, de uma forma padronizada, consistente e que pudesse ajudar os Grupos de Coordenação Local do PPCIRA (GCL-PPCIRA) e todos os Profissionais de Saúde (PS) a identificar as inconformidades neste conjunto das Boas Práticas e introduzir estratégias de intervenção para melhoria. Denominou-se...

  10. Dieta Mediterrânica : um património civilizacional partilhado

    Barros, Vitor; Carrageta, Manuel; Graça, Pedro; Queiróz, Jorge; Sarmento, Miguel
    As populações atribuíram valores sagrados e agregadores a determinados alimentos, como os cereais e o pão (o termo companheiro vem do latim cum panis), o azeite e o vinho, entre outros. Estes elementos estão presentes nas práticas de ritualização, como o uso do pão e do vinho na eucaristia, do azeite como fonte de luz e calor e ainda unguento para cerimoniais de batismo, crisma e extrema-unção. A Península Ibérica, entre o Mediterrâneo e o Atlântico, foi confluência de civilizações que marcaram a História. Os elementos mediterrânicos estão presentes nos traços fundamentais do clima, da geografia, da economia, da cultura...

  11. Avaliação e Monitorização dos Rastreios Oncológicos Organizados de Base Populacional de Portugal: Relatório de 2015

    Miranda, Nuno; Portugal, Cristina
    Com a criação do Programa Nacional para as Doenças Oncológicas (PNDO) da Direção Geral da Saúde (DGS), entidade que surgiu da extinção da Coordenação Nacional para as Doenças Oncológicas e do Alto Comissariado da Saúde, os rastreios oncológicos organizados de base populacional voltaram a ser integrados como uma das prioridades, sendo um dos objetivos estratégicos do programa com metas predefinidas de alargamento da cobertura geográfica até 2016. Assim sendo, e no sentido de promover a monitorização e a avaliação periódica da situação dos rastreios oncológicos em Portugal, foi publicado em 2013 o Despacho 4808/2013 que reforça a prioridade dos rastreios como...

  12. Centros de Saúde e Unidades Hospitalares: Recursos e Produção, 2012

    Nogueira, Paulo; Farinha, Carla Sofia; Oliveira, Ana Lisette
    Numa breve análise comparativa com o ano 2011, verificamos em 2012 um aumento no que respeita aos recursos humanos do Serviço Nacional de Saúde (SNS), refletindo-se em mais 150 médicos, mais 46 enfermeiros e em outro pessoal necessário ao seu funcionamento, excetuando os técnicos de meios complementar de diagnóstico e terapêutica e os profissionais administrativos. Quando observados detalhadamente os dados por Administração Regional de Saúde (ARS) a situação é análoga, contrariada pelo aumento dos técnicos de meios complementares de diagnóstico e terapêutica no Norte, Centro e Alentejo; pelo decréscimo dos enfermeiros em Lisboa e Vale do Tejo e Alentejo; e...

  13. Relatório dos Registos das Interrupções da Gravidez: dados de 2014 a junho de 2015

    Direção-Geral da Saúde
    Os relatórios anuais de Interrupção de Gravidez (IG) são elaborados a partir dos registos efetuados na base informática sediada na Direção-Geral da Saúde (DGS). Os dados coligidos para o presente relatório de 2014 foram extraídos da base nacional a 14 de abril de 2015, seguindo a metodologia análoga ao ano anterior, que visa reduzir o impacto dos registos tardios. Procedeu-se simultaneamente à publicação de um novo relatório de 2013, com os registos atualizados ao dia 14 de abril de 2015: “Relatório 2013, Edição revista em março de 2015”.

  14. Natalidade, Mortalidade Infantil, Fetal e Perinatal, 2010/2014

    Nogueira, Paulo; Farinha, Carla Sofia; Oliveira, Ana Lisette; Alves, Maria Isabel
    Apresentamos neste documento, indicadores de natalidade, mortalidade infantil, fetal e perinatal, relativos ao quinquénio 2010-2014. Adicionalmente, para efeitos de apreciação da evolução é feita representação gráfica da série de 1996 a 2014.Estes indicadores foram elaborados a partir de dados disponibilizados pelo INE, com valores revistos para anos anteriores a 2014, em 6 de abril de 2015, e consequentemente atualizados nesta publicação. Organizámos este documento por NUTS - Nomenclatura de Unidades Territoriais para Fins Estatísticos, de acordo com a organização territorial para a Saúde em concordância com o Decreto-lei nº 46/89, D.R. de 15 de fevereiro, e com o Decreto-Lei nº...

