Thursday, May 26, 2016

 

 



Soy un nuevo usuario

Olvidé mi contraseña

Entrada usuarios

Lógica Matemáticas Astronomía y Astrofísica Física Química Ciencias de la Vida
Ciencias de la Tierra y Espacio Ciencias Agrarias Ciencias Médicas Ciencias Tecnológicas Antropología Demografía
Ciencias Económicas Geografía Historia Ciencias Jurídicas y Derecho Lingüística Pedagogía
Ciencia Política Psicología Artes y Letras Sociología Ética Filosofía
 

rss_1.0 Clasificación por Disciplina

Nomenclatura Unesco > (61) Psicología

Mostrando recursos 101 - 120 de 44,253

101. Plantão psicológico no CRAS em Poços de Caldas - Saulo Tavares Mota; Tommy Akira Goto
Acompanhando novas demandas, o Curso de Psicologia da PUC-Minas, campus Poços de Caldas, estabeleceu novas possibilidades de atuação e intervenção, rompendo barreiras do fazer clínico tradicional e indo em direção a uma concepção de "clínica-ampliada" a partir do Plantão Psicológico. Pretende-se aqui descrever a experiência dissidente de atendimento à população no formato de Plantão Psicológico num Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), no município de Poços de Caldas. A experiência proporcionou aos alunos um contato com alguns desafios de articular novas práticas em espaços insólitos do atuar do psicólogo, bem como a produção de conhecimento acerca dessas práticas.

102. A imagem do hiato: Budapeste* e a fotografia - Renato Cury Tardivo
Este artigo propõe uma análise comparativa entre o romance Budapeste, de Chico Buarque, e a linguagem da fotografia. Inserido no âmbito interdisciplinar da psicologia da arte, vale-se de referenciais de crítica literária, estética, fenomenologia e psicanálise, a fim de analisar em que medida Budapeste e a fotografia correspondem-se. A partir da leitura do romance, levantamos algumas questões que, em seguida, procuramos problematizar e ampliar, articulando-as a elementos pertencentes à linguagem fotográfica. Tanto no romance analisado quanto na linguagem da fotografia, parece haver uma espécie de duplo movimento segundo o qual a realidade revela e é revelada

103. Psicologia e liberdade: conhecimento do "eu" e das coisas - Leonardo Almada
Nesse artigo, proponho investigar a significação do problema da liberdade no âmbito de um debate entre a tradição espiritualista e a psicologia experimental. Meu objetivo é o de demonstrar que a conceituação da mente como duração nãoespacializada e como multiplicidade qualitativa é capaz de suprir os empecilhos à liberdade que são instituídos pela psicologia experimental. Para tanto, recorro às obras dos filósofos Henri Bergson e Farias Brito, no tanto quanto souberam expressar e se posicionar em face dos propósitos experimentalistas. A conclusão obtida é a de que a causalidade não é determinação e, por isso, não exclui a liberdade.

104. Psicologia e liberdade - Leonardo Ferreira Almada

105. Aquisição da linguagem escrita e intervenções pedagógicas: uma abordagem histórico-cultural - Silvana Calvo Tuleski; Marta Chaves; Sonia Mari Shima Barroco
Neste texto, de natureza conceitual e metodológica, busca-se apresentar a aquisição da linguagem escrita na perspectiva da Psicologia Histórico-Cultural e, com circunscrição ao âmbito ontogenético, discute as implicações para e das intervenções pedagógicas a partir de seus pressupostos. Para isso se explicitam a natureza e o desenvolvimento das funções psicológicas superiores, das quais a linguagem escrita é parte; em seguida mostra-se como ocorre a aquisição da linguagem escrita de acordo com Luria e Vigotski, e, por último, são apontadas as mediações pedagógicas necessárias para que o ensino promova aprendizagem e esta, por sua vez, desenvolvimento.

