Recursos de colección

Repositório Comum (40.500 recursos)

É um repositório para instituições de ensino e investigação produtoras de literatura científica cuja dimensão ainda não justifica a criação de um repositório próprio. Permite integrar instituições, grupos ou indivíduos na infra-estrutura do projecto, nomeadamente através das pesquisas do Portal RCAAP e da B-On.

Mostrando recursos 1 - 20 de 33

  1. Externalização da segurança interna e a dimensão interna da segurança internacional

    Graça, Pedro
    A presente investigação corresponde ao Trabalho de Final de Curso, no âmbito do Curso de Estado-Maior Conjunto 2016-17, tendo como objetivo analisar o contributo da Política Comum de Segurança e Defesa para a segurança da União Europeia, procurando contribuir, através de uma visão integradora dos esforços em curso neste domínio, para o conhecimento empírico e, consequentemente, estimular e potenciar sinergias no quadro da segurança da União Europeia. Seguindo uma estratégia de investigação qualitativa, desenvolvemos o estudo em torno da segurança da União Europeia, perante a necessidade de uma segurança que não seja polarizada em Interna e Externa, mas sim um conceito integrado. Para tal, recolhemos dados com recurso a...

  2. O Impacto da Reforma «Defesa 2020» no Modelo de Financiamento das Forças Armadas

    Delgado, Carlos
    Neste trabalho pretendemos analisar as medidas que tiveram maior impacto para o financiamento das Forças Armadas. As medidas implementadas pela «Defesa 2020» tiveram como propósito criar ou transformar processos para promover a eficiência das Forças Armadas, no sentido de contribuir para o plano de estabilidade e crescimento. As medidas da «Defesa 2020» que tiveram maior impacto orçamental e financeiro a curto prazo foram a limitação dos efetivos das Forças Armadas, a indexação da despesa com as Forças Armadas ao PIB e a redução de pessoal civil do universo da Defesa Nacional. A médio e longo prazo, as alterações ao ciclo de planeamento de defesa militar e a restruturação da...

  3. O sistema de normalização contabilística

    Martins, Carlos
    A aprovação do SNCAP constitui-se como um marco importante na história da administração pública portuguesa, desde logo, porque se propõe a objetivos ambiciosos a atingir num curto espaço de tempo, quando comparado com o tempo de implementação do seu antecessor, o POCP. O presente trabalho de investigação tem como objeto de estudo a implementação do SNCAP nas Forças Armadas e como objetivo entender os seus impactos ao nível da formação dos recursos humanos adstritos à área financeira, bem com ao nível dos sistemas de informação, nomeadamente o SIG-DN, que se constitui como a ferramenta de apoio à decisão de excelência na...

  4. O Regime de Contrato Especial nas Forças Armadas Portuguesas

    Silva, Rui
    Num momento em que o recrutamento não satisfaz as necessidades, e face à crescente dificuldade em reter efetivos em todas as categorias, torna-se necessário adotar mecanismos que permitam gerir os Recursos Humanos no médio prazo, sobretudo numa altura em que os processos formativos dos militares são bastante prolongados e onerosos, em virtude dos avanços tecnológicos. Este trabalho teve como objetivo principal avaliar que condições deverão ser estabelecidas ao atual Regime de Contrato Especial, de modo a contribuir para uma maior estabilidade na gestão dos Recursos Humanos. Para isso foi seguida uma estratégia de investigação qualitativa, assente num raciocínio indutivo. O modelo de análise elaborado teve por base três dimensões,...

  5. Compatibilidade das regras contidas no Manual de Tallinn com uma estratégia eficaz de dissuasão no ciberespaço.

    Bustelo, Rubén
    Na Cimeira de Gales da OTAN de 2016, acordou-se que a ciberdefesa faz parte nuclear do esquema de segurança coletiva e declarou-se a aplicabilidade do direito internacional no ciberespaço. Posteriormente, na Cimeira de Varsóvia de 2016, a OTAN reafirmou o seu mandato coletivo em relação à ciberdefesa, assim como o reconhecimento do ciberespaço como um domínio mais das operações. Adicionalmente, reafirmou o seu compromisso para atuar de acordo com legalidade internacional neste domínio. A OTAN considera que com estas medidas melhorará a sua capacidade de dissuasão e defesa. Por outro lado, desde 2009 o NATO Cooperative Cyber Defence Centre of Excellence esta a promover o Tallinn Manual Process...