  15. Doenças de Declaração Obrigatória, 2011-2014 - vol. 2 Regiões

    Pinto, Cátia Sousa; Bordalo, Alexandra; Albuquerque, Maria João; Nascimento, Marina; Vicêncio, Paula Olivença
    Os dados apresentados para o ano de 2014, têm por base as notificações efetuadas em suporte de papel (até 31 de maio de 2014) e as efetuadas por via eletrónica, através da plataforma Sistema de Informação Nacional de Vigilância Epidemiológica, denominado SINAVE (de 1 junho a 31 dezembro 2014). Com a implementação do referido sistema, que recolhe informação sobre as doenças transmissíveis e outros riscos para a saúde pública em Portugal, instituído pela Lei nº 81/2009, de 21 de agosto, e regulamentado pela Portaria nº 248/2013, de 5 de agosto, deu-se início ao período de transição para a desmaterialização da...

  16. Doenças de Declaração Obrigatória, 2011-2014 - vol. 1 Portugal

    Pinto, Cátia Sousa; Bordalo, Alexandra; Albuquerque, Maria João; Nascimento, Marina; Vicêncio, Paula Olivença
    Os dados apresentados para o ano de 2014, têm por base as notificações efetuadas em suporte de papel (até 31 de maio de 2014) e as efetuadas por via eletrónica, através da plataforma Sistema de Informação Nacional de Vigilância Epidemiológica, denominado SINAVE (de 1 junho a 31 dezembro 2014). Com a implementação do referido sistema, que recolhe informação sobre as doenças transmissíveis e outros riscos para a saúde pública em Portugal, instituído pela Lei nº 81/2009, de 21 de agosto, e regulamentado pela Portaria nº 248/2013, de 5 de agosto, deu-se início ao período de transição para a desmaterialização da...

  17. Prevenção e Controlo de Infeções e de Resistência aos Antimicrobianos em Números, 2015

    Fernandes, Paulo André; Silva, Maria Goreti; Cruz, Ana Paula; Paiva, José Artur; Nogueira, Paulo Jorge; Farinha, Carla Sofia; Alves, Maria Isabel
    A evolução do conhecimento permitiu diagnosticar e tratar diversas patologias anteriormente desconhecidas e invariavelmente mortais. Em muitos casos, no entanto, as formas de tratamento necessárias associam-se a um prejuízo transitório, mais ou menos prolongado, da imunidade. O organismo humano dispõe de múltiplos e admiráveis mecanismos de defesa. Anulando esses mecanismos, através de técnicas de diagnóstico, monitorização ou terapêutica que os deprimem ou ultrapassam, geram-se condições para a ocorrência de infeções. Porque este é um cenário inaceitável, milhares de profissionais em todo o mundo vêm trabalhando, diariamente, para que não se concretize. Em Portugal, cabe ao Programa de Prevenção e Controlo...

  18. A Saúde dos Portugueses: Perspetiva 2015

    DGS. Direção de Serviços de Informação e Análise
    O presente relatório descreve a Saúde das portuguesas e portugueses independentemente da influência conjuntural da crise social e económica que se agravou no contexto do Programa de Ajustamento que terminou em 2014, pelo que as questões associadas direta ou indiretamente ao Sistema de Saúde, incluindo recursos humanos e orçamentais, não serão alvo de análise. Trata-se de um relatório que será atualizado regularmente de forma a refletir a evolução dos indicadores de progresso do Plano Nacional de Saúde 2020.

  19. Portugal Alimentação Saudável em Números, 2015

    Graça, Pedro; Sousa, Sofia Mendes de; Correia, Andreia; Salvador, Clara; Nogueira, Paulo Jorge; Farinha, Carla Sofia
    Em 2012, foram aprovados oito programas prioritários a desenvolver pela Direção-Geral da Saúde (DGS), entre eles o Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS), com um horizonte temporal de cinco anos (2012-2016). Findo o quarto ano de atividade, descreve-se a informação existente sobre nutrição e alimentação, avalia-se o que se produziu em 2015 e, acima de tudo, faz-se uma retrospetiva do que se conseguiu neste primeiro quadriénio de implementação de uma política alimentar e de nutrição em Portugal.

  20. Portugal Doenças Cérebro-Cardiovasculares em Números, 2015

    Ferreira, Rui Cruz; Neves, Rui César das; Nogueira, Paulo Jorge; Farinha, Carla Sofia; Oliveira, Ana Lisette; Alves, Maria Isabel; Martins, José
    O relatório visa a monitorização e caracterização precisa da realidade nacional através da publicação regular de elementos estatísticos consolidados e facilmente acessíveis. Estes elementos são auxiliares essenciais para o planeamento atempado e subsequente decisão estratégica fundamentada. O relatório visa a monitorização e caracterização precisa da realidade nacional através da publicação regular de elementos estatísticos consolidados e facilmente acessíveis. Estes elementos são auxiliares essenciais para o planeamento atempado e subsequente decisão estratégica fundamentada. Assistimos de forma consistente a uma melhoria global de todos os indicadores sobre doenças cérebro-cardiovasculares em Portugal na última década, resultante, na nossa perspectiva, a uma ação combinada das...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.