Mostrando recursos 81 - 100 de 79.100

  1. A prática de revisão de textos entre inadequação e inovação: uma discussão sobre variação, mudança e política linguística

    Fedatto, Carolina P.; Garcia Pinto Coelho, Beatriz
    O artigo procura problematizar as noções de uso, variação e mudança linguística na prática de revisão de textos por meio da discussão de vocábulos polêmicos entre gramáticos tradicionais e linguistas. Empregos como o do demonstrativo mesmo substantivado como anafórico e onde com sentido não espacial são condenados por concepções mais puristas da língua, pois não estariam de acordo com um sentido original defendido por alguns gramáticos. No entanto, estudos linguísticos baseados na descrição do uso desses vocábulos em textos da norma padrão demonstram que essas novas acepções estão em plena produtividade na língua, sendo entendidas como gramaticalizadas no português padrão....

  2. Um análise construcional dos splinters não nativos em uso no português do Brasil

    Gonçalves, Carlos Alexandre
    Com base na Morfologia Construcional, modelo desenvolvido por Booij (2005, 2007, 2010) para o tratamento da morfologia no paradigma da gramática das construções (GOLDBERG, 1995), pretendemos, neste artigo, inventariar as partículas do inglês recentemente utilizadas nas estruturas morfológicas do português e descrever as características formais e semânticas das formas complexas ditas híbridas (com uma parte vernácula e outra emprestada). Além disso, procuramos refletir de que maneira novas unidades morfológicas se integram na língua, mostrando que tais unidades se conformam aos esquemas básicos de formação de palavras da língua tomadora. Por fim, pretendemos representar os esquemas e subesquemas de que participam...

  3. Multi-word verbs na escrita acadêmica de aprendizes do inglês: um estudo baseado em corpus de estudantes brasileiros

    Tulipa da Costa, Priscilla; Tenuta de Azevedo, Adriana Maria
    Motivada pela importância dos verbos compostos por mais de uma palavra na comunicação em inglês e pelos problemas que envolvem o ensino dessas formações lexicais, esta pesquisa teve como objetivo principal investigar o uso dos multi-word verbs em textos acadêmicos escritos por aprendizes brasileiros da língua inglesa. A proposta é identificar quais são os verbos frasais, preposicionados e frasais preposicionados mais comuns nos textos de aprendizes, bem como observar as diferenças e semelhanças no emprego dessas unidades em gênero textual argumentativo por parte de brasileiros e falantes nativos. Para tanto, a pesquisa encontrou suporte teórico na Linguística de Corpus, que...

  4. A aquisição da linguagem por meio do processamento de informação das interfaces: sobre o processo de aquisição de passivas

    Corrêa, Letícia Maria Sicuro; Lima Júnior, João Claudio de; Augusto, Marina Rosa Ana
    Apresenta-se uma abordagem procedimental para a aquisição da linguagem, de natureza interdisciplinar, na qual se integram uma concepção minimalista língua e resultados de pesquisa psicolinguística voltada para o processamento da linguagem no desenvolvimento linguístico. Um procedimento de aquisição da sintaxe da língua materna é ilustrado com base em um estudo da aquisição de sentenças passivas. As evidências compatíveis com o modelo aqui sintetizadas incluem resultados de experimentos com crianças adquirindo o português, indicativos da percepção de padrões de dependência morfossintática descontínua em idade inferior a dois anos; da discriminação de auxiliares em passivas adjetivais e verbais; e do efeito de...

  5. O estatuto de nem na gramática do português

    Marques, Norma Barbosa Novaes; Pezatti, Erotilde Goreti
    Tradicionalmente a partícula ‘nem’ tem sido considerada uma conjunção aditiva, pois se entende que estabelece entre elementos uma relação de acréscimo. Etimologicamente, é proveniente do latim ‘nec’, um dos poucos juntores que restaram nas variedades vernáculas de latim, juntamente com ‘et’, ‘aut’, ‘magis’, ‘ca’, ‘post’ (cf. Nascentes, 1955). Para Neves (2000), ‘nem’ tem o mesmo papel de ‘e’, ou seja, é uma conjunção que marca uma relação de adição entre segmentos negativos coordenados, com significado básico de “e também não”. Como se pode observar, a autora considera ‘nem’ um elemento complexo, indicando acréscimo por meio de ‘e’ e ‘também’, e...