106. Psicologia e regimes de verdade nas práticas de promoção da saúde - Anita Guazzelli Bernardes; Betina Hillesheim; Edna de Oliveira Souza; Camilla Fernandes Marques
Resumo O presente estudo focaliza as ações em promoção de saúde produzidas pela Psicologia na rede de saúde descritas em periódicos científicos a partir da implantação e implementação da Política Nacional de Promoção de Saúde. Os periódicos, assim como a Declaração de Alma-Ata, a Carta de Ottawa e a própria Portaria 687/06, compõem os materiais analisados. As ferramentas conceituais da análise amparam-se nas discussões foucaultianas sobre regimes de verdade e políticas de subjetivação. A discussão considera as práticas psicológicas, na atenção básica, como um campo de experiência que constitui a figura grupal, forjada pelo testemunho e pela aprendizagem como tecnologias...

107. Budapeste, de Chico Buarque, na narrativa da psicologia social construcionista - Marcelo Naputano; José Sterza Justo
Resumo Este trabalho apresenta uma leitura do livro Budapeste, de Chico Buarque de Hollanda, baseada na psicologia social construcionista. Partindo de considerações sobre a história narrada e seus protagonistas, sobre autoria, narrativa, obra, identidade, língua e linguagem, procuramos evidenciar em Budapeste alguns fundamentos do construcionismo social tais como a importância da linguagem e de práticas discursivas na construção social de si e dos outros. Como principal resultado surge um intertexto criado no encontro de narrativas de duas línguas: a da literatura e a da ciência; muitas vezes tão estranhas entre si como o húngaro e o português.

108. Mulheres em cargos profissionais de chefia: o paradoxo da igualdade - Fabia Alberton de Silva Galvane; Giovana Ilka Jacinto Salvaro; Adriana Zomer de Moraes
Resumo O artigo aqui apresentado foi construído a partir de informações obtidas em uma pesquisa realizada no ano de 2009, apresentada como Trabalho de Conclusão de Curso da Psicologia, ao Centro Universitário Barriga Verde - UNIBAVE (GALVANE, 2009). A pesquisa teve como objetivo geral verificar os sentidos produzidos por mulheres que ocupam cargos de chefia em indústrias de uma cidade do sul de Santa Catarina, Brasil. O modelo de pesquisa foi o qualitativo proposto por González Rey (2005). Os sujeitos da pesquisa foram sete mulheres e as informações obtidas por meio de entrevistas semiestruturadas. Neste artigo, propõe-se revisar informações obtidas...

109. A identidade social estigmatizada de pobre: uma constituição opressora - James Ferreira Moura Jr; Verônica Morais Ximenes
Resumo A pobreza é abordada como prática de opressão, desenvolvendo constituições identitárias depreciativas do individuo. Este artigo analisa os papéis sociais da identidade social estigmatizada de pobre. A pesquisa foi realizada com 4 pessoas em situação de rua vinculadas ao Abrigo Provisório da Prefeitura Municipal de Fortaleza. Foram utilizados como instrumentos a observação participante e a entrevista narrativa, tendo a análise temática narrativa como procedimento de análise. Foram identificados os papéis sociais de conformado, de crente em Deus como responsável por tudo, de mártir, de causa de mazelas sociais e de culpado pela sua situação. Concebe-se que esses papéis sociais...

110. Lewin e a pesquisa-ação: gênese, aplicação e finalidade - Armando Sérgio Emerenciano de Melo; Osterne Nonato Maia Filho; Hamilton Viana Chaves
Resumo O objetivo deste texto é refletir sobre a gênese, os fundamentos teóricos e a importância da pesquisa-ação como estratégia de intervenção psicológica. Pretende-se, a partir deste resgate, suprir uma demanda do pesquisador em psicologia: demarcar os fundamentos do surgimento da pesquisa-ação e viabilizar as bases científicas de uma intervenção psicológica amparada neste método de trabalho. A pesquisa-ação pode ser pensada epistemologicamente como uma modalidade de pesquisa “qualitativa”. Esta diferencia-se dos métodos de pesquisa tradicionais e positivistas, uma vez que esses estão mais ligados a uma noção reducionista de fenômeno humano, na lógica da categoria psicológica “experimental” e quantitativamente controlável.