  6. Contributos para a edificação de um modelo de articulação operacional entre agentes da Proteção Civil

    Serra, Paulo
    O combate às ameaças transnacionais por parte dos Estados é um desafio na atualidade, levando-os a desenvolver mecanismos articulados que permitam a concertação dos esforços necessários à eficácia que se exige e à eficiência das capacidades a empenhar. Ciente das implicações de tais ameaças, o Conceito Estratégico de Defesa Nacional 2013, prevê o aprofundamento das relações entre as Forças Armadas e as Forças e Serviços de Segurança, através de um Plano de Articulação Operacional, documento que não existe e para o qual pretendemos contribuir com a realização deste trabalho. Concluímos que atendendo à complexidade da natureza e caráter das ameaças transnacionais, o plano deve possuir um enquadramento normativo...

  7. O impacto das funções da Guarda Costeira na vigilância da fronteira externa da União Europeia

    Eufrázio, João
    A criação da Guarda Europeia de Fronteiras e Costeira juntou as Guardas Costeiras do Estados-Membros à Agência Frontex, reforçando o controlo fronteiriço marítimo e a capacidade de vigilância da fronteira externa marítima da União Europeia. Considerando a inexistência de uma Guarda Costeira em Portugal, definimos como objeto de estudo, as funções de Guarda Costeira exercidas pelas autoridades nacionais e estabelecemos como objetivo da investigação a análise do seu impacto na vigilância da fronteira marítima de Portugal, identificando necessidades de adaptações ao modelo europeu de vigilância da fronteira. A metodologia seguida assentou num raciocínio indutivo e numa estratégia de investigação qualitativa, de natureza empírica e descritiva, procurando perceber qual a situação...

  8. Interoperabilidade dos Sistemas de Informação Geográfica nas Forças Armadas

    Maio, Pedro
    O atual ambiente estratégico, volátil, incerto, complexo e ambíguo, impõe novos desafios às Forças Armadas. Terão de estar capacitadas a responder, pronta e rapidamente, a crises de natureza e intensidade muito diferentes que podem surgir em qualquer altura e em qualquer lugar do planeta. A informação geográfica é, assim, um fator primordial para o planeamento e a condução das operações militares. Os Sistemas de Informação Geográfica gerem a informação geográfica através da recolha, armazenamento, disseminação e exploração de dados geográficos. Num contexto de centralização e integração de Sistemas de Informação nas Forças Armadas pretendemos aquilatar as potencialidades e linhas de ação para...

  9. O Modelo de Gestão de Crises da União Europeia: Vantagens e Inconvenientes

    Cruz, Marco
    A presente investigação aborda o modelo de gestão de crises da União Europeia e reflete uma análise às suas vantagens e inconvenientes. A importância desta temática surge da constatação de que a Europa tem uma diversidade de instrumentos ao seu dispor para poder usar na gestão de uma crise, o que constitui uma das vantagens ao referido modelo, mas também da perceção que a utilização simultânea desses instrumentos, sobretudo das capacidades civis e militares, acarreta grandes desafios ao nível da coordenação, elemento que é visto como um dos principais inconvenientes do próprio modelo. Por isso, e preenchendo os requisitos da...

  10. Remotely Piloted Aircraft Systems: O papel da Guarda Nacional Republicana na fiscalização de utilizadores e “fly/no fly zones” no espaço nacional

    Pessoa, Marcelo
    A presente investigação tem por objetivo analisar a atuação da Guarda Nacional Republicana no contexto da integração dos Remotely Piloted Aircraft Systems no espaço aéreo, considerada a sua responsabilidade em matéria de privacidade e segurança de pessoas e bens. Seguida uma estratégia de investigação qualitativa, centrada na utilização civil, foi possível identificar desafios colocados às entidades com responsabilidades nesta matéria. Efetivamente, as questões a salvaguardar e as responsabilidades a cumprir, fazem assomar uma arquitetura complexa, cruzando diferentes dimensões e motivando a atuação conjunta de diferentes players. Do estudo de caso, que captou a complexidade e a particular natureza da atuação e cooperação da Guarda Nacional Republicana, bem como percorreu os...