  6. Ilhas sintáticas e plausibilidade semântica – um estudo de rastreamento ocular de frases com lacunas preenchidas em português brasileiro

    Maia, Marcus Antonio Rezende; Moura, Amanda Rocha; Souza, Moíra
    Este trabalho apresenta um experimento de rastreamento ocular em que se investiga o efeito da lacuna preenchida (ELP) em construções subjacentes e não subjacentes e em contextos semânticos de plausibilidade e de implausibilidade. Os resultados sugerem que configurações de ilhas sintáticas são percebidas rapidamente pelo processador, impedindo tanto a postulação do ELP, quanto a avaliação semântica de plausibilidade na seleção-s do complemento pelo verbo. Nas condições não subjacentes, o ELP se instancia e a avaliação semântica ocorre apenas posteriormente às decisões de análise sintática, não evitando o ELP, conforme predito pelos modelos de processamento  do tipo syntax-first. 

  7. Estudos gramaticais à luz da linguística ecossitêmica

    Couto, Hildo Honório do
    O objetivo deste artigo é apresentar argumentos em prol de uma representação reticular-rizomática do que a tradição tem chamado de estrutura linguística, tendo por base teórica a versão da ecolinguística chamada de linguística ecossistêmica.  Para tanto, ele apresenta um panorama das concepções de língua ao longo da história, salientando que as primeiras concepções laicas estavam em consonância com a ciência moderna, mas que as primeiras reflexões sobre questões linguísticas eram normativas, pressupunham um sistema estático. As primeiras tentativas de se representar graficamente se deram no âmbito semântico e fonético-fonológico. Na sintaxe, uma das primeiras formas de representação deve ter sido...

  8. As construções com o verbo começar no Português do Brasil e a noção de inceptividade aspectual

    Rodrigues Alves Rafael, Giovanna Cristina; Maria Coelho, Sueli
    Neste estudo, pretendemos identificar as diferentes construções em que o verbo começar aparece no português brasileiro (PB), no intuito de verificar como o aspecto inceptivo se manifesta em cada uma dessas construções, uma vez que o referido verbo é o mais frequente na atualização da categoria aspectual em análise. (TRAVAGLIA, 1986; BARROSO, 1994). Baseando-nos nos postulados da Gramática de Construções, mais especificamente no Princípio da Não-Sinonímia de Goldberg (1995), lançamos a hipótese de que a inceptividade aspectual não se manifesta da mesma maneira nos tipos diferentes de construções com começar. Os dados utilizados nas análises foram extraídos, majoritariamente, de textos...

  9. Construindo o dicionário de Valências: problemas e resultados

    Perini, Mário
    O Projeto VVP (em andamento na UFMG com participantes de outras três Universidades de Minas) tem como objetivo a elaboração de um dicionário de valências verbais do português brasileiro. Para isso foi criada uma notação das construções (diáteses), composta de uma análise sintática maximamente simples, mais os papéis semânticos de cada constituinte. Cada verbo é classificado de acordo com as diáteses em que pode ocorrer, o que fornece uma classificação detalhada, precisa e capaz de expressar adequadamente o comportamento gramatical de cada verbo. Esse sistema substitui com vantagem as classificações tradicionais atualmente correntes. São apresentados alguns problemas de análise ainda...

  10. Orações concessivas prefaciadas por a pesar de e a pesar de que no espanhol peninsular falado: Factualidade, Pressuposição e Tempo de Referência à luz do funcionalismo

    Garcia, Talita Storti; Fante, Bárbara Ribeiro
    Este trabalho visa a descrever, tendo como base a teoria da Gramática Discursivo-Funcional, as orações concessivas prefaciadas por a pesar de (que) no espanhol peninsular falado, com o objetivo de verificar em que medida os critérios Factualidade, Pressuposição e Tempos de Referência podem distinguir a pesar de e a pesar de que e como esses fatores podem ser reconhecidos na materialidade linguística dessas construções. O universo de investigação consiste no corpus do projeto PRESEEA (Proyecto para el Estudio Sociolingüístico del Español de España y de América) e no corpus do projeto CREA (Corpus de Referencia del español actual. Os resultados...

