Mostrando recursos 141 - 160 de 30.830

  1. Ética da pesquisa e ética profissional em sociologia: um começo de conversa

    Lima, Jacob Carlos
    O artigo discute como o profissional da sociologia enfrenta os dilemas ético e morais em sua atividade, e como esses  dilemas são resolvidos tendo como  referência as orientações presentes desde a formação da disciplina.   Recupero minha experiência de  pesquisador, professor e orientador. A experiência nas  três  atividades sintetiza a atividade do sociólogo na universidade, lócus principal, embora não exclusivo, da atuação profissional. E permite uma  certa  generalização, pois  no mercado – empresas, instituições, ONGs – o profissional enfrenta di- lemas  éticos  semelhantes. Além de uma  explanação de questões metodológicas que  remetem aos autores clássicos da disciplina, utilizo o Código  de...

  2. Braverman e a centralidade do processo de trabalho: comentário sobre comentadores desde uma leitura periférica

    Mello e Silva, Leonardo
    O artigo  faz um balanço da recepção do livro  Trabalho  e Capital  Mo- nopolista, de Harry  Braverman, por ocasião  do quadragésimo aniver- sário  de seu lançamento. Obra marcante e influente na sociologia do trabalho, tanto   internacional  quanto brasileira, busca-se mostrar a pertinência e atualidade de sua  abordagem para  a pesquisa corrente nesse  campo de  estudos. Para  tal  fim,  o texto  inicia com  uma  con- textualização do  livro,  passando em  seguida para  um  mapeamento das  vagas  de  reação  a ele,  bem  como  as questões que  suscitou. Em seguida, é feita uma  reflexão sobre  os desafios metodológicos que  os estudos do  processo...

  3. Trajetórias, travessias e produtores: sociologias, conhecimentos e os autores dos livros coletâneas sobre o ensino de sociologia na educação básica

    Wilhelms Eras, Lígia
    Este artigo retrata as condições da produção e a trajetória de grupo, por análise prosopográfica das trajetórias sociopessoais de formação escolar e acadêmica, socioprofissionais dos autores/escritores dos capítulos dos livros coletâneas sobre o Ensino de Ciências Sociais/Sociologia na Educação Básica, cujo recorte temporal é o período de 2008 a 2013.

  4. Centro de referência virtual do professor - CRV: portal de apoio didático pedagógico para o professor de sociologia

    Fonseca Guimarães, Elisabeth da; Gonçalves, Elaine
    Este artigo analisa a utilização do portal educacional da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais (SEEMG) - o Centro de Referência Virtual do Professor (CRV) - pelos docentes de Sociologia das escolas públicas de ensino médio de Uberlândia. Apresenta aspectos básicos das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) e a prática docente na cibercultura. Esclarece a distinção entre portais e portais educacionais, apresentando o portal CRV como interface pedagógica virtual disponível para auxiliar os professores de Sociologia em atividades didático-pedagógicas. Conclui que o portal apresenta conteúdos e informações confiáveis para a prática docente de Sociologia, porém, é um...

  5. Notas sobre o pensamento social brasileiro nos livros didáticos de sociologia

    Meucci, Simone
    Este texto se dedica a analisar os livros didáticos de Sociologia inscritos no Plano Nacional do Livro Didático para o Ensino Médio 2012. Estudamos os livros em três perspectivas. Em primeiro lugar, analisamos as condições gerais de elaboração dos livros didáticos, especialmente alguns aspectos do mercado editorial, a política nacional de distribuição dos livros didáticos e as características do gênero de escrita. Em segundo lugar, identificamos o perfil de seus autores, em particular as trajetórias acadêmicas e profissionais. Finalmente, procuramos compreender, a partir da contagem de referências e da análise da natureza das sínteses, como esses livros se apropriam dos...

  6. A trajetória da formação do professor de sociologia do ensino médio a partir do estudo da disciplina didática

    Takagi, Cassiana Tiemi T.
    Este artigo discute a formação do professor de Sociologia da escola média a partir do estudo da disciplina Didática, pertencente ao curso de licenciatura em Ciências Sociais na Universidade de São Paulo. Considerou-se que o curso de licenciatura da USP, por ser o mais longevo e, de certa forma, inaugural, seria capaz de fornecer, a partir de seus arquivos, os subsídios necessários para se compreenderem os objetivos curriculares de formação docente. Optou-se pela disciplina Didática porque ela é capaz de revelar as diferentes alternativas curriculares vividas pela licenciatura desde a fundação da Universidade em 1934 até 2012. Para tanto, foram...

  7. Professoras, cátedras e o ensino de sociologia na USP: anos 1940-1960

    Spirandelli, Claudinei Carlos
    O artigo destaca trajetórias intelectuais, atividades de pesquisa, docência e relações de poder entre professoras da área de sociologia da USP nas décadas de 1940 a 1960. É um estudo a respeito de intelectuais, procurando compreender como estavam interligados os processos de institucionalização da disciplina de sociologia, relações de poder em geral, a licenciatura na Universidade e o ensino da época (contribuições dessas professoras, teorias preferidas, inovações etc.), tudo isso dentro do regime de Cátedras vigente. O texto é produto de consulta a biografias, correspondências e realização de entrevistas. A pesquisa propõe análises a partir de conceitos e obras de...