111. Representações sociais da AIDS para estudantes de Psicologia - Noêmia Soares Barbosa Leal; Angela Elizabeth Lapa Coêlho
Resumo A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (Aids) configura-se como fenômeno social que ultrapassa o conceito de doença, constituindo-se em estigma para aquele que tem o diagnóstico. É um problema de saúde pública que afeta faixas etárias, classes socioeconômicas e sociedades indistintamente, a Aids constitui temática de estudo e investigação inesgotável. Esta pesquisa apoia-se na teoria das Representações Sociais e tem como objetivo analisar as representações da Aids, de saúde e de doença para 20 estudantes de Psicologia. A análise dos dados se deu por meio da análise de conteúdo, e os resultados apontaram que o conhecimento sobre a Aids nem...

112. Psicologia analítica e a interpretação dos personagens dos sonhos lúcidos - José Felipe Rodriguez de Sá; Ermelinda Ganem Fernandes
Resumo Os sonhos lúcidos são descritos como a consciência de estar sonhando durante o sonho e a capacidade de alterá-lo narrativamente. Uma breve introdução sobre tema será desdobrada, seguida pela análise de uma das características marcantes desse fenômeno: os personagens que habitam esse estado onírico, possuidores de um grau de autonomia e facilidade de comunicação surpreendente se comparados aos sonhos comuns. Na intenção de averiguar substrato psíquico dessas entidades autônomas será conduzida uma investigação sob a ótica da psicologia analítica, privilegiando o conceito Junguiano de “sombra” e a teoria dos complexos. Por fim, será destacada a importância dessa análise para...

113. O CRAS em relação: profissionais e usuários(as) em movimento - Vinicius Tonollier Pereira; Pedrinho Arcides Guareschi
Resumo Este artigo parte de uma pesquisa de dissertação que procurou investigar as representações sociais de profissionais da psicologia que atuam em Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) sobre os usuários deste serviço, objetiva demonstrar a existência de uma dimensão relacional entre profissionais e usuários, evidenciando assim possibilidades de transformações sociais e políticas tanto no contexto de vida dos destinatários da assistência social como também da própria psicologia inserida no Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Entrevistou-se 21 psicólogas que atuam em CRAS. Dentre os resultados, percebe-se a vigência ainda de um legado histórico assistencialista e o quanto as...

114. Corpos, subjetivações estéticas e arte e feminismos: passagens na pesquisa em Psicologia - Roberta Stubs; Fernando Silva Teixeira Filho; Dolores Galindo; Danielli Milioli
Resumo Tendo em vista o ativismo dos feminismos, tanto nos movimentos sociais quanto nas artes, na promoção de novos modos de subjetivação e modos de existência múltiplos e voltados às práticas de liberdade, propomo-nos a refletir sobre os fazeres artísticos feministas em passagens políticas que se valem de uma força inventiva/afirmativa do corpo enquanto estratégia de subversão e resistência para propor outras formas de viver, inclusive, a pesquisa em Psicologia.O texto se volta às estéticas feministas, nas artes visuais, nas quais o corpo se torna um território para experimentação, discutindo ainda a tradução destas estéticas a uma prática de pesquisa...

115. Transtornos mentais e comportamentais relacionados ao trabalho: o que a psicologia tem a dizer e a contribuir para a saúde de quem trabalha? - Wladimir Ferreira de Souza
Este breve ensaio tem por objetivo colocar em discussão algumas das contribuições advindas de importantes publicações a respeito da problemática relacionada aos transtornos mentais e comportamentais e suas vinculações com o trabalho. Quanto a isso, verifica-se que a Psicologia, enquanto ciência e profissão, encontra-se diante de inúmeros desafios a superar, os quais concernem tanto à formação dos profissionais, quanto à sua atuação nos mais diversos campos.