  11. Variação e relações semânticas no léxico Apurinã (Aruak): o “duplo vocabulário”

    Lima Padovani, Bruna Fernanda S. de; Facundes, Sidney da Silva
    O presente trabalho busca demonstrar que padrões metáforicos e metonímicos são mecanismos essenciais na variação da taxonomia Apurinã (Aruak) e importantes na formação das nomenclaturas para fauna e flora dessa língua. Para tanto, o estudo se pauta na Sociolinguística Variacionista (LABOV, 2008) e na Semântica Cognitiva (LAKOFF; JOHNSON, 1980; LAKOFF, 1987). Os casos de variação tratados aqui restringem-se à nomenclatura de fauna e flora que constituem o fenômeno de “duplo vocabulário” (uso de duas ou mais formas para designar um mesmo referente em um domínio específico do léxico) presente na língua. Um exemplo disso seria a maneira como os Apurinã nomeiam o termo ‘quatipuru-roxinho’. O mesmo conceito pode ser chamado...

  12. Brasil, 2015: como a presidenta, seu partido, seus eleitores e seu governo podem ser conceptualizados em rede social

    Almeida, Aurelina Ariadne Domingues
    São apresentados resultados de um estudo realizado sobre o modo como a presidenta Dilma Rousseff, seu partido, seus eleitores e seu governo foram conceptualizados em um meme postado na página Movimento Contra Corrupção constante da rede social online Facebook. O estudo foi norteado pelos aportes teórico-metodológicos da Linguística Cognitiva. Como a conceptualização é um fenômeno complexo, foram associados conhecimentos adquiridos pela Linguística Cognitiva a saberes elaboradospela Teoria da Complexidade. Foram desenvolvidas reflexões sobre mapeamentos metafóricos e metonímicos, estruturados por esquemas imagéticos no âmbito dessa conceptualização. Ao final dos trabalhos, foi verificado o papel da interconexão entre o imagético e o verbal na geração de sentido, bem como foi observado que,...

  13. Wittgenstein on Metaphor

    Gurgel, Diogo de França
    In this work, I examine Wittgenstein’s possible contributions to an elucidation of the grammatical status of certain metaphors – often found in theoretical and speculative texts – which resist an approach based on the assumption of a clear split between the fields of pragmatics and semantics. I take as examples of works that depart from this assumption Elizabeth Camp’s Contextualism, Metaphor and What is said (which explores the lines suggested by Paul Grice), and John Searle’s Expression and Meaning. Both rely on a distinction between speaker’s meaning (utterance meaning) and sentence meaning to explain the nature of metaphor. They assume that the very metaphorical operation involves meaning something instead...

  14. Going political – multimodal metaphor framings on a cover of the sports newspaper A Bola

    Almeida, Maria Clotilde
    This paper analyses a political-oriented multimodal metaphor on a cover of the sports newspaper A Bola, sequencing another study on multimodal metaphors deployed on the covers of the very same sports newspaper pertaining to the 2014 Football World Cup in Brazil (Almeida/Sousa, 2015) in the light of Forceville (2009, 2012). The fact that European politics is mapped onto football in multimodal metaphors on this sports newspaper cover draws on the interplay of conceptual metaphors, respectively in the visual mode and in the written mode. Furthermore, there is a relevant time-bound leitmotif which motivates the mapping of politics onto football in the sports newspaper A Bola, namely the upcoming football...

  15. Motivação metafórica nos phrasal verbs: uma concepção semântico-cognitiva

    Pierozan, Samanta Kélly Menoncin
    Este artigo tem como propósito mostrar alguns passos que podem conduzir à identificação das metáforas conceptuais que motivam os sentidos das partículas up e down, elementos constituintes de phrasal verbs, bem como averiguar os mapeamentos metafóricos que motivam essas metáforas, partindo da verificação de quais são os sentidos dessas partículas que expressam os esquemas imagéticos propostos por Rudzka-Ostyn (2003). Este estudo adota como pilar a Teoria da Metáfora Conceptual preconizada por Lakoff e Johnson (1980), uma abordagem semântico-cognitiva, a fim de que se possa refletir sobre a semântica das construções verbo-partícula, cujos significados, na sua maioria, são estendidos metaforicamente. A Linguística de Corpus é utilizada como um recurso metodológico, o...