  8. Mestrado profissional em ciências sociais para o ensino médio: a experiência nos horizontes da formação continuada para professores

    Zarias, Alexandre; Monteiro Neto, Allan; Velho Barreto, Túlio
    A formação continuada de professores de Sociologia para o ensino médio é um dos meios de consolidação da disciplina nos currículos escolares. Por meio de cursos de pós-graduação stricto sensu na área, cria-se um espaço de circulação do conhecimento que une a experiência de professores em sala de aula com a atividade sistematizada de ensino e pesquisa. O ponto de partida para reflexões a esse respeito é o Mestrado Profissional em Ciências Sociais para o Ensino Médio da Fundação Joaquim Nabuco (MPCS-Fundaj), em funcionamento desde 2012. Neste artigo, destaca-se o papel do professor de Sociologia na ótica de Wright Mills,...

  9. Ensino da sociologia no Rio Grande do Sul: histórico da disciplina, formação do professor e finalidade pedagógica

    Mocelin, Daniel Gustavo; Raizer, Leandro
    O ensino da sociologia no ensino médio – seu significado, relevância, prática e realidade – está entre alguns dos temas mais fecundos, relevantes e atuais na educação brasileira. Prova disso é o número crescente de eventos, estudos, pesquisas e publicações que têm se dedicado a essa questão. Embora seja inegável o acúmulo de conhecimento, ainda existem muitos elementos, lacunas e dimensões – de diversas ordens, que precisam ser investigados e debatidos. Entre esses, destaca-se o resgate da memória nacional e regional do ensino da disciplina; e a questão do perfil do professor, sua formação, práticas e percepções sobre a finalidade...

  10. Aprendendo pela pesquisa e pelo ensino: o PIBID no processo formativo das licenciaturas em ciências sociais

    Gonçalves, Danyelle Nilin; Lima Filho, Irapuan Peixoto
    O artigo discute a inserção do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) no panorama das Licenciaturas em Ciências Sociais e suas implicações na formação de futuros docentes da Educação Básica. Tomando como base a experiência do Pibid Sociologia da Universidade Federal do Ceará, é realizada uma reflexão sobre os impactos que o Programa causa, sobretudo, na relação entre a atuação dos bolsistas e a produção científica advindas dessas experiências. Atenta, no entanto, para a necessidade da discussão ainda incipiente sobre as culturas juvenis, as quais ajudam a entender a vida social da escola para além das análises...

  11. O PIBID na área de ciências sociais: condições epistemológicas e perspectivas sociológicas: as perspectivas pública e cosmopolita

    dos Santos, Mário Bispo
    O PIBID, Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência, foi criado em um contexto de crescentes demandas em relação à universidade, dentre as quais, uma maior participação na formação de professores.  O programa almeja  instituir  um ambiente formativo que reflete uma concepção, na qual a produção e o ensino da ciência se desenvolveriam em um contexto interdisciplinar de aplicação do conhecimento e de busca de inovação pedagógica. Mas os e os atores envolvidos com o programa? Eles  compartilham dessa concepção epistemológica? Tendo em  vista estas questões e com base na literatura concernente ao ensino de Sociologia, buscou-se mapear as...

  12. Pensando segurança pública no brasil: desafios para a pesquisa

    Porto, Maria Stela Grossi
    O artigo busca ressaltar os múltiplos desafios com os quais se defronta a sociologia em seu esforço de compreensão do tema da Segurança Pública na contemporaneidade brasileira. Objetiva, particularmente, refletir sobre a Compreensão sociológica desta teniãtica, pensada em termos de desdobramentos e efeitos dos fenômenos circunscritos ao que Verri sendo chamado o “problema da violência urbana e da segurança pública”. Questiona a importância de se refletir sobre o contexto brasileiro atual, palco para fenômenos que, se não são novos, em si mesmos, trazem sentidos novos em suas formas de concretização, a exemplo das recentes manifestações sociais, ocorridas inicialmente em 2013...

  13. Biografia e itinerários de um livro: uma abordagem pós-humanista das associações de uma obra de Gisele Freund

    de Morais, Jorge Ventura
    O principal objetivo deste artigo e desvendar a rede sociocultural que o livro La Fotografía y las Clases Medias, de Gisele Freund, seguiu. Outro objetivo, concatenado a este, e analisar o engajamento de uma agência material [o livro] com agencias humanas (eu, entre outros). Em suma, desenvolvo uma análise pós-humanista da trajetória de um objeto. E isso serve para afastar quaisquer suspeitas de que seja de uma abordagem holística ou de que seja uma abordagem baseada no individualismo metodológico; serve também para afastar de mim qualquer aderência a debates de uma sociologia tradicional baseada em dicotomias entre agência e estrutura....