116. Sakharov e os métodos para pesquisa da formação de conceitos - Gisele Toassa; Achilles Delari Júnior
Este texto apresenta e estuda a primeira tradução para a língua portuguesa de "Sobre métodos para pesquisa de conceitos" (1928), de Sakharov, texto clássico da psicologia histórico-cultural. Em quatro partes, esclarecemos: as opções de tradução realizadas e as relações entre o autor e seu tempo; a discussão sobre métodos de pesquisa de conceitos/talento intelectual, envolvendo análise do objeto, material e procedimentos de investigação de Sakharov em relação com a obra vigotskiana. Debatemos também as críticas, replicações e repercussões do método funcional da dupla estimulação (ou método de Sakharov), apresentado na tradução.

117. Engagement no trabalho: uma discussão teórica - Paulo Cesar Porto-Martins; Pedro Guilherme Basso-Machado; Ana Maria Teresa Benevides-Pereira
O engagement no trabalho é considerado como um estado cognitivo positivo de realização, relacionado com o mundo laboral, que se caracteriza por três dimensões: vigor, dedicação e absorção. Este é formado por um componente comportamental-energético (vigor), um componente emocional (dedicação) e um componente cognitivo (absorção). O objetivo deste estudo é apresentar uma revisão de publicações científicas internacionais acerca do constructo. O estudo do engagement no trabalho vem como consequência de inúmeras pesquisas realizadas sobre a síndrome de burnout, corroborando com as premissas da psicologia positiva. Conclui-se que existe deficiência de publicações neste constructo, principalmente em se tratando do contexto brasileiro.

118. Desafios da atuação dos psicólogos nos CREAS do Rio Grande do Norte - Adriana Barbosa Ribeiro; Ilana Lemos de Paiva; Pablo de Sousa Seixas; Isabel Maria Farias Fernandes de Oliveira
O presente estudo objetiva discutir os aspectos contextuais que condicionam e possibilitam a prática profissional do psicólogo no campo da Assistência Social, utilizando como recorte a fala dos psicólogos que atuam nos Centros de Referência Especializados de Assistência Social (CREAS) do estado do Rio Grande do Norte (RN). Coloca-se em debate a atuação do psicólogo nesses espaços, pensando a sua contribuição na consolidação da política pública em questão. A análise dos dados demonstra a necessidade da construção de uma identidade do psicólogo como trabalhador social, apontando para a importância de mudanças no corpo conceitual e técnico da Psicologia.

119. Afirmar uma Psicologia fortalecedora da vida com Nietzsche e Deleuze - Fernando Hiromi Yonezawa
Neste estudo teórico, desejamos compreender a noção trazida por Nietzsche, de Psicologia como "morfologia da vontade de poder" e, também, investigar o problema filosófico destacado por Deleuze de liberar a vida do par ressentimento/má-consciência. Trazemos os conceitos de vontade de poder e eterno retorno como sendo elementos de transformação do enfraquecimento que a vida sofre sob obra do ressentimento e da má-consciência. Assim, chegaremos à noção de que a Psicologia pode funcionar como estudo de uma sensibilidade das forças vitais, trabalhando em favor de fortalecer a vida, liberando-a do peso da culpa, e sem se restringir à interioridade dos sujeitos.

120. A potência do cyborg no agenciamento de modos de subjetivação pós-identitários: conexões parciais entre arte, psicologia e gênero - Roberta Stubs; Fernando Silva Teixeira Filho; Wiliam Siqueira Peres
Em consonância com uma psicologia mais afeita ao devir do que às essências, a proposta deste artigo é fundamentar a importância de se compreender a tradicional concepção de subjetividade enquanto um processo de subjetivação, principalmente no que tange as discussões sobre identidade e gênero na atualidade. Feito isso, traçamos algumas aproximações entre arte e psicologia, compreendendo a primeira como um potente dispositivo para favorecer modos de subjetivação que tenham a diferença como inerência relacional. Por fim, lançamos nossos olhares em alguns fragmentos da obra Cremaster do artista contemporâneo Mathew Barney para perceber o modo como a obra ultrapassa os binarismos...

Página de resultados:
 

Busque un recurso