  16. A relevância das metáforas como conceitualização das experiências: uma reflexão sobre o ensino/aprendizagem de inglês no ensino regular

    Saldanha, Gabriela da Cunha Barbosa
    Concebendo a metáfora como um meio de conceitualização do mundo a partir de nossas experiências cotidianas, o presente estudo tem como objetivo central identificar as metáforas de estudantes do ensino médio acerca de sua aprendizagem de inglês no ensino fundamental. A pesquisa, realizada em agosto de 2015, apresenta uma natureza mista, utilizando dados qualitativos e quantitativos. A análise do corpus se apoiou nos pressupostos da Teoria da Metáfora Conceitual, em trabalhos já realizados por autores renomados nesse campo, bem como no marco de referência de experiências. Os resultados revelam que, apesar de haver um número maior de metáforas sobre experiências de insucesso relativas à aprendizagem e ao professor, também foram...

  17. Metáfora, metonímia, sinédoque e ironia: elementos retóricos de racionalidade no discurso jurídico

    Pereira, Égina Glauce Santos
    A metáfora, a metonímia, a sinédoque e a ironia são conhecidas comofiguras de estilo ou tropos, que seriam um desvio de sentido, um rodeioinabitual relativamente ao sentido literal (MEYER, 2014). Desde aAntiguidade, essas figuras se estabelecem como primordiais ao discursocom o objetivo de alcançar o auditório. Nesse sentido, serão analisadasas quatro figuras citadas com o objetivo de demonstrar a racionalidadedelas, pois podem ser consideradas como tropos-mestres, ainda que algunsteóricos privilegiem a metáfora ou a metonímia. No discurso jurídico taiselementos fazem parte constante da estratégia de seus operadores, assimserá utilizada, exemplificativamente, uma decisão judicial. Essa decisãoregulamenta a situação em que um...

  18. A experiência do câncer de mama em palavras: notas sobre as possibilidades emergentes de um corpus temático

    Vanin, Aline Aver
    Este texto busca investigar a emergência de metáforas conceptuais no discurso de pacientes de câncer de mama a partir de uma amostra de corpus de textos extraído de depoimentos publicados em blogs. Partese do pressuposto de que o uso de metáforas conceptuais é inerente à comunicação cotidiana, e que tais aspectos são indícios da forma como a cognição humana interpreta o mundo. Para tanto, será tomada como base a arquitetura teórico‑metodológica da Linguística Cognitiva a fim de analisar como a expressão da experiência relacionada à doença pode dar indícios sobre a sua verdadeira faceta para cada indivíduo. O trabalho justifica-se por lançar luz...

  19. Functional effects, prepositional semantics, and metaphorical containment in Brazilian Portuguese: the case of em, dentro de, and fora de

    Oliveira, Aparecida de Araújo
    I analyzed conventional metaphorical expressions in Brazilian Portuguese having lexicalized functional effects of spatial scenes as complements of the prepositions dentro de [inside], em [in, on, at], and fora de [out of]. The functional effects investigated were ‘protection’, ‘covering/hiding’, ‘control’, and ‘envelopment’, which constitute the family resemblance concept of Containment. I provided a cognitive account of these conventional expressions in terms of primary metaphors such as invisible is inside anduncontrolled is outside, emerging through experiential correlation in primary scenes. I described twelve meanings based on the container image schema, four based on the verticality schema, and four based on the nonimagetic notion of ‘non-existence’. Contradicting my initial expectations, the corpus-based...

  20. Os aprendizes são viajantes: identidades metaforizadas de estudantes de inglês de Hong Kong e Belo Horizonte

    Gomes Junior, Ronaldo Corrêa
    Se as metáforas são um fenômeno cognitivo pelo qual atribuímos sentido ao mundo e a nós mesmos, entender, as identidades e como elas são construídas também pode ser uma questão de metáfora. Este artigo relata uma pesquisa que buscou investigar as identidades de estudantes de inglês da Universidade Federal de Minas Gerais e da City University of Hong Kong por meio da análise das metáforas encontradas em histórias de aprendizagem multimodais. Nesse estudo, dois conjuntos de narrativas foram analisados – um de cada universidade. Os dados revelam que a identidade metaforizada mais frequente nos dois grupos de participantes envolve percursos, caminhos e jornadas, como a do viajante. Conhecer as metáforas...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.