  14. Juventude, igualdade e protestos

    Scalon, Celi
    O artigo se refere a conferência proferida no XVI Congresso Brasileiro de Sociologia, em Salvador. Nele, busco analisar as jornadas de Junho de 2013, ocorridas em todo o Brasil, a luz do debate sobre desigualdades, classes sociais e juventude. Para tanto, foram incorporados resultados de várias pesquisas, quantitativas e qualitativas, realizadas em diferentes periodos.

  15. Esboço de uma morfologia da sociologia brasileira: perfil, recrutamento, produção e ideologia

    Dwyer, Tom; Barbosa, Maria Ligia de Oliveira; Fraga, Eugenia
    O artigo visa explorar algumas dos principais traços morfológicos dos cientistas sociais brasileiros. Esboça-se aqui um perfil do segmento acadêmico dos sociólogos, através de uma amostra de membros da Sociedade Brasileira de Sociologia, tendo sido os dados colhidos através de survey a ser respondido pela internet em 2009. Os dados indicam um segmento profissional predominantemente feminino, branco, com mais de 45 anos e renda bem acima da Inedia nacional. Seis instituições nacionais concentram mais da metade dos doutorados feitos por esse grupo. Inseridos principalmente como professores e pesquisadores, os sociólogos também têm entradas diversas no campo profissional, destacando-se as atividades...

  16. Notas sobre a história da sociologia no ensino secundário de Portugal

    Neuhold, Roberta dos Reis
    Esse artigo inicia uma incursão pela história da Sociologia em Portugal para analisar os sentidos a ela atribuídos quando introduzida nos planos de estudos do ensino secundário, em meio ao movimento de redemocratização do país fortalecido em meados da década de 1970. Recorre a entrevistas e, sobretudo, pesquisa documental e bibliográfica, tendo como foco a legislação educacional, manuais didáticos e propostas curriculares oficiais. Aponta que, como no ensino superior, havia a expectativa, entre os cientistas sociais, de que a Sociologia, por um lado, fornecesse aos jovens fundamentos teóricos e métodos de intervenção em uma sociedade em intensa transformação; e, por...

  17. Sociólogos do futuro: neoartesanato intelectual e engajamento político

    dos Santos, Jose Vicente Tavares
    Este texto parte de uma questão: o que é ser aprendiz de Sociologia em um tempo de incertezas? Nos últimos anos, os jovens estão vivendo um tempo de instabilidade, no qual houve a precarização do trabalho e a vivência do labirinto da vida. Passam a experimentar a fragmentação, a vulnerabilidade,alguns o enclausuramento e a morte. Torna-se, portanto, importante relembrar a imaginação sociológica, a arte da descoberta e a necessidade de construir uma explicação para as novas formas do social posicionada no contexto da mundialização da sociedade. O processo da investigação nas Ciências Sociais pode ser entendido como um ato de...

  18. Avanços e perspectivas da sociologia no brasil: uma abordagem comparativa

    de Freitas, Renan Springer; Ribeiro, Ludmila Godinho
    Esse trabalho discute os sentidos em que se pode dizer que a sociologia tem avançado ou não no Brasil e as direções que ela tem seguido ou pode vir a seguir. Sugere-se que tem havido avanço por meio de inovações metodológicas, da aposta no potencial heurístico de esforços mais abrangentes de teorização e da emulação de estudos bem sucedidos realizados nos Estados Unidos. Avanços ocorridos nas áreas de mobilidade social, religião e criminalidade ilustram exemplarmente essas possibilidades. Compara-se o modo como o conhecimento tem avançado em cada uma dessas áreas e os limites e potencialidades inerentes a cada um desses...

  19. O ofício de sociólogo

    Pessoa Souto Maior, Heraldo
    O presente artigo constitui uma reflexão de alguém que, por cerca de sessenta anos, exerceu o ofício de sociólogo desempenhando diversos papéis em circunstâncias diversas e em momentos diferentes da sociologia no nordeste e no Brasil. Iniciando-se na disciplina como autodidata, na Faculdade de Direito do Recife, com pós-graduação posterior nos Estados Unidos, foi sociólogo no serviço público federal, assessor de repartições municipais, estaduais e federais, professor em faculdades particulares e é professor universitário há cinquenta anos. Medita sobre essas diversas experiências e fases da sociologia brasileira, agora reconhecida formalmente não apenas como disciplina, mas como profissão. Não tem pretensões...

  20. O artesanato intelectual na sociologia

    Souza Martins, José de
    A história da imaginação sociológica no Brasil contem extenso elenco de criativas e até antecipadoras variantes do que C. Wright-Mills denominou artesanato intelectual. Aqui, o artesanato intelectual teve muito pouco a ver com uma opção epistemológica em face das reduções abstratas da grande teoria. Tem sido muito mais reconhecimento da riqueza de conteúdo de uma realidade singular e densa. O artesanato intelectual é mais do que a mera tecnica de obtenção de dados. É uma troca. Não há como utilizar o artesanato sem dar algo em troca do que se recebe. No artesanato, o observador é observado, o decifrador é...

Aviso de cookies: Usamos cookies propias y de terceros para mejorar nuestros servicios, para análisis estadístico y para mostrarle publicidad. Si continua navegando consideramos que acepta su uso en los términos establecidos en la Política de cookies.