  11. O Quadro de Incentivos à PSM, como estímulo ao Recrutamento e Retenção

    Cunha, Fernando
    Desde a profissionalização das Forças Armadas em 2004 que os contratados assumiram uma importância crescente, tendo sido criado um regulamento de incentivos, que fomentasse o recrutamento e a retenção destes recursos humanos. É este conjunto de incentivos e a sua adequabilidade face às dificuldades sentidas no recrutamento e na retenção que se estudam ao longo desta investigação. Com o objetivo de identificar a adequabilidade dos incentivos, efetua-se a análise dos incentivos nacionais em vigor, conjuntamente com a análise dos modelos francês e espanhol, tendo por base as motivações de ingresso e os motivos de abandono precoce desta forma de prestação de...

  12. Crise demográfica em Portugal. Impactos para as Forças Armadas e Forças e Serviços de Segurança

    Sousa, José
    Em Portugal, a diminuição de nascimentos, da fecundidade e da mortalidade, a aceleração do envelhecimento, o decréscimo da população em idade ativa e o acentuar da emigração, revelam a existência de uma crise demográfica. Assim, pretende-se avaliar as consequências que, a médio e a longo prazo, esta crise terá no recrutamento e na renovação do efetivo na categoria de Praças, das Forças Armadas (FFAA), e de Guardas, da Guarda Nacional Republicana (GNR). Este estudo assenta na análise documental e em entrevistas semiestruturadas a uma amostra não-probabilística intencional, baseando-se numa estratégia de investigação qualitativa e num estudo de caso, de natureza empírica...

  13. Sistemas não tripulados nas Forças Armadas nacionais como potenciadores das suas capacidades

    Gonçalves, Adelaide
    Os sistemas não tripulados têm invadido o teatro de operações, destacando-se os Unmanned Aircraft Systems (UAS), enquanto objeto de estudo. No entanto, as Forças Armadas (FFAA) portuguesas não possuem meios UAS que sustentem as capacidades do Sistema de Forças (SF). Assim, pretende-se criar um modelo do processo de edificação de um meio UAS nas FFAA portuguesas que mitigue as lacunas do SF, tendo-se seguido uma estratégia quantitativa e um raciocínio hipotético-dedutivo. O estudo de caso foi analisado com base em entrevistas semiestruturadas que permitiram verificar que: i) os UAS contribuem para a eficácia e eficiência das FFAA portuguesas no cumprimento das suas missões; ii) a obtenção de UAS...

  14. Predisposição para o ingresso nas Forças Armadas: um estudo sobre ações de recrutamento dirigido

    Branco, Adriano
    O processo de profissionalização das Forças Armadas (FFAA) iniciou-se em 2004, com o fim do Serviço Efetivo Normal, e assenta num modelo de recrutamento exclusivo no voluntariado. A opção por este modelo obrigou a uma mudança de paradigma, que levou a instituição militar a concorrer em condições idênticas com outras entidades empregadoras na obtenção de recursos humanos. Este estudo baseia-se numa estratégia de investigação qualitativa, conjugando a análise documental e entrevistas semiestruturadas a especialistas na análise do recrutamento. Definiu-se como objetivo geral desta investigação avaliar a implementação de um recrutamento de carácter dirigido, que contribua para capitalizar o efetivo nas FFAA. Com o intuito de atingir os objetivos propostos, analisam-se...

  15. A dimensão marítima da segurança energética de Portugal

    Brito, Augusto
    O tema da Segurança Energética nascido na década de 70 do século passado tem na atualidade uma importância incontornável, pois quando negligenciado coloca em risco o bem-estar, a segurança e mesmo a sobrevivência da população. Nesta área Portugal enfrenta desafios como a sua elevada dependência energética externa, um problema estrutural relacionado com a total inexistência de fontes energéticas de natureza fóssil e a sua localização periférica em relação ao centro da Europa. Adicionalmente, Portugal sofre de um problema de dupla insularidade pois está integrado na denominada ilha energética que se chama Península Ibérica e confinado entre uma Espanha com uma agenda...

  16. Implicações das Empresas de Segurança Privadas nas Operações Militares

    Antunes, António
    A provisão da violência armada por parte de privados é algo que existe desde sempre. Vestefália mudou o paradigma centrando a legitimidade no estado-nação e nos exércitos do povo. O fim da Guerra Fria, com o desinvestimento nas Forças Armadas, o recrudescer do número de conflitos e o surgimento do conceito de New Public Management fazem novamente renascer este mercado. Assim, entidades privadas organizam-se procurando alterar o estigma inerente ao conceito de mercenário e criar uma estrutura legal e legítima para a condução das suas atividades crescendo em oferta de serviços, nos clientes para quem trabalham e nas áreas de operações. O...

  17. Competências da Guarda Nacional Republicana e da Polícia Marítima no Quadro de Atribuições do Sistema de Autoridade Marítima: Redundância ou Complementaridade

    Martinho, Duque
    Este trabalho de investigação individual insere-se no Curso de Estado-Maior Conjunto 2016/17 e visa estudar as redundâncias e complementaridades resultantes das competências da Guarda Nacional Republicana e da Polícia Marítima, procurando contribuir para a otimização da atuação policial no quadro de atribuições do Sistema de Autoridade Marítima. Com recurso a uma estratégia de investigação qualitativa, de natureza empírica, delimitámos o nosso estudo às sobreposições, funcionais e territoriais, resultantes das competências específicas e missões de polícia das forças em análise, conjugado com as capacidades que dispõem para exercer as suas atribuições legais. Sendo o foco desta investigação duas forças de polícia, fomos inevitavelmente...

  18. Desenvolvimento de Competências de Liderança no Ensino Superior Militar

    Barreto, Luís
    A presente investigação tem como objeto de estudo as competências de liderança associadas ao Ensino Superior Militar, na perspetiva da sua adequabilidade aos atuais cenários de atuação das Forças Armadas e da Guarda Nacional Republicana. Assim, o objetivo da presente investigação consiste em avaliar se estão a ser desenvolvidas, no Ensino Superior Militar, as competências de liderança adequadas aos Oficiais do Quadro Permanente das Forças Armadas e da Guarda Nacional Republicana, face às necessidades para o exercício de funções nos atuais cenários onde estes possam ser empenhados. Seguindo uma estratégia de investigação qualitativa, materializada através de uma pesquisa documental e de entrevistas...

  19. O Contributo das Operações de Informação para a Superioridade de Informação

    Martins, João
    Recorrendo a uma investigação bibliográfica assente na doutrina conjunta da North Atlantic Treaty Organization (NATO), a fontes bibliográficas sobre a temática da Guerra Centrada em Rede, Superioridade de Informação (SupInfo) e Operações de Informação (InfoOps) e a entrevistas semiestruturadas com elementos que desempenham funções relativas às InfoOps nos Comandos Conjuntos da NATO, este estudo de caso procura analisar a capacidade militar edificada ao nível Operacional para planear, coordenar e integrar o emprego das capacidades e técnicas das InfoOps e de que modo esta capacidade contribui para que o Comando Conjunto atinja a SupInfo. Ao longo deste estudo, descreve-se o conceito de...

  20. O risco no Planeamento Estratégico Militar em Portugal: dimensões e ferramentas

    Fazenda, Tiago
    A pouca expressão metodológica sobre gestão do risco nas Forças Armadas portuguesas merece reflexão, por forma a contribuir para a adequação dos processos à volatilidade do ambiente estratégico. Este estudo teve por base um raciocínio indutivo, por forma a construir a interação do risco com a estratégia militar, com o objetivo geral de avaliar o seu impacto e consolidar um modelo que possa otimizar o seu tratamento. Através de análise documental e de conteúdo, com recurso a dez especialistas em estratégia militar e gestão de risco, a investigação conduziu a três grandes conclusões. Em primeiro lugar, o risco pode ter origem em três dimensões: (i) no enquadramento...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.